O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-04-25T18:25:54-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo pela Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
FECHAMENTO DO DIA

Nasdaq puxa recuperação vigorosa das bolsas internacionais, mas Ibovespa esbarra na Vale; dólar vai a R$ 4,87

Com as preocupações chinesas pesando sobre as commodities, o Ibovespa fechou a sessão em queda de 0,35%s. O dólar à vista também fechou longe das máximas, mas ainda assim acumulou uma alta significativa

25 de abril de 2022
18:19 - atualizado às 18:25
Palavra IBOV com braços e pernas de desenho escorregando em uma banana e fundo vermelho com gráficos em queda | Ibovespa, dólar
IBOV escorregando em uma banana com gráficos em queda - Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Na maior parte dos dias normais, os temores com a inflação persistente, elevação de juros e risco de recessão nas principais economias do mundo são suficientes para minar todo e qualquer apetite por risco da bolsa. Mas hoje não foi um dia normal. 

Depois de alguns blefes e muitos rumores, o Twitter confirmou que o bilionário Elon Musk comprou a rede social por cerca de US$ 44 bilhões. Assim como ocorreu no dia em que Musk anunciou ter comprado uma fatia de 9%, as ações da companhia dispararam em Wall Street, revertendo o cenário caótico observado no começo do dia. 

Durante a madrugada, a bolsa de Xangai caiu mais de 5% com temores de uma desaceleração violenta da economia, e tudo levava a crer que os mercados ocidentais reagiriam de forma semelhante aos últimos números da China e o reflexo da desaceleração de uma potência econômica no atual cenário global. 

As primeiras horas do dia foram de perdas expressivas para os mercados, com Europa, Estados Unidos e Brasil operando no negativo – no pior momento, o principal índice brasileiro chegou a perder o patamar dos 110 mil pontos e o dólar avançou cerca de 3% contra o real.

A venda do Twitter pode ter sido a fagulha que incendiou Wall Street tão rápido quanto um dos foguetes de Musk, mas os investidores também possuem outros elementos na cabeça. Nos próximos dias, pesos-pesados do setor de tecnologia irão divulgar os seus resultados trimestrais – e o mercado está animado com o que deve vir por aí. 

Em Nova York, os três principais índices fecharam em alta firme, mas foi insuficiente para a bolsa brasileira. Com as preocupações chinesas pesando sobre as commodities, o Ibovespa fechou a sessão em queda de 0,35%, aos 110.684 pontos. O dólar à vista também fechou longe das máximas, mas ainda assim acumulou uma alta de 1,29%, a R$ 4,8755

Nos próximos dias a bolsa brasileira deve se debruçar sobre os números da temporada de balanço do primeiro trimestre, mas enquanto as novidades ainda são escassas, o bom humor internacional aliviou a dor de cabeça. A recuperação vista na etapa final de negociação só não foi maior porque a Vale e o setor de siderurgia repercutiram de forma negativa a queda de 10% do minério de ferro. 

Dores chinesas

As preocupações em torno dos novos surtos de covid-19 na China seguem pesando na economia global. Embora os mercados ocidentais tenham escapado de um banho de sangue nesta segunda-feira (25), a bolsa de Xangai recuou mais de 5% após a região apresentar um crescimento recorde no número de casos da covid-19. 

Em Pequim foram registrados 22 novos casos de covid-19 no domingo (24), o maior número deste ano, enquanto Xangai viu o número de mortos pela doença triplicar. 

O impacto da política rigorosa de contenção da pandemia já pode ser sentida novamente nos números oficiais. As vendas no varejo recuaram 3,5% em março, maior do que as projeções de queda de 2,0%. O desemprego chinês atingiu o maior patamar em quase dois anos, a 5,8%. 

Um crescimento menor significa um consumo de matérias-primas também mais enxuto. Por isso, as commodities operaram em forte queda ao longo do dia, com o minério de ferro recuando 10%. 

Um cenário mais desafiador tende a impactar de forma relevante as empresas brasileiras, principalmente Vale, CSN e Gerdau. Com grande peso no Ibovespa, o índice repercute esse movimento.

Ecos sombrios

Na primeira etapa do pregão, os investidores não conseguiram ignorar a mensagem que havia ficado da semana passada, quando diversos dirigentes do Federal Reserve – incluindo o presidente Jerome Powell – defenderam uma alta de 50 pontos-base na próxima reunião do Banco Central americano. 

Para o mercado, está cada vez mais claro que a política monetária adotada precisará levar a taxa de juros para um patamar acima do neutro como forma de controlar a inflação. Além disso, devemos ver também uma alta dos juros na Europa e no Brasil, caso a inflação siga no patamar atual.

Com a retomada do apetite por risco no exterior e o fôlego do Ibovespa, o mercado local se desfez de excessos da última sexta-feira (25), permitindo que o dia fosse de recuo para os principais vencimentos no mercado de juros:

CÓDIGONOMETAXAFEC 
DI1F23DI jan/2312,93%12,99%
DI1F25DI Jan/2511,98%12,15%
DI1F26DI Jan/2611,81%11,97%
DI1F27DI Jan/2711,80%11,97%

Sobe e desce do Ibovespa

Dentre as maiores quedas do dia tivemos as ações do setor de mineração e siderurgia, repercutindo a queda de 10% do minério de ferro e as perspectivas negativas para a economia chinesa. 

Outro destaque relevante foram os papéis da Natura. Na semana passada, antes do feriado, a companhia se reuniu com analistas do mercado e trouxe projeções piores do que a esperada para o balanço que será divulgado no próximo dia 5. Confira os piores desempenhos do dia:

CÓDIGONOMEVALORVAR
BRFS3BRF ONR$ 13,98-3,65%
CSNA3CSN ONR$ 21,43-2,64%
SOMA3Grupo SomaR$ 13,31-2,56%
GOAU4Metalúrgica Gerdau PNR$ 11,18-2,27%
NTCO3Natura ONR$ 20,07-2,10%

Confira também as maiores altas do dia no Ibovespa:

CÓDIGONOMEVALORVAR
COGN3Cogna ONR$ 2,613,57%
CMIG4Cemig PNR$ 15,052,87%
PETZ3Petz ONR$ 15,872,85%
YDUQ3Yduqs ONR$ 16,702,52%
ABEV3Ambev ONR$ 15,122,51%
Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

AUTOMÓVEIS

Elon Musk em apuros? Tesla perde apelo entre consumidores de carros de luxo

Tesla cai do 3º para o 5º lugar na preferência dos compradores de carros de luxo nos EUA no primeiro trimestre, mas ainda domina entre modelos elétricos

MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Melhora de Nova York faz Ibovespa futuro sustentar alta da abertura; dólar vai a R$ 5,10

RESUMO DO DIA: A desaceleração da economia chinesa pesou no sentimento das bolsas nesta segunda-feira (16). Os dados mais fracos dão os primeiros sinais de recessão, o que deve afetar o desempenho das atividades nos demais países. Por aqui, a Petrobras (PETR4) é o foco do dia, com debates envolvendo o preço dos combustíveis e […]

CAÇADOR DE TENDÊNCIAS

Oportunidade de swing trade: compra de ações da Wiz (WIZB3) e lucro de 5% no bolso com Bradesco (BBDC4)

Identifiquei uma oportunidade de swing trade – compra dos papéis da Wiz (WIZS3), com entrada em R$ 8,44; veja a análise

O melhor do Seu Dinheiro

O Nubank estará Nu mais uma vez? Confira a história do dia e outras sete notícias que mexem com os seus investimentos

O Nubank virou rei na competição com os bancões, mas a nudez dos balanços amargou o gosto dos investidores pela fintech; veja o que esperar do resultado do primeiro trimestre

Segredos da Bolsa

Esquenta dos mercados: Desaceleração da China gera mal estar e bolsas amanhecem pressionadas; Ibovespa acompanha tensão na Petrobras (PETR4)

No panorama doméstico, os balanços de Magazine Luiza, Nubank e outros movimentam o dia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies