🔴 SAVE THE DATE: 22/07 – FERRAMENTA PARA GERAR RENDA COM 1 CLIQUE SERÁ LIBERADA – CONHEÇA

Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo pela Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
FECHAMENTO DO DIA

Desafios se acumulam em todas as frentes e Ibovespa cai mais de 1,5%; dólar volta aos R$ 5,11

A queda do petróleo e do minério de ferro pressionaram o Ibovespa, assim como dados melhores do que o esperado nos Estados UNidos

Jasmine Olga
Jasmine Olga
30 de agosto de 2022
18:49 - atualizado às 18:53
Peão em movimento à mão em um labirinto conceitual
Imagem: Envato

As últimas levas de notícias que chegam de todas as partes do mundo parecem  ter jogado os investidores dentro de um labirinto de difícil resolução em que apenas a cautela pode ser utilizada como arma. 

O emaranhado de corredores a serem percorridos não só são longos, como também parecem estar sempre mudando de posição — acompanhando as idas e vindas no posicionamento do Federal Reserve sobre a robustez da economia americana, as indecisões da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) sobre a oferta da commodity, a longa batalha do governo chinês contra a covid e os dados mistos do mercado de trabalho dos Estados Unidos. 

Nesta terça-feira (30), todos esses desafios cruzaram o caminho dos investidores, deixando mais longe a saída do labirinto. Na China, novas restrições de mobilidade derrubaram o minério de ferro. O petróleo também teve uma queda firme, de olho na reunião da Opep na semana que vem. 

Nos Estados Unidos, os sinais de que o Fed pode ter um espaço maior para realizar o aperto monetário, após a criação de novas vagas de trabalho superar as estimativas, derrubaram as bolsas que já vinham sofrendo com o recuo de 5% no preço do barril do Brent. 

Com isso, os principais índices — Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq — tiveram perdas de cerca de 1%. O Ibovespa até chegou a abrir o dia em alta, mas não conseguiu sustentar o movimento já que a queda do petróleo no mercado internacional pressionou as ações da Petrobras (PETR4) e de outras empresas de peso significativo no índice. 

Longe do centro do labirinto, o Ibovespa fechou a sessão em queda de 1,68%, aos 110.430 pontos. Já o dólar à vista avançou 1,58%, a R$ 5,1130.  

Embolando o meio de campo

A queda das bolsas americanas ganharam força após o relatório Jolts nos Estados Unidos mostrar que o Federal Reserve pode ter espaço para promover um aperto monetário mais forte. 

Segundo o documento, o país registrou a abertura de 11.239 milhões de postos de trabalho em julho. Além disso, o número de junho foi revisado para cima, de 10.698 milhões para 11.040 milhões.

Os investidores agora aguardam o payroll — o mais importante termômetro do mercado de trabalho para as decisões do Fed. 

No Brasil, o recuo maior do que o esperado do IGP-M, considerado a inflação do aluguel, acabou evitando que os DIs fechassem nas máximas, acompanhando o exterior. Confira:

CÓDIGONOMEULT FEC 
DI1F23DI jan/2313,75%13,74%
DI1F24DI jan/2413,10%13,19%
DI1F25DI Jan/2512,07%12,13%
DI1F26DI Jan/2611,89%11,93%
DI1F27DI Jan/2711,88%11,89%

Voltando uma casa

A forte alta do petróleo dos últimos dias parece ter chegado ao fim. Após voltar a ser cotado acima dos US$ 100, a commodity teve um dia de forte queda, repercutindo não só uma potencial realização de lucros como também a possibilidade de que a oferta volte a crescer.

Nesta terça-feira, o Brent, utilizado como referência na adoção de políticas de preços de combustíveis, caiu 4,95%, a US$ 97,84. Em reação, as ações da Petrobras tiveram um dia de fortes perdas, também pressionadas pela decisão do Itaú BBA de rebaixar sua recomendação para os papéis.

Na próxima semana, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) irá realizar sua reunião ministerial para definir o futuro da oferta da commodity, o que pode mexer ainda mais com a cotação do barril. 

Sobe e desce do Ibovespa

Em um dia de poucos destaques positivos, a Localiza (RENT3) teve o melhor desempenho após os analistas do Morgan Stanley elevarem as expectativas para a companhia. Confira as maiores altas do dia no Ibovespa:

CÓDIGONOMEULTVAR
RENT3Localiza ONR$ 62,101,22%
POSI3Positivo Tecnologia ONR$ 11,660,78%
VBBR3Vibra Energia ONR$ 19,080,74%
HYPE3Hypera ONR$ 43,790,57%
ITSA4Itaúsa PNR$ 9,330,43%

Confira também as maiores quedas da sessão:

CÓDIGONOMEULTVAR
CVCB3CVC ONR$ 7,55-8,15%
IRBR3IRB ONR$ 1,72-7,53%
PETR4Petrobras PNR$ 32,35-6,18%
BPAN4Banco Pan PNR$ 7,45-6,17%
GOLL4Gol PNR$ 10,43-5,95%

Compartilhe

BRIGA PELO TRONO GRELHADO

Acionistas da Zamp (BKBR3) recusam-se a ceder a coroa do Burger King ao Mubadala; veja quem rejeitou a nova oferta

21 de setembro de 2022 - 8:01

Detentores de 22,5% do capital da Zamp (BKBR3) já rechaçaram a nova investida do Mubadala, fundo soberano dos Emirados Árabes Unidos

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana segue sendo o elefante na sala e Ibovespa cai abaixo dos 110 mil pontos; dólar vai a R$ 5,23

15 de setembro de 2022 - 19:12

O Ibovespa acompanhou o mau humor das bolsas internacionais e segue no aguardo dos próximos passos do Fed

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Cautela prevalece e bolsas internacionais acompanham bateria de dados dos EUA hoje; Ibovespa aguarda prévia do PIB

15 de setembro de 2022 - 7:42

As bolsas no exterior tentam emplacar alta, mas os ganhos são limitados pela cautela internacional

FECHAMENTO DO DIA

Wall Street se recupera, mas Ibovespa cai com varejo fraco; dólar vai a R$ 5,17

14 de setembro de 2022 - 18:34

O Ibovespa não conseguiu acompanhar a recuperação das bolsas americanas. Isso porque dados do varejo e um desempenho negativo do setor de mineração e siderurgia pesaram sobre o índice.

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Depois de dia ‘sangrento’, bolsas internacionais ampliam quedas e NY busca reverter prejuízo; Ibovespa acompanha dados do varejo

14 de setembro de 2022 - 7:44

Os futuros de Nova York são os únicos que tentam emplacar o tom positivo após registrarem quedas de até 5% no pregão de ontem

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana derruba Wall Street e Ibovespa cai mais de 2%; dólar vai a R$ 5,18 com pressão sobre o Fed

13 de setembro de 2022 - 19:01

Com o Nasdaq em queda de 5% e demais índices em Wall Street repercutindo negativamente dados de inflação, o Ibovespa não conseguiu sustentar o apetite por risco

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas internacionais sobem em dia de inflação dos EUA; Ibovespa deve acompanhar cenário internacional e eleições

13 de setembro de 2022 - 7:37

Com o CPI dos EUA como o grande driver do dia, a direção das bolsas após a divulgação dos dados deve se manter até o encerramento do pregão

DANÇA DAS CADEIRAS

CCR (CCRO3) já tem novos conselheiros e Roberto Setubal está entre eles — conheça a nova configuração da empresa

12 de setembro de 2022 - 19:45

Além do novo conselho de administração, a Andrade Gutierrez informou a conclusão da venda da fatia de 14,86% do capital da CCR para a Itaúsa e a Votorantim

FECHAMENTO DO DIA

Expectativa por inflação mais branda nos Estados Unidos leva Ibovespa aos 113.406 pontos; dólar cai a R$ 5,09

12 de setembro de 2022 - 18:04

O Ibovespa acompanhou a tendência internacional, mas depois de sustentar alta de mais de 1% ao longo de toda a sessão, o índice encerrou a sessão em alta

novo rei?

O Mubadala quer mesmo ser o novo rei do Burger King; fundo surpreende mercado e aumenta oferta pela Zamp (BKBR3)

12 de setembro de 2022 - 11:12

Valor oferecido pelo fundo aumentou de R$ 7,55 para R$ 8,31 por ação da Zamp (BKBR3) — mercado não acreditava em oferta maior

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar