🔴 TCHAUZINHO, NUBANK: Itaú BBA revela ação que pode colocar o roxinho para comer poeira; CLIQUE AQUI  e descubra a resposta no nosso Telegram

2022-08-17T21:07:34-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo pela Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa sobe 0,17% após ata do Fed mostrar cautela com elevação dos juros; dólar também sobe

O Ibovespa pegou carona com a Petrobras (PETR3;PETR4) para fechar o dia em alta, mas Nova York seguiu cautelosa com a alta dos juros

17 de agosto de 2022
18:46 - atualizado às 21:07
Cozinha - Receita
Imagem: Shutterstock

Em minhas inúmeras tentativas de experiência na cozinha, aprendi uma difícil lição. O mundo da confeitaria e dos doces é para aqueles apegados à exatidão dos números e processos, sem espaço para improvisos ou erros de cálculo. 

Um grama extra de açúcar na massa pode ser a ruína da consistência perfeita e o nascimento de um bolo solado. A quantidade de manteiga errada torna impossível se atingir a textura perfeita e alguns minutos a mais ou a menos no forno ou na geladeira fazem toda a diferença no resultado final da receita. 

Os confeiteiros responsáveis pela cozinha do Federal Reserve andam passando por alguns apuros: encontrar o crescimento ideal da massa econômica que move os Estados Unidos, mas ao mesmo tempo não se pode deixar a inflação melar o forno inteiro ao extravasar da assadeira. 

Eles sabem que o remédio para conter o crescimento desenfreado da massa é a adição de juros mais fortes na receita, mas ninguém quer que um deslize deixe esse bolo solado. Por isso, o Fed está disposto a atuar com um conta-gotas. 

Pelo menos é essa a sensação que os dirigentes do banco central americano deixaram com a divulgação da ata da última reunião de política monetária. Para eles, está claro que a taxa de juros deve seguir subindo a ponto de desacelerar a atividade econômica, mas não estão dispostos a errar a medida. Por isso, os passos podem se tornar mais lentos, até que se tenha a clareza de como os demais ingredientes da economia estão se comportando. 

As bolsas americanas chegaram a desacelerar consideravelmente as perdas após a divulgação do documento, mas a percepção de que o cenário segue sem sofrer grandes mudanças levou os índices de volta ao mesmo ponto de partida. Puxado mais uma vez por resultados ruins do setor de varejo, o Dow Jones caiu 0,50%. O Nasdaq e o S&P 500 recuaram 1,25% e 0,72%, respectivamente. 

O Ibovespa acompanhou o movimento visto nas bolsas gringas, mas não devolveu os ganhos, se mantendo no azul. Com o petróleo fechando o dia em alta, o principal índice da B3 se favoreceu do avanço da Petrobras (PETR3; PETR4) e subiu 0,17%, aos 113.708 pontos. O dólar à vista se valorizou 0,53%, a R$ 5,1678.

Fed: Baby steps

Apesar da divulgação da ata ter tido um efeito inicial positivo nos mercados globais, os principais índices retornaram ao mesmo lugar após o documento ser digerido com mais calma. 

Os membros do Banco Central americano seguiram mostrando preocupação com a escalada da inflação e acreditam que será preciso manter a taxa de juros em patamar restritivo por mais algum tempo, mas não descartaram reduzir o ritmo das altas em breve. 

Assim, as apostas em uma elevação de 50 pontos-base seguem sendo majoritárias para a próxima reunião. 

“Muitos membros observaram que, tendo em vista a natureza em constante mudança do ambiente econômico e a existência de defasagens longas e variáveis ​​no efeito da política monetária sobre a economia, há o risco de que o Comitê possa apertar a política por mais do que o necessário para restaurar a estabilidade de preços”, diz a ata. 

No Brasil, a curva de juros desacelerou a inclinação após a divulgação, mas ainda assim o dia foi de alta expressiva nos principais vencimentos. 

Sobe e desce do Ibovespa

Nos últimos dias, a temporada de balanços e o apetite renovado por risco levou as empresas de tecnologia e varejo a registrarem ganhos consistentes. A tendência, no entanto, se inverteu nesta quarta-feira. 

Com o cenário um pouco mais avesso ao risco e o mercado americano mostrando certa preocupação com os números trimestrais apresentados pela varejista Target, os investidores locais voltaram a atenção para ativos de características mais defensivas — como o setor elétrico e saneamento.

A CSN Mineração (CMIN3) também foi destaque, ignorando a forte queda do minério de ferro visto na China. No começo da semana, os papéis haviam recuado após a divulgação do balanço trimestral.  

Confira as maiores altas do dia no Ibovespa:

CÓDIGONOMEVALORVAR
CMIG4Cemig PNR$ 13,055,67%
CPLE6Copel PNR$ 7,234,48%
CMIN3CSN Mineração ONR$ 4,024,42%
PCAR3GPA ONR$ 19,874,30%
SBSP3Sabesp ONR$ 46,334,23%

Na ponta contrária, as varejistas puxaram os piores desempenhos do dia, devolvendo uma pequena parcela dos ganhos recentes. 

No setor de saúde, o gatilho para o movimento de queda foi o balanço divulgado recentemente pela Rede D’Or (RDOR3). Confira as maiores quedas da sessão do Ibovespa:

CÓDIGONOMEVALORVAR
AMER3Americanas S.AR$ 14,24-6,13%
VIIA3Via ONR$ 3,40-6,08%
YDUQ3Yduqs ONR$ 13,25-5,56%
QUAL3Qualicorp ONR$ 11,08-4,57%
CASH3Meliuz ONR$ 1,32-4,35%

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

MERCADOS AO VIVO

Bolsa hoje: Ibovespa futuro abre em queda e acompanha aversão ao risco do exterior; dólar sobe

28 de setembro de 2022 - 9:04

RESUMO DO DIA: As bolsas internacionais operam em tom negativo nesta quarta-feira (28). Os investidores seguem com maior cautela com a expectativa de recessão global no radar. Nos EUA, os discursos de dirigentes do Federal Reserve (Fed), dentre eles o do presidente Jerome Powell, devem continuar influenciando as bolsas americanas. Com a agenda esvaziada no […]

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O efeito do abraço de urso: a volta dos IPOs na B3, dividendos milionários, inverno cripto e outras notícias que mexem com seus investimentos

28 de setembro de 2022 - 8:17

A sucessão de baixas dos ativos de risco nos mercados financeiros levou os investidores a uma caça às pechinchas — e cada vez mais analistas consideram que é hora de ir às compras nas bolsas

DE OLHO NA BOLSA

Esquenta dos mercados: Bolsas internacionais caem antes de falas de Jerome Powell e dirigentes do Fed; Ibovespa acompanha Campos Neto e Guedes hoje

28 de setembro de 2022 - 7:40

Por aqui, a última rodada da pesquisa Genial/Quaest antes do primeiro turno das eleições presidenciais mostra chances de que Lula ganhe no primeiro turno

REPORTAGEM ESPECIAL

Nova safra de IPOs vai ficar só para 2023 — e terá uma cara bem diferente da última janela

28 de setembro de 2022 - 7:00

Após um período difícil para IPOs, setores mais preparados para abertura de capital em breve são de energia, infraestrutura e saneamento

PALAVRA DO TRADER

O ótimo é inimigo do bom para um trader. O que fazer para não deixar a oportunidade passar

28 de setembro de 2022 - 6:35

Muitos traders, principalmente os iniciantes, se apegam tanto à otimização que demoram muito para colocar o setup para operar

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies