🔴 RECEBA ANÁLISES DE MERCADO DIÁRIAS: CLIQUE AQUI E SIGA O SEU DINHEIRO NO INSTAGRAM

2022-02-17T19:28:00-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo pela Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
FECHAMENTO DO DIA

Sem bandeira branca na Ucrânia, Ibovespa interrompe sequência de altas e recua mais de 1%; dólar sobe a R$ 5,16

Depois de sete altas consecutivas, o Ibovespa não encontrou forças para continuar a trajetória, e a bolsa sentiu o impacto da tensão na Ucrânia

17 de fevereiro de 2022
18:55 - atualizado às 19:28
Vladimir Putin e Joe Biden dominam o humor da bolsa
Imagem: Shutterstock/Montagem

Você já deve ter ouvido por aí que atitudes valem mais que mil palavras. Esse é um daqueles ensinamentos da sabedoria popular que possuem uma versão em cada canto do mundo. Lá na Casa Branca, é assim que Joe Biden encara a crise na Ucrânia – e ele faz questão de que Vladimir Putin saiba disso. 

Enquanto o presidente russo e seus ministros afirmam que as tropas vistas próximas da fronteira com a Ucrânia estão recuando e que preferem o caminho diplomático, o governo americano, a ONU, a Otan e diversos países europeus seguem afirmando que não há sinal de que a Rússia de fato esteja agindo conforme suas palavras. 

Biden chegou a falar em uma “bandeira branca falsa” e alertou que um ataque russo pode ocorrer a qualquer momento sob falsos pretextos. Para o mercado, esse foi um sinal de que a trégua está longe de ser uma realidade. As bolsas americanas sangraram, com o Nasdaq e o S&P 500 recuando mais de 2% enquanto o Dow Jones teve queda de 1,78%. 

Apesar do clima bélico do exterior, o Ibovespa conseguiu ter um desempenho um pouco melhor do que as bolsas americanas, mas não escapou da queda firme. Após sete altas consecutivas e um novo tombo do minério de ferro, o principal índice da bolsa brasileira fechou o dia com um recuo de 1,43%, aos 113.528 pontos. O dólar à vista retomou o patamar dos R$ 5,16, em alta de 0,76%

Nem só de disputas geopolíticas se fez o dia. Os investidores voltaram a olhar para o Federal Reserve. James Bullard, presidente do Fed de St. Louis, mais uma vez reforçou que espera que a instituição eleve a taxa básica de juros em 1 ponto percentual até julho – uma visão muito mais dura do que a mostrada pelo próprio Fed na ata da sua última reunião. Quando o assunto é política monetária, o mercado prefere se ater às palavras.

Sem bandeira branca

Mais uma vez o dia amanheceu com temores renovados sobre a crise na Ucrânia. Enquanto a Rússia afirma querer resolver a questão por vias diplomáticas, o Ocidente segue temendo uma invasão iminente. 

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e o governo americano acusam a Rússia de fortalecer a presença militar na fronteira da Ucrânia, contradizendo a informação de que os militares russos se afastaram após a conclusão de exercícios de preparação. 

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, voltou a falar sobre o risco de um conflito armado e a possibilidade de uma “bandeira branca” falsa, como forma de justificar uma possível invasão. 

Enquanto a Casa Branca segue questionando a movimentação russa, o Kremlin se defende das acusações, afirmando que é impossível finalizar a movimentação das tropas militares em apenas alguns dias.

O Ministério da Defesa russo publicou vídeos que mostram a operação de retirada na ponte que liga a Crimeia à Rússia, mas a veracidade é questionada pelo governo ucraniano e outros países-membros da Otan.

Fed em pauta

Ainda falando sobre o cenário externo, a quinta-feira (17) foi marcada por novos pronunciamentos de dirigentes do Federal Reserve. Mesmo após a ata “branda” divulgada ontem, as palavras pesaram nos negócios. 

James Bullard, presidente do Fed de St. Louis, agitou os ânimos na semana passada ao afirmar que vê uma elevação de 1 ponto percentual até o encontro de julho da instituição e reforçou o recado nesta quinta-feira. 

No documento divulgado ontem, o BC americano não fez menção ao potencial de elevação de juros e nem sinalizou encerrar abruptamente o programa de compra de ativos, afastando temores do mercado. 

Ainda assim, o mercado de juros repercutiu o posicionamento mais duro de Bullard, com avanço expressivo dos vencimentos mais longos.

CÓDIGONOMEÚLTIMOFECHAMENTO 
DI1F23DI jan/2312,38%12,36%
DI1F25DI Jan/2511,46%11,33%
DI1F26DI Jan/2611,32%11,16%
DI1F27DI Jan/2711,34%11,17%

Minério em queda livre

A recuperação do minério de ferro não durou muito. Durante a madrugada, a commodity voltou a ter um forte recuo. 

No início da semana, a China voltou a pressionar os produtores, alegando que existe manipulação no valor da tonelada, como já havia ocorrido no fim do ano passado. Para inibir qualquer tipo de ilegalidade, o governo chinês passou a sobretaxar as negociações de contratos futuros. 

Nesta madrugada, o minério de ferro negociado em Qingdao recuou 6,39%, a US$ 130,12. No Brasil, as siderúrgicas e mineradoras lideraram os piores desempenhos do dia. 

Sobe e desce do Ibovespa

Apesar do clima ruim na bolsa, as ações da Totvs conseguiram escapar com uma alta relevante, repercutindo o bom balanço apresentado pela companhia na noite de ontem. Confira as maiores altas do dia:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
TOTS3Totvs ONR$ 32,306,08%
ENBR3Energias do Brasil ONR$ 21,173,98%
MRFG3Marfrig ONR$ 22,663,94%
GETT11Getnet unitsR$ 3,362,44%
SBSP3Sabesp ONR$ 37,682,34%

Com o novo tombo do minério de ferro, as siderúrgicas e mineradoras não escaparam e tiveram um dia de fortes quedas, dominando os piores desempenhos do Ibovespa. Confira:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
CSNA3CSN ONR$ 24,96-5,85%
GOAU4Metalúrgica Gerdau PNR$ 10,70-5,39%
GGBR4Gerdau PNR$ 25,99-5,32%
EZTC3EZTEC ONR$ 18,90-4,30%
VALE3Vale ONR$ 85,65-4,30%
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

NOITE CRIPTO

Na luta: bitcoin (BTC) opera em alta, mas performance não dá inveja; confira cotações

Apesar do avanço, o último mês foi o pior da história do bitcoin. A queda de 37,9% se consolidou como a mais terrível da história, desbancando maio de 2021, quando o recuo foi de 35,4%

PROBLEMAS FINANCEIROS

Tenda (TEND3) negocia com credores e consegue sinal verde para flexibilizar endividamento

Os detentores de debêntures da empresa aceitaram mudar os termos das dívidas em troca de garantias – e remuneração – extras

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

‘Pane’ nas exchanges, os limites para a Rússia e a queda do Ibovespa; confira os destaques do dia

Os corredores do mercado financeiro estavam mais silenciosos do que o habitual nesta segunda-feira (04).  Nos Estados Unidos, as bolsas em Wall Street ficaram fechadas devido ao feriado do Dia da Independência americana, mas parece que boa parte dos investidores brasileiros também deu uma esticadinha no fim de semana.  Sem Nova York e com o […]

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa cai abaixo dos 99 mil pontos em dia de baixa liquidez; dólar e juros sobem com petróleo

Sem Wall Street, o Ibovespa teve um dia de movimentação limitada. Apesar da alta do petróleo, o índice não conseguiu se consolidar em alta

ELEIÇÕES 2022

Quem é Maria Luiza Ribeiro Viotti, a primeira mulher a comandar o Itamaraty se Lula vencer as eleições?

A indicação de uma mulher para o Itamaraty contemplaria o movimento feminino na diplomacia, que ganhou força política no Congresso e foi incentivado por Amorim no passado; o Brasil nunca teve uma chanceler

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies