Menu
2021-04-15T14:13:29-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Orçamento em jogo

Parlamentares consideram a aprovação da PEC “fura-teto”

O comando do Congresso considera aprovar a medida caso essa seja a solução para a sanção do Orçamento sem vetos

15 de abril de 2021
14:12 - atualizado às 14:13
PEC fura-teto
Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que ficou conhecida como "fura-teto" já encontra aceitação dentro do Congresso. A medida, que é uma tentativa de garantir mais segurança jurídica para o estouro do teto de gastos foi planejada pela equipe econômica para retirar ao menos R$ 35 bilhões da norma constitucional que rege o Orçamento.

Para o comando do Congresso, a PEC é "meritória", mas precisa ser apresentada pelo governo e deve ser usada como solução para a sanção do Orçamento sem vetos, juntamente com o envio do projeto de lei.

"O problema foi na unha, e Guedes (ministro da Economia) quer cortar a mão", criticou um interlocutor de Bolsonaro que acompanha as discussões sobre a atuação do ministro.

Reunião ou sentença?

Em determinado momento de uma tensa reunião ocorrida no Palácio do Planalto, na terça-feira, 13, com a presença do presidente Jair Bolsonaro, do presidente da Câmara, Arthur Lira, e alguns ministros, foi oferecida a Guedes a chance de construir uma narrativa favorável a ele, que justificaria a sanção do Orçamento sem parecer um recuo.

O ministro já afirmou que, da forma como foi aprovada, a peça é 'inexequível'. O alerta levou Bolsonaro a dizer a empresários, na semana passada, que não vai "colocar o dele na reta".

A sugestão dada a Bolsonaro para que ele e o vice-presidente, Hamilton Mourão, fizessem uma viagem ao exterior, abrindo espaço para Lira assumir a Presidência e, assim, sancionar o Orçamento, como revelou o jornal O Estado de S. Paulo, foi mencionada. Lira a tratou como ironia. E brincou que, se assumir a Presidência, vai fazer uma reforma ministerial.

Mesma tecla?

Na reunião, o ministro da Economia bateu a todo momento na tecla dos riscos de perda de mandato ou, ainda, de Bolsonaro se tornar inelegível. O presidente chegou a olhar para cima quando Guedes começa o discurso e parece entrar no "modo automático", como definiu um dos presentes ao encontro.

Mesmo assim, o presidente não planeja substituir o ministro da Economia, a não ser que ele queira, por se sentir em dívida. Foi o ministro quem garantiu a Bolsonaro, durante a campanha, o apoio do empresariado e do mercado financeiro.

As críticas à atuação de Guedes e de sua equipe, porém, já não são feitas apenas por militares. Seriam compartilhadas até mesmo pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Cotado como opção número 1 para substituir Guedes, Campos Neto tem afirmado, em conversas privadas, que a equipe do ministro se revelou incompetente. Ele poupou, porém, o ministro, a quem tem gratidão. Procurados, Guedes, Lira, Flávia Arruda e Campo Netos não se manifestaram.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Novo competidor

Grupo catarinense que fatura R$ 8,8 bi vai abrir 1º atacarejo no estado de SP

O Grupo Pereira vai abrir uma unidade da Fort Atacadista, sua bandeira de atacarejo, na cidade de Jundiaí; forte competição em SP é desafio

Tensão em Brasília

Racha no Congresso põe reformas em xeque

A decisão do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), de fatiar a reforma tributária foi vista como a pá de cal nas chances de avanço das reformas no Congresso até o fim do atual governo. Embora Lira tenha prometido abrir o diálogo com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para definir os próximos passos, […]

Rapidinhas da semana

BLINK: Itaúsa, B2W, Eletrobras e mais recomendações rápidas

Felipe Miranda, sócio-fundador e CIO da Empiricus, fala sobre Alpargatas, Eletrobras, Itaúsa, Lojas Americanas e muito mais no Blink

Reserva de emergência

Jeff Bezos, o homem mais rico do mundo, vende ações da Amazon e põe US$ 5 bi na conta

O bilionário Jeff Bezos vendeu cerca de 1,5 milhão de ações da Amazon nos últimos dias e pode vender outros 500 mil papéis em breve

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies