Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-06-26T12:15:55-03:00
Maria Eduarda Nogueira
Podcast Mesa Quadrada

Tony Ramos é ‘conselheiro financeiro natural’ e exemplo em gestão de patrimônio; confira os destaques do 2º episódio do Mesa Quadrada

Em um papo animado com Dan Stulbach, Teco Medina e Caio Mesquita, o ator global Tony Ramos fala sobre sua relação com dinheiro

26 de junho de 2021
11:58 - atualizado às 12:15
Tony Ramos podcast Mesa Quadrada
Foto: Fábio Rocha -

Se Tony Ramos pudesse ser descrito brevemente, seria tido como um conselheiro financeiro natural. Um dos maiores atores do Brasil é também um exímio gestor, que cuida do seu patrimônio de forma exemplar.

No segundo episódio do podcast Mesa Quadrada, produzido pela Empiricus e apresentado por Dan Stulbach, Teco Medina e Caio Mesquita, o global falou sobre seus investimentos e deu dicas de ouro para quem quer aproveitar as maravilhas do dinheiro de maneira responsável. 

Os investimentos de Tony Ramos: da poupança às ações

A preocupação do ator com o dinheiro começou quando ele ainda era muito novo, a partir da separação de seus pais. Foi quando ele passou a viver com a avó e com a mãe, que, como ele mesmo diz, o criaram “sem drama”. Observando a rotina de sua família, Tony aprendeu a importância de poupar.

Entretanto, a primeira pessoa a lhe falar sobre investimentos foi o ator Elias Gleizer, que o recomendou a caderneta de poupança e os títulos de capitalização. Tony Ramos conta, de maneira divertida, que até hoje mantém dinheiro na poupança, quase como um talismã

Atualmente, seu patrimônio é mais diversificado: 15% estão em ações e seu objetivo é chegar a 20%. Por meio de encantos e desencantos com a Bolsa na década de 1970, o ator foi aprendendo a lidar com a renda variável, seguindo algumas dicas: diversificar, ter calma e acompanhar os movimentos do mercado.

Ele conta que a primeira vez que ganhou uma grande quantidade de dinheiro, em 1974, quando ainda estava na TV Tupi, resolveu guardá-lo para realizar uma viagem com a esposa. Tony e sua companheira de mais de 50 anos, Lidiane Barbosa, embarcaram naquela época para a Europa pela primeira vez graças aos frutos colhidos de seus investimentos. 

Quer saber mais sobre os primeiros investimentos de Tony Ramos? É só dar play abaixo ou procurar por “Mesa Quadrada Empiricus” na sua plataforma de podcasts favorita!

As diferenças entre um ator e um funcionário público

Tony Ramos também falou sobre a instabilidade que os artistas enfrentam em relação à vida profissional e ao dinheiro. Ele faz uma comparação de sua profissão com a de funcionários públicos, que têm perspectivas mais estáveis e podem tomar mais riscos. Os atores, por outro lado, precisam assumir uma postura mais conservadora, já que diversos fatores podem influenciar sua renda. 

Um fator recente foi a pandemia, que acabou deixando os teatros e cinemas sem fluxos de bilheterias e os atores sem as chamadas “horas de produtividade”, que determinam seu ganho do mês. Por isso, Tony cita a “importância do lastro” e de poupar. 

No podcast, os apresentadores perguntaram ao ator se a imagem de que os artistas são mais “avoados” com finanças e preocupados em “viver o momento”, sem pensar no longo prazo, é verdadeira.

Para o veterano Tony Ramos, não dá para generalizar: existem tanto aqueles atores que são irresponsáveis com as finanças quanto aqueles que investem e pensam no futuro, assim como engenheiros, médicos ou arquitetos. A diferença é que os artistas têm sua vida pública exposta, ao contrário das outras profissões.

A exposição pública cria em muitos um deslumbramento

Tony Ramos, no podcast Mesa Quadrada

A importância de lidar com o dinheiro de maneira responsável

Com uma carreira consolidada e 50 anos no universo do entretenimento, o ator comentou sobre como o dinheiro pode também levar a coisas negativas, como é o caso de pessoas que deixam o poder subir à cabeça ou esquecem de viver a vida. “A pior coisa que o dinheiro pode dar a alguém é a soberba”, afirma Ramos. 

O global sempre enxergou o dinheiro como uma forma de ter segurança e relata que tem “vontade de ter sempre um lastro”. Para ele, o dinheiro, se poupado de forma preventiva, nunca é punitivo. Economizar não é deixar de aproveitar a vida, mas sim poder desfrutá-la sem se preocupar com despesas inesperadas. 

Tony relata que não se arrepende nem das escolhas profissionais nem das escolhas financeiras feitas ao longo de sua vida, pois estas o permitiram ter uma velhice digna.

As novelas vão acabar? Vale investir em bitcoin? Quais são as ações preferidas de Tony Ramos? 

Em uma sessão bate-bola, os apresentadores fizeram perguntas variadas para Tony, envolvendo futebol, entretenimento e até quais papéis são os “queridinhos” do ator.

Para ele, as novelas ainda terão muito fôlego pela frente, ainda que em formatos mais curtos. “Eu ouço que a novela vai acabar desde 1978”, comenta o ator, que acumula centenas de produções televisivas em seu portfólio.

Quanto ao teatro, Tony se diz “acionista prioritário” e exalta esta forma de entretenimento como uma das mais belas manifestações artísticas. O cinema nacional também é profundamente admirado pelo ator, que diz ver “cada vez mais filmes excepcionais” produzidos no Brasil. 

Em relação ao bitcoin, Tony Ramos se mantém cético: “não compro aquilo que eu não conheço e que é muito especulativo”.  Quanto à bolsa, o global revela que gosta bastante e tem no portfólio há tempos a ação de Petrobras (PETR3), além dos papéis de instituições financeiras sólidas e de empresas de aço e de energia. 

Ficou interessado na conversa? Você pode conferi-la na íntegra dando play abaixo ou procurando por “Mesa Quadrada Empiricus” nas principais plataformas de podcast. 

O Mesa Quadrada é produzido pela Empiricus e sai todos os sábados. 

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

MANOBRAS

Juiz põe no banco dos réus ex-gestores do banco Máxima por gestão fraudulenta

O Banco Máxima S.A. informa que seus atuais acionistas assumiram a administração do banco em 2018, após aprovação pelo Banco Central, e que os integrantes da antiga gestão não têm mais qualquer relação com a instituição financeira

Foguete? Tô fora!

Warren Buffet: o bilionário que não quer conhecer as estrelas

Enquanto Bezos, Musk e Branson protagonizam a nova corrida especial, o Oráculo de Omaha prefere apenas observar

O melhor do Seu Dinheiro

O seu momento Sherlock Holmes

Na adolescência, ouvia que quem buscasse por romance policial brasileiro deveria ler algo do Rubem Fonseca. Era uma vontade minha achar uma história desse gênero que fosse mais próxima da minha realidade — e o filtro nacionalidade me pareceu o mais adequado.  A ideia surgiu depois de ter conhecido parte das histórias criadas por Agatha […]

Mesa Quadrada

Comentarista da ESPN Paulo Antunes fala da sua paixão por futebol americano e experiência no mercado financeiro

Ele conta sobre suas aventuras na cobertura de futebol americano e basquete e ainda revela seus investimentos na Bolsa em novo episódio do podcast Mesa Quadrada

Garantindo a oferta

Crescem ofertas de ações com reserva antecipada

As ancoragens normalmente conseguem atrair mais investidores, numa espécie de chancela prévia, com potencial impacto positivo no preço da ação.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies