Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-10-20T19:43:55-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Carros elétricos em alta

Para a Tesla (TSLA34) de Elon Musk, não há crise no setor automotivo: o terceiro trimestre teve lucro recorde

A Tesla (TSLA34) vai na contramão do restante do setor: a empresa de Elon Musk está vendendo mais carros e reportou um balanço forte no 3T21

20 de outubro de 2021
18:31 - atualizado às 19:43
Modelo S da Tesla (TSLA34), fabricante de automóveis elétricos do bilionário Elon Musk
Imagem: Shutterstock

Ao mesmo tempo em que participa da corrida espacial com Jeff Bezos e Richard Branson, o bilionário-celebridade Elon Musk também está envolvido em outra disputa, bem mais terrena: a do mercado automobilístico. É um setor em crise — e que, nem de longe, movimenta as manchetes como os foguetes da SpaceX. Mas o CEO da Tesla (TSLA34), definitivamente, não tem do que reclamar dos carros elétricos que o catapultaram à fama.

Enquanto os gigantes da indústria automotiva têm reportado quedas firmes no volume de entregas — GM, Honda e Ford estão sendo fortemente afetadas pela escassez de semicondutores e outros componentes —, a Tesla vai na contramão. Seu desempenho operacional só acelera: foram mais de 240 mil veículos entregues no terceiro trimestre, alta de 70% na base anual.

O bom momento foi confirmado nesta quarta-feira (20), com a divulgação de um balanço cheio de recordes. O lucro líquido no terceiro trimestre, por exemplo, foi de US$ 2,09 bilhões, mais que o dobro dos US$ 874 milhões reportados há um ano — é o melhor resultado para um período de três meses na história da Tesla.

O lucro por ação (LPA) de US$ 1,86 superou a média das projeções dos analistas ouvidos pela Bloomberg, de US$ 1,67. O lucro operacional de US$ 2 bilhões e a margem bruta de 26,6% também representam novos recordes trimestrais.

Números que dão tranquilidade à Musk — e o deixam livre para continuar brigando com os outros bilionários na corrida espacial.

Tesla: vendas e receita em alta

Atualmente, a Tesla conta com duas famílias de veículos elétricos, sendo que os modelos 3 e Y são as estrelas da companhia. Somente no terceiro trimestre, foram entregues 232 mil carros desse tipo, alta de 87% na base anual; os modelos S e X, mais luxuosos, estão em queda: menos de 9 mil unidades entregues, baixa de 47% em um ano.

Essa migração de portfólio, com protagonismo dos modelos mais baratos, poderia ter machucado a rentabilidade da Tesla. E, de fato, a receita líquida da empresa, de US$ 13,8 bilhões, ficou ligeiramente abaixo das expectativas dos analistas. Ainda assim, o crescimento menos intenso dos custos e despesas garantiu que as margens e o resultado operacional fossem recorde.

"A demanda por veículos elétricos continua passando por uma mudança estrutural", diz a Tesla, em mensagem aos acionistas. "Apesar de a fábrica em Fremont ter produzido mais carros nos últimos 12 meses que em qualquer outro ano, acreditamos que há espaço para avançar. Adicionalmente, continuamos expandindo nossas instalações em Xangai e aumentando a capacidade no Texas e em Berlin".

O mercado, agora, espera novidades quanto ao cronograma de produção da Cybertruck, a caminhonete elétrica da Tesla — mais um produto de Musk que provocou enorme frisson nas redes sociais.

Tesla, Musk e bitcoin

Outra questão que sempre está associada a Musk é o bitcoin (BTC) — o bilionário é um entusiasta das criptomoedas e, em diversas ocasiões, mexeu com a cotação dos ativos com seus tweets enfáticos sobre o tema. A Tesla, inclusive, chegou a receber pagamentos pelos carros em bitcoin ao longo do primeiro semestre desse ano.

Tanto é que, nos documentos arquivados na SEC (a CVM dos EUA), a Tesla reporta que, entre janeiro e junho, adquiriu US$ 1,5 bilhão em bitcoin. Por ora, não há atualização sobre eventuais movimentações nessa carteira ao longo do terceiro trimestre; a única informação revelada pela empresa é a de que foi feita uma provisão de US$ 51 milhões relacionada à criptomoeda.

Tesla: ações e BDRs (TSLA34)

Na Nasdaq, as ações da Tesla também vivem um bom momento: os papéis fecharam o pregão desta quarta-feira em leve alta de 0,18%, a US$ 865,80, muito perto das máximas históricas. Desde o começo do ano, os ganhos já chegam a 22%.

De certa maneira, os recordes reportados pela Tesla no terceiro trimestre já eram esperados pelo mercado, uma vez que os dados de produção foram divulgados dias antes. Sendo assim, a reação dos investidores no after market de Nova York é apenas tímida: por volta de 18h20 (horário de Brasília), as ações da Tesla recuavam 0,44%, a US$ 861,70.

Na B3, a empresa de Elon Musk possui BDRs sendo negociados, sob o código TSLA34. E, por aqui, a história se repete: os ativos também estão perto das máximas históricas — fecharam o pregão de hoje em leve queda de 0,33%, a R$ 150,80. No ano, avançam 33%.

Gráfico de linha mostrando o comportamento dos BDRs da Tesla (TSLA34) desde o começo do ano
Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

NOVATA NA FINAL

Não estranhe: patrocinadora da final entre Palmeiras e Flamengo é a nova corretora de criptomoedas do Brasil; conheça Crypto.bom

A exchange resolveu investir no segmento de esportes e patrocina Fórmula 1, NBA e até o campeonato europeu

Raio-X

Análise: Por que a alta da inflação pode ameaçar o pacote de infraestrutura de Joe Biden?

O presidente americano tem ambiciosos planos pela frente, mas a alta da inflação e gargalos estruturais da economia podem alterar o rumo

A SEMANA EM GRÁFICOS

Covid-19 pressiona aéreas, turismo, Ibovespa e bitcoin, mas inflação avança no mundo: entenda a última semana com estes gráficos

As companhias aéreas sofreram perdas significativas na bolsa esta semana e nem o bitcoin (BTC) conseguiu se salvar

O MELHOR DA SEMANA

Piora da covid no mundo e criptomoedas além do bitcoin (BTC): 5 assuntos mais lidos no Seu Dinheiro esta semana

O mercado já trabalhava amplamente com a visão do verdadeiro normal. Mas os mercados globais voltaram a entrar em pânico com a covid-19

PAPO CRIPTO #007

Tecnologia que criou o bitcoin (BTC) pode reduzir custo de captação de recursos em quase 70%, diz chefe de ativos digitais do BTG

“Empresas pequenas e médias têm menor possibilidade de acesso ao mercado de capitais, muito por causa dos custos envolvidos”, comenta

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies