Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-11-18T06:17:45-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Ações para ficar de olho

Quer investir em Itaú e XP? A Itaúsa (ITSA4) te dá exposição indireta — e está com preço descontado na bolsa

A Itaúsa (ITSA4) é uma holding de investimentos com posições relevantes no Itaú e na XP, mas que também tem fatias da Alpargatas e da Dexco

18 de novembro de 2021
6:12 - atualizado às 6:17

Se você deseja ser acionista da XP e acredita que suas ações têm espaço para continuar crescendo, há dois caminhos tradicionais: abrir uma conta numa corretora estrangeira e comprar os papéis negociados na Nasdaq ou adquirir os BDRs que são negociados na B3. Mas, se nenhuma dessas alternativas te agrada, há uma terceira saída — as ações PN da Itaúsa (ITSA4). No vídeo abaixo, nós explicamos um pouco mais sobre a tese de investimento nessa empresa:

A holding de investimentos, afinal, é dona de 559 milhões de ações da XP, o que equivale a 15,1% do capital social da empresa fundada por Guilherme Benchimol — uma fatia que, sozinha, vale mais de R$ 18 bilhões. Assim, comprar os papéis da Itaúsa oferece uma exposição indireta à XP e a muitas outras companhias.

E isso porque a Itaúsa possui participações relevantes em muitos outros negócios. O mais conhecido, naturalmente, é o Itaú (ITUB4) — ela é dona de 37,3% do banco. Mas a holding também possui investimentos relevantes em empresas como Dexco (DXCO3), Alpargatas (ALPA4) e Aegea Saneamento, apenas para citar alguns.

É um negócio semelhante ao que Warren Buffett conduz na Berkshire Hathaway: uma empresa que adquire participação em outras empresas, e vai administrando o seu portfólio de investimentos ao longo do tempo. Vendas de posição, compras de novas fatias, operações de fusão e aquisição — o sucesso depende da habilidade dos administradores para montar posição em empreendimentos bem-sucedidos.

E, de fato, as escolhas da Itaúsa têm sido certeiras. XP, Itaú, Alpargatas e Dexco tiveram resultados bastante fortes no terceiro trimestre deste ano, mostrando bastante resiliência num ambiente econômico turbulento; entre as empresas privadas, a Aegea destaca-se pelo rápido avanço no setor de saneamento.

Essas são as sete empresas cujo investimento da Itaúsa é mais relevante; Itaú e XP são, de longe, as mais pesadas em termos de valor de mercado

Itaúsa (ITSA4): investindo numa holding

Se somarmos o valor de mercado de todos os investimentos da Itaúsa ao fim do terceiro trimestre, chegamos à cifra de R$ 118,4 bilhões. O valor de mercado da empresa ao fim de setembro, no entanto, era menor: cerca de R$ 93,6 bilhões. Por que ela não corresponde à soma das partes?

É o chamado desconto de holding: como é necessário ter toda uma estrutura operacional e administrativa para gerenciar esse tipo de negócio, suas ações e seu valor de mercado passam por uma correção negativa. Questões tributárias que incidem sobre a empresa também provocam esse efeito.

Outro ponto relevante do desconto é o risco associado a esse tipo de negócio. Holdings investem em várias empresas, e é de se esperar que alguns dos empreendimentos tenham desempenhos melhores que outros — no caso da Itaúsa, a NTS teve um trimestre particularmente fraco. Assim, o risco de que algum dos investimentos não vá tão bem acaba desencadeando um desconto adicional.

Comparando o valor de mercado da Itaúsa com a soma dos valores de suas participações, chegamos a uma taxa de desconto de 20,9% — quanto menor essa porcentagem, mais próximos estão os dois dados. A Itaúsa considera que essa taxa é excessivamente alta, embora ela estivesse ainda mais elevada no passado recente; ao fim do segundo trimestre, ela era de 23,9%.

ITSA4: ações descontadas

Dito isso, o desempenho das ações PN da Itaúsa (ITSA4) está bastante fraco: queda de 12,5% desde o começo do ano, abaixo do próprio Ibovespa, que recua pouco mais de 11%. O comportamento chama ainda mais a atenção porque Itaú PN (ITUB4), Alpargatas PN (ALPA4), Dexco ON (DEXC3) e XP estão todos com desempenhos melhores — ou possuem baixas menos intensas, ou acumulam ganhos em 2021.

Esse mau desempenho de ITSA4 é apontado por muitos analistas como um potencial ponto de entrada, dado o bom momento vivido pelas empresas em que ela tem investimento — seu lucro líquido cresceu 32,4% em um ano, chegando a R$ 2,4 bilhões ao fim do terceiro trimestre.

Em termos de valuation, ITSA4 é negociada abaixo de sua média de três anos, de acordo com dados do TradeMap:

  • Preço/lucro: 6,7x atualmente, 8,7x projetado para 2022 (média de três anos de 10,9x);
  • EV/Ebitda: 6,1x atualmente (média de três anos de 9,4x).

Ainda de acordo com o TradeMap, ITSA4 possui 8 recomendações de compra e 3 neutras, com preço-alvo médio de R$ 13,66 — o que representa um potencial de alta de 35% em relação às cotações atuais.

Para saber com mais detalhes sobre a tese de investimento em Itaúsa e a dinâmica de suas participações em outras empresas, basta dar play no vídeo abaixo:

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

NOVATA NA FINAL

Não estranhe: patrocinadora da final entre Palmeiras e Flamengo é a nova corretora de criptomoedas do Brasil; conheça Crypto.bom

A exchange resolveu investir no segmento de esportes e patrocina Fórmula 1, NBA e até o campeonato europeu

Raio-X

Análise: Por que a alta da inflação pode ameaçar o pacote de infraestrutura de Joe Biden?

O presidente americano tem ambiciosos planos pela frente, mas a alta da inflação e gargalos estruturais da economia podem alterar o rumo

A SEMANA EM GRÁFICOS

Covid-19 pressiona aéreas, turismo, Ibovespa e bitcoin, mas inflação avança no mundo: entenda a última semana com estes gráficos

As companhias aéreas sofreram perdas significativas na bolsa esta semana e nem o bitcoin (BTC) conseguiu se salvar

O MELHOR DA SEMANA

Piora da covid no mundo e criptomoedas além do bitcoin (BTC): 5 assuntos mais lidos no Seu Dinheiro esta semana

O mercado já trabalhava amplamente com a visão do verdadeiro normal. Mas os mercados globais voltaram a entrar em pânico com a covid-19

PAPO CRIPTO #007

Tecnologia que criou o bitcoin (BTC) pode reduzir custo de captação de recursos em quase 70%, diz chefe de ativos digitais do BTG

“Empresas pequenas e médias têm menor possibilidade de acesso ao mercado de capitais, muito por causa dos custos envolvidos”, comenta

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies