Menu
2021-05-26T20:14:10-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
agora vai?

Dotz retoma IPO, restringe oferta e pode levantar R$ 620 milhões

Empresa fechou acordos para investidores ancorarem oferta, que dessa vez será restrita e apenas de distribuição primária; plano inicial era movimentar R$ 1,1 bilhão

26 de maio de 2021
19:54 - atualizado às 20:14
Dotz IPO
Imagem: Divulgação

A empresa de programas de fidelidade Dotz retomou o processo de abertura de capital, interrompido em 13 de maio, mas restringindo a oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) a um grupo de até 75 grandes investidores.

A distribuição inicial será de 29,6 milhões de ações, com faixa indicativa de preço entre R$ 13,20 e R$ 16,20, mas a empresa pode levantar até R$ 620 milhões — considerando o preço médio da faixa indicativa, de R$ 14,70, e a venda de um lote suplementar e adicional.

O montante chegaria a R$ 435,1 milhões, sem considerar as ações adicionais e suplementares. O preço por ação deve ser definido nesta quinta-feira (27) e a companhia estreia na B3 no próximo dia 31, conforme cronograma divulgado pela empresa.

Em um primeiro momento, o plano da Dotz era movimentar R$ 1,1 bilhão na oferta, mas empresa interrompeu o IPO por conta do mau humor do mercado — apesar da ancoragem de grandes investidores.

Para a oferta restrita, a Dotz e o acionista controlador, o fundo Ascet I, fecharam acordos com LA DZ Holdco LLC — veículo de investimento do SoftBank —, Velt Partners, Fourth Sail e o FIP San Siro — veículo de investimento da Farallon Latin America.

Caso a oferta seja realizada por um valor total de no mínimo R$ 420 milhões e com R$ 100 milhões de investidores que não os de referência, os investidores âncora devem garantir R$ 293 milhões — R$ 100 milhões do LA DZ, R$ 75 milhões da Velt, R$ 53 milhões do Fourth Sail e R$ 65 milhões do FIP San Siro.

Se o valor subscrito pelo investidores que não os de referência corresponder a R$ 70 milhões, os investidores âncora garantem R$ 278 milhões — R$ 100 milhões do LA DZ, R$ 60 milhões da Velt, R$ 53 milhões do Fourth Sail e R$ 65 milhões do FIP San Siro.

Considerando o ponto mínimo da faixa indicativa e assumindo um investimento de R$ 293 milhões pelos investidores âncora, o montante de ações objeto dos acordos chega a 22.196.969, diz a Dotz.

Os coordenadores da oferta são Banco BTG Pactual, Itaú BBA, UBS Brasil Corretora e Credit Suisse.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

atenção, acionista

Carrefour paga R$ 175 milhões em juros sobre capital próprio e altera valor de dividendos

Cifra equivale a R$ 0,088148225 por ação em circulação; também anunciou uma modificação do valor por ação dos dividendos aprovados em abril, de R$ 0,382372952 para R$ 0,382361396

maior apetite por risco

Empresas do Brasil captam US$ 4,6 bilhões; montante deve aumentar com ofertas de Stone e Light

Emissores brasileiros haviam paralisado planos de captar no exterior nos últimos meses, em meio à turbulência interna com a pandemia e o aumento do juro norte-americano

em meio ao aumento de consumo de frango

SuperFrango, de Goiás, retomará IPO de R$ 1 bilhão

Após resolver adiar a operação, a empresa fará uma apresentação mais cuidadosa de seu negócio aos analistas; oferta é estimada entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão

levantamento

Estatais descumprem critérios do marco do saneamento

GO Associados calculou que as companhias públicas do Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Alagoas, Maranhão, Amazonas, Pará, Piauí, Roraima, Rondônia e Amapá não atendem a todos os critérios da “etapa 1” do decreto – que prevê o cumprimento de índices mínimos dos indicadores econômicos-financeiros

questionamentos em brasília

Novo marco de saneamento é alvo de ofensiva no Supremo e no Congresso

No Supremo, mais de 20 empresas estatais que prestam hoje serviços no setor querem a volta da possibilidade de fechar os chamados “contratos de programa”, diretamente com as Prefeituras e sem licitação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies