⚽️ Jogos das quartas-de-final começam a se desenhar; confira os dias da próxima fase

Cotações por TradingView
2021-03-26T18:48:25-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
timing ruim

Cogna adia balanço, e ações têm uma das maiores quedas do Ibovespa

Maior grupo de educação enfrentou grandes dificuldades em 2020 por conta da pandemia e os efeitos do fim do Fies

26 de março de 2021
15:29 - atualizado às 18:48
Painel colorido com o símbolo da Cogna
Imagem: Divulgação/Cogna

As ações do grupo de educação Cogna (COGN3) registraram a maior queda entre os nomes que compõem o Ibovespa nesta sexta-feira (26), depois que ela adiou a divulgações dos resultados do quarto trimestre, inicialmente previstos para hoje, para 31 de março – último dia da temporada de balanços. Os papéis fecharam em baixa de 4,01%, a R$ 3,83.

O adiamento da divulgação dos resultados ocorre num momento em que a Cogna está no radar dos investidores, e não por um bom motivo. Ela, junto com outras empresas do ramo de educação, foi duramente afetada pela pandemia, que motivou o fechamento de escolas e universidades, além de sentir os efeitos do fim do programa de financiamento estudantil do governo federal Fies.

A frente de ensino presencial representa cerca de 55% do lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) da Cogna. E o Fies ajudou a transformar a companhia na maior empresa de educação do país – no terceiro trimestre, a quantidade de alunos com cursos bancados pelo governo caiu 59% em relação ao mesmo período de 2019.

A combinação de crise econômica e perda de uma importante fonte de renda pegou em cheio a Cogna no ano passado, fazendo suas ações acumularem queda de 60% em 2020. Neste ano, o recuo chega a 15%.

Já havia pouca expectativa de que os resultados do quarto trimestre mostrassem uma melhora significativa da situação, e o adiamento da divulgação do balanço não ajudou a dar tranquilidade aos acionistas.

A empresa já informou que deve levar cinco anos para recuperar os níveis de Ebitda obtidos em 2019. Para 2020, ela espera registrar um Ebitda recorrente de R$ 1 bilhão, um tombo de 59% em relação ao montante de 2019.

A Cogna informou ainda que a geração de caixa operacional após os investimentos deve ficar em R$ 230 milhões em 2020 — queda de 43% em relação a 2019 — e em R$ 1 bilhão em 2024.

Hora da virada

Para cumprir a meta de recuperar o patamar do Ebitda, a Cogna embarcou num processo de reestruturação.

Com forte presença no ensino superior, a empresa realizou uma reestruturação nas operações presenciais, concluída no quarto trimestre, fechando 25% de seus campi.  

A ideia é investir em cursos com ticket maior, como é o caso de medicina, e investir mais em ensino a distância (EAD), além de criar um “marketplace” (shopping virtual) com uma série de cursos.

Ela também decidiu não ter mais colégios próprios, mercado em que entrou há três anos. Ela vendeu esses ativos para a Eleva Educação, empresa de ensino básico que tem como sócio o bilionário Jorge Paulo Lemann. Mas não saiu do segmento, tendo adquirido a Editora Eleva, produtora e fornecedora de materiais didáticos e sistemas de ensino.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

SEU DINHEIRO NA COPA

Jogos das quartas-de-final começam a se desenhar; confira as datas da próxima fase da Copa do Mundo

4 de dezembro de 2022 - 17:53

Holanda e Argentina foram os primeiros times classificados para a próxima fase do Mundial do Catar; Brasil tenta vaga na segunda-feira (05) contra a Coreia do Sul

FINAL DE SEMANA EM CRIPTO

Na corda bamba: bitcoin (BTC) luta pelo patamar de US$ 17 mil com volatilidade à vista

4 de dezembro de 2022 - 16:08

Sem grandes indicadores para a semana que está começando, os investidores em criptomoedas devem permanecer atentos aos próximos passos da política monetária do Federal Reserve

A CARTEIRA DOS GRANDES

A nova aposta de Bill Ackman: megainvestidor tem grande posição vendida contra uma moeda global; saiba qual

4 de dezembro de 2022 - 14:01

O aumento agressivo da taxa de juro pelo Federal Reserve, o banco central norte-americano, neste ano pressiona paridade e força reposicionamento de Ackman

OPEP+

Putin influenciou? A decisão dos produtores de petróleo após o teto de preços da Europa e a ameaça da Rússia

4 de dezembro de 2022 - 11:49

Presidente russo disse que vai cortar o fornecimento da commodity para os países europeus que adotarem o limite de US$ 60 para o barril russo — a ameaça bateu também na porta da Opep e de seus aliados

ACUMULOU

Mega-Sena: ninguém acerta e prêmio sobe para R$ 115 milhões; saiba como ter mais chances de acertar as seis dezenas

4 de dezembro de 2022 - 9:23

Segundo a Caixa, o próximo sorteio acontece na quarta-feira, dia 7 de dezembro, e quem vencer pode levar uma bolada para casa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies