⚽️ Brasil enfrenta a Coreia do Sul na próxima fase; confira os dias dos próximos jogos

Cotações por TradingView
2021-07-21T19:47:28-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
temporada de resultados

Arezzo, Vivara, Assaí e farmácias devem ser destaque entre balanços de varejistas no 2º trimestre, diz XP

Analistas esperam crescimento “sólido” dos resultados do setor, com destaque para varejistas tradicionais; em e-commerce, Via deve registrar avanço do marketplace

21 de julho de 2021
15:10 - atualizado às 19:47
Varejistas Arezzo Vivara Gráfico Sacolas
Imagem: Shuterstock, com intervenção de Andrei Morais

A temporada de balanços do segundo trimestre para o varejo deve exibir um crescimento sólido dos resultados. Empresas tradicionais e farmácias são os segmentos mais proeminentes do período, disse a XP em relatório.

A avaliação da corretora sobre o setor é feita levando em conta uma reabertura maior da economia a partir de abril e o Dia das Mães, que teria beneficiado o varejo físico.

Nas contas da casa, Arezzo, Vivara, Assaí, d1000, Pague Menos e RaiaDrogasil podem apresentar os avanços mais expressivos do setor.

  • Arezzo (ARZZ3): projeção de receita líquida de R$ 550 milhões (+256% A/A e + 40% vs. 2T19) "dada a recuperação econômica combinada a um sólido desempenho orgânico da Reserva", diz a XP.

O Ebitda da companhia no período seria de R$ 77 milhões, e o lucro líquido consolidado em R$ 41 milhões, ainda de acordo com a casa.

"Com relação à rentabilidade [da Arezzo], esperamos que a margem bruta permaneça em patamares sólidos, em 52,5%, em função da melhor gestão dos estoques e do impacto positivo da Reserva no mix da companhia".

Varejo alimentar com altos e baixos; Vivara avança

A XP fala em resultados mistos para o varejo alimentar, com números mais fracos para supermercados, enquanto o atacarejo deve se manter sólido "uma vez que os consumidores continuam comprando no canal".

  • Assaí (ASAI3): vendas crescendo 22% A/A, "devido à sólida expansão de SSS (vendas mesmas lojas) em +10% A/A combinada à expansão/maturação de lojas, apesar da base de comparação difícil". Lucro líquido seria de R$ 281 milhões (+50% A/A).

"Ao contrário de outras empresas do setor, esperamos ver expansão na margem bruta para 16,5% (+3,0 p.p. A/A) com expansão da margem Ebitda ajustado de 0,9 p.p. A/A para 7,3%, devido à alavancagem operacional", diz a XP.

Para a Vivara, a lucratividade deve ser outro destaque positivo, "já que a margem bruta deve ficar estável em 67,5%, apesar do aumento nos custos das matérias-primas, enquanto o Ebitda ajustado (ex-IFRS) deve ficar em R$ 69 milhões", dizem os analistas.

  • Vivara (VIVA3): projeção de receita líquida crescendo +147% A/A e +12% vs. 2T19 e de lucro líquido a R$ 56 milhões.

Em farmácias, reajustes dos preços entram na conta

Para o segmento de farmácias, a grande influência seria a o do reajuste de preços de medicamentos em 8%, na média, segundo os analistas Danniela Eiger, Thiago Suedt e Gustavo Senday.

O grupo acrescenta que as companhias deste segmento têm uma base fraca em relação à rentabilidade, dado que o aumento de preço do ano passado foi postergado para o terceiro trimestre.

  • d1000 (DMVF3): Crescimento de +25% A/A da receita bruta, expansão de 1,4 p.p A/A da margem bruta e melhora da margem Ebitda devido à alavancagem operacional, projeta a XP.

A d1000 deve ter prejuízo líquido de R$ 5 milhões, impactado por efeitos fiscais, enquanto a geração de caixa deverá atingir um equilíbrio.

  • Pague Menos (PGMN3): crescimento de vendas mesma lojas (SSS) de +19% A/A (+18% para lojas maduras), com a receita bruta avançando +17% A/A, diz a corretora.

Margem bruta da Pague Menos seria de 30,8% (+1,5 p.p A/A), enquanto a reestruturação interna e a alavancagem operacional devem elevar a margem Ebitda para 5,9% (+1,2 p.p A/A). A XP projeta lucro líquido de R$ 41 milhões.

  • RaiaDrogasil (RADL3): crescimento de vendas mesmas lojas (SSS) de +20% A/A (+15% para lojas maduras) e de +29% para a receita bruta. A projeção é lucro líquido de R$ 209 milhões.

A XP fala em expansão de 0,7 p.p A/A da margem bruta da RD, com o ganho de estoque e o reajuste de preços mais que compensando a maior penetração do canal online. A margem Ebitda deve alcançar 7,8% (+2,9 p.p. A/A) devido à alavancagem operacional.

E o e-commerce?

Um dos maiores destaques da pandemia, o segmento de e-commerce deve apresentar resultados sólidos, apesar da forte base de comparação.

A XP fala em crescimento do canal online na base anual, mas desacelerando quando comparado aos trimestres anteriores.

Segundo os analistas da casa, a Via será o destaque positivo, principalmente devido à aceleração do crescimento do seu marketplace, enquanto Mosaico deve ser o destaque negativo por conta de "condições desafiadoras no trimestre".

  • Via (VVAR3): Crescimento do GMV total de +50% A/A, impulsionado pelas lojas físicas (+117% A/A), que foram beneficiadas pela fraca base de comparação do segundo trimestre. Lucro líquido seria de R$ 73 milhões, positivamente impactado por efeitos fiscais não recorrentes.

"Apesar da forte base para o e-commerce, estimamos um crescimento do GMV de +21% A/A (vs. +123% no 1T21), fortalecido pela aceleração do marketplace (+65% A/A), enquanto o 1P (estoque próprio) deve desacelerar para +12% A/A".

A companhia continua expandindo seu marketplace através da adição de novos sellers e de incentivos comerciais, lembra a XP.

A expectativa é de uma margem bruta estável, enquanto a margem Ebitda ajustada deverá se expandir em 1,4 p.p. devido à alavancagem operacional.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

DE OLHO NAS FÉRIAS

Vai viajar? Dólar desvaloriza 6,5% frente ao real no ano — saiba o que mexe com o mercado de câmbio

3 de dezembro de 2022 - 11:32

Após uma sequência de quatro pregões de queda firme, período em que acumulou queda de 3,94%, a moeda norte-americana subiu na sexta-feira (02)

SOBE E DESCE

Locaweb (LWSA3) lidera pelotão de altas do Ibovespa na semana e Marfrig (MRFG3) vai na direção oposta — veja o que foi destaque na bolsa

3 de dezembro de 2022 - 10:34

Lá fora, as negociações da semana continuaram sendo marcadas pela expectativa em torno da condução da política monetária do Federal Reserve; por aqui, o principal índice da B3 acumulou ganhos de 2,70%

SEU DINHEIRO NA COPA

Brasil segue favorito mesmo após primeira derrota na Copa; confira as seleções queridinhas das oitavas entre os apostadores

3 de dezembro de 2022 - 9:14

Já classificado, Tite escalou um time recheado de reservas que acabou perdendo de 1 x 0 para os camaroneses, que ficaram fora do mundial

Aperta o play!

Copom realiza última reunião do ano na próxima quarta (07); o que esperar para a Selic daqui para frente?

3 de dezembro de 2022 - 8:00

No podcast Touros e Ursos desta semana, falamos sobre as incertezas fiscais que cercam a decisão de juros do Copom e como investir neste cenário

FECHAMENTO DO DIA

Poeira assenta em Brasília e Ibovespa sobe quase 3% na semana; dólar cai a R$ 5,21

2 de dezembro de 2022 - 19:29

Em Nova York, no entanto, o clima foi de cautela. O payroll, o raio-X do mercado de trabalho americano e um dos dados mais importantes para o Federal Reserve na decisão de política monetária, mostrou uma força maior do que a esperada

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies