Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-06-22T18:51:28-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Aperto monetário

Vem aí uma alta de 1 ponto na Selic? Por que o mercado elevou as projeções para os juros após a ata do Copom

Juro básico da economia pode subir para 5,25% ao ano já em agosto se o Copom decidir apertar o ritmo de elevação da Selic para conter as pressões inflacionárias

22 de junho de 2021
12:36 - atualizado às 18:51
juros selic taxas
Imagem: Shutterstock

Vem aí uma alta de 1 ponto percentual da taxa básica de juros (Selic)? Essa passou a ser a visão de parte do mercado após a divulgação da ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom).

Na semana passada, os diretores do Banco Central decidiram elevar a Selic em mais 0,75 ponto percentual, para 4,25% ao ano, e indicaram uma nova elevação da mesma magnitude na próxima reunião, marcada para o início de agosto.

Só que o tom mais duro da ata divulgada na manhã desta terça-feira levou o mercado a recalibrar as projeções para uma elevação de 1 ponto percentual, que levaria o juro básico da economia para 5,25% ao ano.

O ponto que mais chamou a atenção dos analistas foi o parágrafo 15 do documento, no qual o Copom informa que chegou a avaliar “uma redução mais tempestiva dos estímulos monetários já nesta reunião”.

“Considerando os diversos cenários alternativos, o Comitê entendeu que a melhor estratégia seria a manutenção do atual ritmo de redução de estímulos, mas destacando a possibilidade de ajuste mais tempestivo na próxima reunião”, escreveu o Copom, na ata.

O Copom também destacou que “o compromisso inequívoco do Banco Central é com a convergência da inflação para a meta no horizonte relevante e os passos futuros da política monetária são livremente ajustados com esse objetivo”.

Leia também:

No mercado, essa consideração foi interpretada como um sinal de que o BC deve partir para uma linha mais firme de combate à inflação usando a sua principal arma: a Selic.

Após a divulgação da ata, o Itaú Unibanco decidiu revisar a projeção de alta para os juros e passou a fazer parte do grupo dos que esperam uma alta de 1 ponto percentual.

A equipe liderada pelo economista Mario Mesquita, ex-diretor do BC, espera ainda outros dois aumentos na Selic, de 0,75 ponto e 0,50 ponto, para 6,50% ao ano no fim do ciclo de alta.

Quem também revisou para cima o ritmo de ajuste da Selic foi o Bank of America. Além de esperar por uma alta de 1 ponto percentual dos juros pelo Copom na próxima reunião, o banco norte-americano agora espera que o fim do ciclo de aperto monetário termine apenas quando as taxas chegarem aos 7% ao ano.

Entre os que mantiveram a previsão de alta de 0,75 ponto da Selic está o Alberto Ramos, economista para a América Latina do Goldman Sachs. Ainda assim, ele passou a projetar uma probabilidade maior de elevação de 1 ponto e também de que os juros subam para um patamar de 7% ao ano ou mais em 2022.

A indicação de que a Selic deve subir mais no curto prazo também se reflete nos juros futuros negociados na B3 e na bolsa nesta terça-feira. A ponta mais curta da curva passa por ajustes intensos, embora o mercado ainda precifique taxas abaixo de 6% ao fim desse ano:

  • Janeiro/22: de 5,61% para 5,73%;
  • Janeiro/23: de 7,11% para 7,25%;
  • Janeiro/24: de 7,81% para 7,87%;
  • Janeiro/25: de 8,19% para 8,20%.

Saiba também como ficam seus investimentos quando a Selic sobe no vídeo abaixo:

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Balanço trimestral

Vai gerar insegurança? BB Seguridade (BBSE3) tem resultados abaixo da expectativa de analistas

O lucro líquido do segundo trimestre foi de R$ 753,7 milhões de reais, resultado 23,2% menor que o registrado um ano antes

O melhor do seu dinheiro

A corrida dos bilhões com barreiras nos balanços da semana e outras notícias que mexem com o seu dinheiro

Bom dia! Prepare-se para ler muitas vezes a palavra “bilhão” ao longo desta semana nas reportagens do Seu Dinheiro. Com a temporada de balanços na fase decisiva, estão programados para os próximos dias os resultados dos três maiores bancos brasileiros — Banco do Brasil, Itaú e Bradesco. Em outros tempos, os lucros bilionários projetados para […]

segredos da bolsa

Esquenta dos mercados: Copom e payroll devem movimentar os negócios junto com balanços dos grandes bancos

Além disso, os mercados amanheceram com apetite de risco nesta-segunda-feira; confira

Decolagem vertical

De olho nas cidades, Azul fecha parceria com startup alemã para ter carro voador

Acordo prevê a aquisição de 220 aeronaves fabricados pela Lilium, com um valor que pode chegar a US$ 1 bilhão e operação a partir de 2025

cardápio da semana

Itaú, Bradesco, BB e Petrobras divulgam resultados nesta semana; saiba o que esperar

Depois do baque com o início da pandemia, companhias que fazem parte do Ibovespa devem registrar uma alta anual de 255% do lucro por ação; veja agenda da semana

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies