2021-09-22T06:10:43-03:00
Estadão Conteúdo
AINDA SEM ACORDO COM REPUBLICANOS

Na Câmara, democratas aprovam suspensão de teto de dívida nos EUA

Projeto segue agora para o Senado; aprovação é fundamental para evitar o chamado fechamento do governo, mas impasse coloca medida em risco

22 de setembro de 2021
6:10
Capitólio dos Estados Unidos, onde se reúne o Congresso americano
Capitólio dos Estados Unidos, onde se reúne o Congresso americano. - Imagem: Shutterstock

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou na noite de ontem um projeto de lei para manter o governo financiado até o início de dezembro, suspendendo seu limite de endividamento até 2022.

Entretanto, ainda não foi encontrada uma solução para o impasse entre democratas e republicanos que pode barrar a aprovação da medida no Senado.

Faltando menos de duas semanas para o atual financiamento do governo expirar, o que está previsto para 1º de outubro, a Câmara aprovou em uma votação claramente dividida em linhas partidárias, com 220 votos a favor e 211 contra, um pacote revelado no início do dia que financiaria o governo até 3 de dezembro de 2021 e suspenderia o teto da dívida até 16 de dezembro de 2022.

Medidas emergenciais

O Departamento do Tesouro recorre atualmente a medidas de emergência para cobrir as contas por vários meses até que o limite de endividamento seja aumentado ou suspenso novamente.

O Senado deve votar a medida entre o fim desta semana e o início da próxima, de acordo com assessores.

Líderes democratas anunciaram ontem que combinariam duas medidas, apesar da ampla resistência do Partido Republicano em aumentar o limite da dívida, garantindo que a ameaça de uma paralisação parcial do governo no mês que vem estaria ligada à possibilidade de o governo federal não ser capaz de pagar suas contas a tempo.

Contra o relógio

Líderes no Congresso norte-americano correm contra o relógio para dar ao Senado tempo para descobrir como quebrar o impasse.

Os republicanos alegam se opor à votação para aumentar o teto da dívida em protesto contra os trilhões em gastos que os democratas estão tentando aprovar no Congresso sem o apoio do partido de oposição.

O impasse alarmou analistas de Wall Street e líderes empresariais, que nas últimas semanas emitiram alertas sobre um risco crescente de um calote técnico, no qual o governo pode ser incapaz de efetuar todos os seus pagamentos regulares integralmente e dentro do prazo. A ameaça de tal default pode prejudicar os mercados e afetar o crescimento econômico dos EUA.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

A SEMANA EM GRÁFICOS

Covid-19 pressiona aéreas, turismo, Ibovespa e bitcoin, mas inflação avança no mundo: entenda a última semana com estes gráficos

As companhias aéreas sofreram perdas significativas na bolsa esta semana e nem o bitcoin (BTC) conseguiu se salvar

O MELHOR DA SEMANA

Piora da covid no mundo e criptomoedas além do bitcoin (BTC): 5 assuntos mais lidos no Seu Dinheiro esta semana

O mercado já trabalhava amplamente com a visão do verdadeiro normal. Mas os mercados globais voltaram a entrar em pânico com a covid-19

PAPO CRIPTO #007

Tecnologia que criou o bitcoin (BTC) pode reduzir custo de captação de recursos em quase 70%, diz chefe de ativos digitais do BTG

“Empresas pequenas e médias têm menor possibilidade de acesso ao mercado de capitais, muito por causa dos custos envolvidos”, comenta

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Nova variante vira a mesa nos mercados, bitcoin entra em ‘bear market’ e outros destaques do dia

Se você já estava pronto para tirar o pó da sua fantasia de Carnaval, talvez seja melhor esperar mais um pouco. Além de algumas cidades brasileiras terem decidido adiar a festança por mais um ano, uma reviravolta no andamento da pandemia deixou mais uma vez o mundo em pânico. A variante B.1.1.529 (batizada de ômicron […]

FECHAMENTO DA SEMANA

Nova cepa do coronavírus pega mercado de surpresa; Ibovespa recua quase 4% no dia e apaga ganhos da semana

Ao longo da semana, o Ibovespa também foi pressionado pela indefinição em torno da PEC dos precatórios e a pausa para o feriado nos Estados Unidos