Menu
Jojo Wachsmann
Diário de Bordo
Jojo Wachsmann
É CIO e sócio fundador da Vitreo.
Dados da Bolsa por TradingView
2021-08-18T09:37:58-03:00
Coluna do jojo

Bolsa hoje: agenda local mais fraca gera expectativa de alguma caça às barganhas

Com dia mais calmo na bolsa brasileira, há expectativa de alguma caça às barganhas diante das realizações que estamos verificando com o Ibovespa; lá fora destaque é ata do Fed

18 de agosto de 2021
9:37
Coluna Jojo
Imagem: Feitiço do Tempo (1993)

Com agenda local mais fraca, há expectativa de alguma caça às barganhas diante das realizações que estamos verificando na bolsa com o Ibovespa, mas o humor está bem difícil de ser gerenciado. Lá fora, depois de o índice S&P 500 de Wall Street ter caído na terça-feira (17) de uma alta recorde, o grande destaque de hoje (18) é a ata do Fed nos EUA, que dará maiores detalhes sobre o último encontro do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), responsável pela decisão de política monetária na terra do Tio Sam.

Espera-se, portanto, que a quarta-feira nos reserve alguma atualização sobre quando o banco central americano pode começar a reduzir as compras de títulos que injetam dinheiro no sistema financeiro. Algumas autoridades do Fed, citando o forte crescimento das contratações e o aumento da inflação, dizem que a normalização da política deve começar em breve, enquanto outros argumentam que é preciso dados econômicos mais sólidos para garantir que uma recuperação seja estabelecida.

Mais do mesmo

Repetindo o que temos verificado nas últimas tentativas, foi retirado de pauta o projeto de lei (PL) da reforma do Imposto de Renda, com 390 votos pelo adiamento. Novamente, caberá ao relator aperfeiçoar o relatório naquilo que for possível, para que não gere aumento do déficit fiscal, acolhendo várias sugestões – a colcha de retalhos mais famosa do Brasil nas últimas semanas.

Se a reforma tributária não anima, talvez caiba à administrativa agradar um pouco. O deputado Arthur Maia (DEM-BA), relator do texto na Comissão Especial da Câmara, afirmou que apresentará seu parecer na próxima semana – espera-se que o início da análise pelo Plenário da Câmara possa ocorrer apenas a partir da segunda semana de setembro.

Enquanto isso, dois outros fatos são relevantes para acompanhar:

  • i) a reunião entre o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para discutir relação entre os Poderes; e
  • ii) o Tribunal de Contas da União (TCU) vota o edital do leilão do 5G. Ambos os fatores têm potencial de trazer otimismo para ativos de risco locais.

E corrigiu na véspera da ata

O índice S&P 500 quebrou uma sequência de cinco dias de vitórias ontem (17), ficando logo abaixo do que poderia ter sido seu 50º recorde de alta em 2021. O que justifica o movimento de correção é a pandemia, que, com sua variante delta, ameaça a retomada econômica, renovando o movimento de restrições na Oceania e na Ásia – por enquanto, os investidores entendem que a onda atual não será como as anteriores, mas ainda haverá impactos negativos em indústrias e empresas individuais.

O movimento se dá na véspera da divulgação da ata do Fed, marcada para hoje. A autoridade monetária americana está claramente se movendo para se juntar a outros bancos centrais na redução de suas compras de títulos, mas a questão é com que rapidez será realizado o movimento – provavelmente, o documento de hoje nos dará um cheiro de como serão as discussões no simpósio de verão de Jackson Hole na próxima semana (espera-se uma decisão no quarto trimestre e ação depois disso).

Saída de recursos de emergentes, em especial do Brasil

Desde o início do segundo semestre, ocorre uma rotação dos mercados emergentes para os desenvolvidos, com aprofundamento do movimento em agosto e potencial de continuar no curto prazo.

Um dos motivos para isso?

Bem, estamos na segunda metade de agosto, o que enseja um volume de negócios relativamente mais baixo diante do fato de as pessoas simplesmente terem outras coisas em suas mentes no meio de suas férias de verão – tradicionalmente, as férias de verão no hemisfério norte trazem um tom negativo para os emergentes.

De qualquer forma, as subsequentes vendas acendem um sinal amarelo, apesar da característica predominantemente técnica da questão. Os dados da Bloomberg mostram que os fundos negociados em Bolsa (ETFs) dos mercados emergentes tiveram a maior retirada de dinheiro na semana passada em muito tempo, em especial graças aos crescentes riscos políticos e econômicos brasileiros.

O aumento das tensões políticas na maior economia da América Latina forçou os gestores de dinheiro a puxar US$ 158,2 milhões de ETFs de ações brasileiras na semana encerrada em 13 de agosto. Como resultado, os ETFs de emergentes listados nos EUA viram sua maior saída semanal desde setembro passado. O fenômeno da falta de investimento gringo nos ajuda a entender como viemos de 130 mil pontos para baixo dos 120 mil. Veja como foi o fechamento da bolsa na última terça-feira (17), dia que o Ibovespa zerou os ganhos do ano.

Anote aí!

A inflação dos preços ao consumidor na Zona do Euro caiu notavelmente – o indicador mostrou contração de -0,1% em julho frente ao mês anterior, sendo que a inflação na comparação anual ainda sobe 2,2%. Contudo, a desaceleração é parcialmente explicada pelas peculiaridades do ajuste sazonal, que temporariamente empurrou para cima os dados de junho. O dado veio em linha, mas as Bolsas europeias realizam lucros mais uma vez nesta manhã.

Nos EUA, além da ata da reunião de política monetária do final de julho, também contamos com o novo relatório de construção residencial para julho. Já no Brasil, destaque para a primeira rodada da reunião trimestral dos diretores do BC com economistas, com a inflação no topo das preocupações – pode gerar pressão na curva de juros e, consequentemente, no câmbio, como fez a fala de Roberto Campos Neto ontem. Confira aqui a fala completa. O presidente do BC garantiu que o Copom “fará tudo” o que for preciso para cumprir a meta.

Muda o que na minha vida?

Todo mundo espera ansiosamente a ata da reunião do Fomc, que deverá observar a inflação nos EUA surpreendendo positivamente, embora ainda não haja consenso sobre por quanto tempo a inflação mais alta poderia persistir – quem sabe já nos dão alguma sinalização neste sentido no documento de hoje.

Espera-se que a maioria dos participantes acredite que os riscos de inflação estejam agora inclinados para cima, já que interrupções no fornecimento e escassez de mão de obra podem durar por mais tempo e ter efeitos maiores ou mais persistentes sobre os preços e salários. Com isso, projeta-se que o recente aumento da inflação diminua até o final do ano, à medida que as interrupções relacionadas à pandemia e os efeitos de base se dissipem.

No longo prazo, a inflação deve ser mais alta do que antes da pandemia. As consequências de uma conclusão como essa em um mundo de muita liquidez como o que temos hoje ainda estão sendo avaliadas. O simpósio de Jackson Hole na semana que vem poderá também nos dar alguma sinalização neste sentido. Por enquanto, porém, teremos que nos contentar com a ata do Fed.

Fique de olho!

Chegou sua oportunidade de investir em empresas globais que, ao nosso ver, estão se beneficiando diretamente com a revolução Blockchain.

Acreditamos que a tecnologia que causará o maior impacto sobre o futuro da economia mundial já faz parte do dia a dia das maiores empresas do mundo, como AMD, Boeing, Tesla, PayPal, Samsung e inúmeras outras.

Segundo os estudos da Statista, esse mercado foi avaliado em US$ 1,57 bilhão em 2018. Para o ano de 2027, a previsão é de um crescimento de mais de cem vezes, atingindo US$ 163 bilhões. 

A comparação mais próxima com o que está prestes a acontecer com Blockchain é o que aconteceu nos anos 90 com o “boom da internet”. 

Inicialmente, a maioria das pessoas não tinha ideia do que era a Internet. 

Porém, logo em seguida, a tecnologia atingiu um ponto de inflexão e o grande público começou a usá-la desenfreadamente. 

A internet e as criptomoedas democratizaram a sociedade ao tornar o mundo um lugar dinâmico e sem fronteiras. 

Entretanto, há muito ainda para desbravar neste universo de possibilidades e novas formas de se relacionar com o Blockchain. 

E, com isso, se abrem novas oportunidades para que os investidores mais atentos busquem seus possíveis lucros no setor.

Por isso, estamos aqui trazendo uma oportunidade do futuro para você aproveitar hoje: o Blockchain Ações – o primeiro fundo do Brasil ligado à tecnologia Blockchain totalmente voltado para o público geral.

O fundo recém-lançado investe apenas em ações de empresas regulamentadas que se beneficiam ou desenvolvem a tecnologia Blockchain. 

Se você quer entrar ANTES do grande público tomar conhecimento dessa oportunidade, aqui está sua chance! 

Clique aqui e seja beneficiado pelo avanço da tecnologia Blockchain.  

Atenção:

  • Não deixe de ler o regulamento do fundo e seus fatores de risco antes de investir. Retornos passados não garantem retornos futuros.
  • Não deixe de ler o regulamento do fundo e seus fatores de risco antes de investir. Retornos passados não garantem retornos futuros.
  • Não deixe de ler o regulamento do fundo e seus fatores de risco antes de investir. Retornos passados não garantem retornos futuros.
  • Não deixe de ler o regulamento do fundo e seus fatores de risco antes de investir. Retornos passados não garantem retornos futuros.

Um abraço,

Jojo Wachsmann

Marcopolo (POMO4) pode subir até 92% no pós-pandemia. Veja a análise completa no vídeo abaixo e inscreva-se no nosso canal do YouTube para receber outros insights como esse:

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

seu dinheiro na sua noite

Uma tarde de soluços nos mercados

O preço dos combustíveis, um dos grandes vilões da elevada inflação brasileira, não dá sinais de enfraquecimento. Muito pelo contrário: a passagem do furacão Ida pelo Golfo do México deve seguir impactando a oferta de petróleo por mais alguns meses, o que traz reflexos diretos ao preço da commodity. O Brent fechou em alta pela […]

menos méliuz

Méliuz (CASH3): Truxt reduz participação na companhia

Negociações têm por objetivo investimento e não visam alterar a composição do controle ou a estrutura administrativa da empresa

atenção acionista

Dividendos: Multiplan (MULT3) paga R$ 270 milhões em juros sobre capital próprio

Empresa vai considerar os acionistas inscritos nos registros da companhia no dia 28 de dezembro, dado que as ações de emissão da companhia passaram a ser negociadas “ex juros” a partir de 29 de dezembro

FECHAMENTO DO DIA

Petrobras dá susto, mas commodities garantem o avanço do Ibovespa; dólar sobe a R$ 5,37

A convovação de uma coletiva de última hora assustou os investidores, mas o Ibovespa retomou o ritmo de alta após a estatal confirmar que não irá mexr nos preços.

acesso bloqueado

Vale (VALE3) faz operação para resgatar 39 funcionários presos em mina no Canadá

De acordo com a empresa, na tarde de domingo (26), uma pá escavadeira que estava sendo transportada no acesso à mina subterrânea se desprendeu, bloqueando o shaft e, com isso, impedindo o meio de transporte dos empregados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies