Menu
2021-06-07T15:46:17-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
MERCADOS HOJE

Otimismo com a economia brasileira dá fôlego ao Ibovespa e bolsa supera os 131 mil pontos; dólar opera instável

Com exterior mais fraco e na falta de gatilhos fortes, o Ibovespa se apega à melhora das expectativas para a economia brasileira

7 de junho de 2021
10:41 - atualizado às 15:46
Selo Mercados Touro e Urso Alta
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Os investidores começam a nova semana aproveitando a agenda mais esvaziada, para seguir repercutindo os dados mais recentes divulgados nas principais economias do mundo nos últimos dias e para recalibrarem suas apostas com relação ao desempenho da economia brasileira.

Com as bolsas globais exibindo um viés mais negativo, o Ibovespa começou o dia tirando o pé do acelerador, mas encontrou fôlego para se descolar dos seus pares do exterior. Esse bom humor pega carona em uma melhora das expectativas do mercados para a economia brasileira

Depois de sentir o gostinho dos 130 mil pontos no último pregão, o principal índice da B3 se esforça para manter o patamar. Por volta das 15h44, o Ibovespa operava em alta de 0,73%, aos 131.105 pontos. Já o dólar à vista reflete mais a cautela do cenário, operando próximo da estabilidade, em queda de 0,07%, a R$ 5,0320.

Dados divulgados hoje pelo Boletim Focus mostram que o mercado financeiro está ficando mais otimista com a recuperação local. Seguindo o aumento já demonstrado nas últimas edições, os economistas consultados pelo Banco Central elevaram as expectativas para o PIB de 2021 para 4,36%.

As expectativas para inflação, no entanto, também seguem aumentando. No boletim divulgado hoje, a projeção foi de 5,44% até o fim do ano.

Do lado fiscal, os investidores estão de olho na agenda de reformas e também na possibilidade de uma possível prorrogação do auxílio emergencial. Confira os movimentos do mercado de juros hoje:

  • Janeiro/2022: de 5,08% para 5,10%
  • Janeiro/2023: de 6,68% para 6,73%
  • Janeiro/2025: de 7,74% para 7,83%
  • Janeiro/2027: de 8,24% para 8,36%

Lá fora, os indicadores macroeconômicos seguem mostrando sinais mistos. A leitura que segue prevalecendo é de que as principais economias do mundo de fato estão no caminho da recuperação, mas há sinais de fraquezas em setores importantes.

Ao invés de pessimismo, esse cenário alimenta uma confiança de que o Federal Reserve - e outros bancos centrais de países desenvolvidos - devem manter a sua política monetária inalterada por mais algum tempo.

Com isso, as bolsas americanas abriram o dia oscilando próximas da estabilidade. O ritmo mais lento nos negócios não significa que os investidores devem encontrar uma semana de lentidão pela frente. Nos próximos dias, teremos novos indicadores de inflação sendo divulgados nos Estados Unidos. A discussão em torno do tema está longe de morrer.

No fim de semana mesmo, Janet Yellen, secretária do Tesouro americano, voltou a falar sobre a pressão inflacionária, tendo como gancho os dados mais fracos do mercado de trabalho divulgados na semana passada - o país criou 559 mil novos postos de trabalho em maio, ante a expectativa de cerca de 700 mil.

Durante a madrugada, a toada dos índices asiáticos foi mais ou menos a mesma. A China divulgou números mistos da sua economia, mas foi suficiente para sustentar as bolsas do continente no azul.

Sobe e desce

O setor aéreo fica com o grande destaque do dia. Os papéis da Azul ficam na ponta da tabela após a companhia anunciar a emissão de títulos de dívida no exterior e algumas casas de análise elevarem a recomendação dos papéis. 

Na sequência, as ações da Gol sobem forte, repercutindo dados operacionais de maio, que vieram acima do esperado. A companhia mostrou um aumento de 425% na oferta. Além disso, o mercado repercute a relação de troca de ações na incorporação da Smiles

A Eletrobras volta a operar em alta significativa com as expectativas altas para  capitalização da companhia. Em evento, o presidente da Câmara, Arthur Lira, disse que espera que a pauta seja encaminhada no Senado no máximo até semana que vem. 

Confira as principais altas do dia:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
AZUL4Azul PNR$ 47,656,58%
GOLL4Gol PNR$ 27,804,98%
ELET3Eletrobras ONR$ 46,902,83%
IRBR3IRB ONR$ 6,272,79%
CIEL3Cielo ONR$ 4,402,56%

Confira também as maiores quedas:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
PCAR3GPA ONR$ 40,30-3,47%
ASAI3Assaí ONR$ 85,15-3,21%
PRIO3PetroRio ONR$ 19,96-2,63%
CSNA3CSN ONR$ 44,52-2,41%
GOAU4Metalúrgica Gerdau PNR$ 14,24-1,86%
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

atenção, acionista

Carrefour paga R$ 175 milhões em juros sobre capital próprio e altera valor de dividendos

Cifra equivale a R$ 0,088148225 por ação em circulação; também anunciou uma modificação do valor por ação dos dividendos aprovados em abril, de R$ 0,382372952 para R$ 0,382361396

maior apetite por risco

Empresas do Brasil captam US$ 4,6 bilhões; montante deve aumentar com ofertas de Stone e Light

Emissores brasileiros haviam paralisado planos de captar no exterior nos últimos meses, em meio à turbulência interna com a pandemia e o aumento do juro norte-americano

em meio ao aumento de consumo de frango

SuperFrango, de Goiás, retomará IPO de R$ 1 bilhão

Após resolver adiar a operação, a empresa fará uma apresentação mais cuidadosa de seu negócio aos analistas; oferta é estimada entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão

levantamento

Estatais descumprem critérios do marco do saneamento

GO Associados calculou que as companhias públicas do Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Alagoas, Maranhão, Amazonas, Pará, Piauí, Roraima, Rondônia e Amapá não atendem a todos os critérios da “etapa 1” do decreto – que prevê o cumprimento de índices mínimos dos indicadores econômicos-financeiros

questionamentos em brasília

Novo marco de saneamento é alvo de ofensiva no Supremo e no Congresso

No Supremo, mais de 20 empresas estatais que prestam hoje serviços no setor querem a volta da possibilidade de fechar os chamados “contratos de programa”, diretamente com as Prefeituras e sem licitação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies