Menu
2021-02-19T23:13:16-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
REAÇÃO IMEDIATA

Interferência do governo no comando da Petrobras faz ADRs caírem 9% em NY; mercado deve reagir negativamente

Uma interferência do governo já era temida pelo mercado e isso se refletiu na queda das ações da estatal no pregão de hoje. E segunda-feira deve ter mais…

19 de fevereiro de 2021
22:38 - atualizado às 23:13
Boxe Nocaute Petrobras
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Que o relacionamento já estava abalado não é nenhuma novidade, mas o fim pode estar em vias de se tornar oficial. 

A troca de farpas públicas virou rotina e o reajuste do preço dos combustíveis foi o pivô da separação entre o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o atual comandante da Petrobras, Roberto Castello Branco, principalmente porque a questão tem impacto direto em uma importante base política para Bolsonaro - os caminhoneiros. 

Depois de algumas semanas de paz, ontem (18) o presidente voltou a mostrar descontentamento com as ações recentes da Petrobras, que anunciou um segundo reajuste no preço do óleo diesel e da gasolina em fevereiro, como forma de acompanhar a alta do petróleo, uma prática vista com bons olhos pelos investidores.

Não foi preciso esperar muito para que as desconfianças do mercado com relação a uma possível interferência política na Petrobras se confirmasse. No começo da noite desta sexta-feira (19), o presidente Jair Bolsonaro utilizou as suas redes sociais para informar que o governo irá indicar um novo nome para o comando da petroleira. 

A notícia pegou os mercados fechados, em um dia que já foi marcado por uma pressão que tombou as ações da Petrobras em mais de 7%. O reflexo da decisão nos papéis da companhia devem ser vistos na segunda-feira, mas já dá para ter uma ideia do que vem por aí. Com as bolsas locais fechadas, a reação no mercado internacional é um bom termômetro. 

Logo após o tuíte breve do presidente, que confirmou que o governo federal indicará o general e ex-ministro da Defesa Joaquim Silva e Luna, atualmente diretor-geral brasileiro de Itaipu Binacional, para assumir a presidência da Petrobras e um assento no conselho de administração da estatal, os recibos de ações da Petrobras negociados no “After Hours” em Nova York (ADRs) chegaram a recuar mais de 9%. Por volta das 22h20, os recibos recuavam mais de 7%.

A decisão final sobre a troca no comando da estatal cabe ao conselho, formado por membros indicados pelo governo mas que possuem independência na decisão. Hoje, mais cedo, o conselheiro Marcelo Mesquita havia afirmado ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Estadão, que não havia motivos para trocar o CEO da estatal e que todos do conselho "gostam muito" de Castello Branco e apoiam o que ele vem fazendo na companhia. 

Para Ilan Albertman, analista de Research da Ativa Investimentos, devemos ver um mercado instável na segunda-feira. No entanto, ainda pode ser cedo para dimensionar o tamanho da queda que certamente virá. Isso porque ruídos e novos acontecimentos podem surgir ao longo do fim de semana. 

Embora o analista acredite ser precipitado o julgamento sobre o indicado do governo ser ou não um bom nome para o comando da estatal, o movimento não é encarado com bons olhos. “Eu acho que o nome é o de menos. A mensagem que se passa com esse processo é que o governo tem uma caneta na mão e uma caneta forte é muito ruim e tudo o que a Petrobras não precisava neste momento”. 

Aquecendo os motores

A reação do mercado, de fato, só vai ser possível conferir quando eles abrirem na segunda-feira (22). Não só podemos medir o que deve acontecer pelo comportamento dos ADRs lá fora e pelo que já era esperado e imaginado pelo mercado, mas também pela mesa de bar não-oficial do mercado financeiro: o fintwit. 

Investidores, gestores, anônimos e figuras conhecidas não demoraram a reagir à indicação do novo nome feita pelo presidente. 

Teve ex-secretário especial de Desestatização do governo Bolsonaro reagindo mal...

Teve ex-presidente do Banco Central reagindo com muito deboche...

E aqueles que estão prontos para soltar o grito de “eu avisei”...

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

ESTRADA DO FUTURO

Os três setores mais lucrativos em tecnologia, e por que você deve investir neles

Integração entre softwares e Inteligência Artificial são dois dos segmentos que devem fazer parte de qualquer portfólio de investimentos vencedor

Ano de eleição

Promessas de Bolsonaro estouram “folga” do Orçamento em 2022

A ampliação do Bolsa Família e um eventual aumento de 5% nos salários do funcionalismo público já superam o espaço adicional de R$ 25 bilhões para o próximo ano

Nova esperança?

Estados Unidos planejam investir US$ 3,2 bilhões em antivirais para tratar covid-19 e outras doenças

Segundo o Dr. Fauci, principal conselheiro do presidente Joe Biden no combate à pandemia, novo programa vai acelerar o que já está em andamento

PODCAST MESA QUADRADA

De pintor de parede a chef renomado, Alex Atala diz que competitividade foi empurrão: ‘se não fosse provocado, seria um bundão’

Chef de cozinha fala sobre sua trajetória e comenta crises e investimentos bem sucedidos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies