O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2021-12-09T08:55:15-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
A BOLSA HOJE

Esquenta dos mercados: Bolsa deve reagir ao tom ‘agressivo’ do Copom com aumento da Selic e esperar por dados de inflação na sexta-feira

A PEC dos precatórios deve ficar em segundo plano, enquanto os investidores ajustam suas posições para uma alta mais intensa dos juros

9 de dezembro de 2021
7:59 - atualizado às 8:55
Ibovespa deve refletir aperto monetário e plano de voo para selic no pregão de hoje
Ibovespa deve refletir aperto monetário e plano de voo para Selic no pregão de hoje. Imagem: Shutterstock

Os investidores sabem que o mercado, de maneira geral, não gosta de surpresas. Quanto mais previsível for o dia a dia, melhor para quem se arrisca na bolsa brasileira. E a notícia de que o Banco Central manteve o plano de aumentar a Selic em 150 pontos-base é motivo suficiente para o Ibovespa acalmar os nervos no pregão desta quinta-feira (09). 

A notícia só foi divulgada após o encerramento da sessão de ontem (08), quando o Ibovespa conseguiu emplacar mais uma alta de 0,50%, aos 108.096 pontos. O dólar à vista recuou 1,49%, a R$ 5,5348.

A PEC dos precatórios, apesar da importância dos últimos dias, deve ficar em segundo plano frente aos ajustes que o mercado deve fazer com a perspectiva de que os juros básicos voltem para os dois dígitos em 2022.

O exterior vive uma manhã mista hoje. Se, por um lado, o anúncio de que três doses da vacina da Pfizer são eficazes contra a variante ômicron, por outro, os países devem se preparar para as festas de final de ano. O Reino Unido já levantou uma série de novas medidas para conter o coronavírus, mas Boris Johnson ainda precisa lidar com uma crise política. 

Confira o que deve movimentar a bolsa hoje: 

Selic lá em cima

O Comitê de Política Monetária (Copom) elevou os juros pela sétima vez seguida na última reunião do colegiado em 2021. Dessa forma, a Selic encerrará o ano em 9,25%.

Essa não é exatamente uma novidade para os investidores, que já esperavam um aumento dos juros na casa dos 1,50 ponto porcentual. Mas o tom mais agressivo (hawkish, no jargão do mercado) do BC contra a inflação deve se refletir em novos aumentos nas próximas reuniões em 2022.

O plano de voo do Banco Central já contratou um novo aumento de 150 pontos-base na próxima reunião em fevereiro e não descarta um aperto ainda maior mais para frente, o que gerou uma reação dos analistas

“Nu” exterior

Ontem o Nubank precificou suas ações em US$ 9,00 (R$ 49,77 no fechamento de ontem) na abertura de capital na NYSE com 289 ações vendidas, o equivalente a US$ 2,6 bilhões. 

Dessa forma, a “empresa do cartão roxo” se tornou a instituição financeira mais valiosa da América Latina. As ações começam a ser negociadas hoje com o ticker  “NU”.

Compasso de espera

A inflação dos Estados Unidos, medida pelo índice de preços ao consumidor (CPI, em inglês), deve ser divulgada apenas amanhã, mas os investidores já começam a sentir a cautela a partir desta quinta-feira. 

Um dos fatores que preocupa os analistas são os gargalos estruturais para distribuição de mercadorias. Esse problema deve ser resolvido com o pacote de infraestrutura de Joe Biden, que conseguiu apoio do partido republicano para investir US$ 1 trilhão em portos e rodovias. 

Contudo, o teto de gastos americano segue em debate no Congresso. A secretaria do Tesouro, Janet Yellen, conseguiu fôlego até fevereiro, mas os congressistas e analistas do mercado seguem preocupados com o descontrole das contas públicas, de acordo com o Market Watch. 

Crise na terra da rainha

O Reino Unido anunciou na última quarta-feira (08) uma série de medidas para conter o avanço da covid-19 no país, entre elas a exigência do passaporte da vacina e a volta do trabalho presencial.

Contudo, o primeiro-ministro inglês, Boris Johnson, enfrenta uma crise política após participar de uma confraternização de Natal no ano passado, quando as festas estavam proibidas no Reino Unido.

Bolsas pelo mundo

A notícia de que três doses da vacina da Pfizer são eficazes contra a variante ômicron da covid-19 fez os índices da Ásia encerrarem o pregão em alta. Maiores informações sobre a nova cepa do coronavírus devem sair entre o final desta semana e a próxima. 

Na Europa, a sessão abriu com certa cautela, à espera de novidades sobre a ômicron, e as principais praças operam sem direção definida. Ontem (08), Boris Johnson, primeiro-ministro britânico, anunciou novas restrições para conter o avanço da covid no país. 

Já os futuros de Nova York apontam para uma abertura em terreno negativo antes da inflação dos EUA, divulgada nesta sexta-feira (10).

Agenda do dia

  • FGV: IGP-M de dezembro e IPC-S Capitais (8h)
  • IBGE: Pesquisa Industrial Mensal Regional de outubro (9h)
  • Estados Unidos: Pedidos de auxílio-desemprego (10h30)
  • Estados Unidos: Departamento de comércio divulga estoques no atacado em outubro (12h)
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

PORTFÓLIO DE BILHÕES

Aposta contra a Apple (AAPL34)? Veja as mudanças que Warren Buffett, Michael Burry e investidores de elite fizeram nas carteiras

Esses pesos-pesados do mercado financeiros tomaram decisões surpreendentes no primeiro trimestre; confira as mudanças mais significativas que eles fizeram no período

DO BRASIL PRO MUNDO

Guedes tem encontro com Escobari, da General Atlantic, e vai a jantar do BTG; confira a agenda do ministro em Davos

O banqueiro André Esteves, que em abril voltou ao comando do conselho do BTG Pactual, está participando do evento na Suíça

UMA TECH ATRAENTE

É hora da Locaweb? Saiba por que o Deutsche Bank vê ponto de entrada para as ações LWSA3

Banco alemão atualizou a recomendação para a empresa de neutra para compra e vê potencial de valorização de mais de 50% para os papéis

O QUE VEM POR AÍ

Ata do Fed e IPCA-15: confira a agenda de indicadores da semana aqui e lá fora

Nos Estados Unidos, a segunda prévia do PIB no primeiro trimestre também é destaque; na Europa, o PIB da Alemanha é o principal dado

CAMINHO DO MEIO

Menor rejeição e apoio interno no MDB dão vantagem a Simone Tebet; veja os rumos da senadora da terceira via

Maior desafio, segundo marqueteiros, é torná-la popular: 46% do eleitorado desconhece Simone Tebet, segundo pesquisas recentes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies