Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-04-30T16:06:05-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
MERCADOS HOJE

Dólar sobe mais de 1% com cautela no exterior e disputa pela Ptax; bolsa recua acompanhando NY

O dia está carregado de dados econômicos para serem digeridos e o pregão começa no vermelho, mas o saldo do mês deve ser positivo

30 de abril de 2021
10:42 - atualizado às 16:06
Dólar em alta
Dólar em alta - Imagem: Shutterstock

Com o mercado internacional operando no vermelho e um noticiário doméstico que inspira cautela, o Ibovespa começa o último pregão do mês no vermelho. 

A bolsa brasileira reduziu a queda na última hora, mas segue acompanhando as bolsas americanas. Por volta das 16h, o principal índice da bolsa brasileira recuava 0,49%, aos 119.505 pontos. O dólar à vista tem alta expressiva de 1,48%, a R$ 5,4150. A disputa pela taxa referencial ptax para o fim de abril e a valorização da moeda americana no exterior puxam a cotação da moeda. 

A pressão no câmbio também leva a uma alta dos juros futuros. Os investidores também pesam as novidades com relação à reforma tributária. Confira:

  • Janeiro/2022: de 4,61% para 4,66%
  • Janeiro/2023: de 6,18% para 6,27%
  • Janeiro/2025: de 7,68% para 7,75%
  • Janeiro/2027: de 8,34% para 8,34%

A agenda de indicadores segue cheia. Na Europa, a queda do Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre indica que a região entrou em uma segunda recessão técnica em menos de um ano. O PIB do bloco encolheu 0,6%, abaixo das expectativas de recuo de 0,8% na produção. Já a inflação subiu 1,6% em abril.

Nos Estados Unidos, como esperado, a inflação mostrou aceleração, acompanhando a recuperação econômica do país. No Brasil, o dado que inspira preocupação é o do mercado de trabalho. Agora cedo, o IBGE divulgou que o desemprego atingiu a marca recorde de 14,4 milhões de brasileiros - a taxa de desocupação é de 14,4%. 

Quer saber quais foram os melhores investimentos de abril? Os repórteres do Seu Dinheiro te contam ao meio-dia. Clique aqui 

Os principais índices asiáticos fecharam em baixa durante a madrugada, reflexo da decepção com os dados de manufatura chinesa e as preocupações com o avanço da covid-19 na Índia e no Japão.

Na Europa, as principais praças exibem sinais mistos. Nos Estados Unidos, os índices futuros indicam uma abertura no vermelho. 

A nova pauta da vez

O governo e o Congresso devem buscar um acordo sobre o fatiamento da proposta de reforma tributária para facilitar a aprovação do projeto. 

O texto deve ser fatiado em quatro partes para ser apreciado pela Casa. Também está no radar do governo o andamento da reforma administrativa que, de acordo com o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR),  “entrará em votação agora em maio".

Sobe e desce

Confira as maiores altas do dia:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
PCAR3GPA ONR$ 41,095,22%
RADL3Raia Drogasil ONR$ 26,605,18%
LCAM3Locamérica ONR$ 26,753,16%
NTCO3Natura ONR$ 48,793,00%
ELET3Eletrobras ONR$ 37,363,12%

Confira também as maiores quedas:

CÓDIGONOMEVALORVAR
BRKM5Braskem PNAR$ 52,52-6,86%
CVCB3CVC ONR$ 23,99-4,04%
AZUL4Azul PNR$ 38,79-3,48%
BRML3BR Malls ONR$ 9,48-2,77%
GGBR4Gerdau PNR$ 33,50-2,59%
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Fusão cheia de travas

Na Omega Geração (OMGE3), um grupo importante de acionistas está descontente — e quer barrar os planos da empresa

Fundos detentores de 28,6% da Omega Geração (OMGE3) se uniram e dizem que não vão aprovar a fusão com a Omega Distribuição nos termos atuais

Potencial de 36% de alta

Como fica a XP após a separação do Itaú? Para o JP Morgan, é hora de comprar as ações da corretora

A equipe do JP Morgan vê as pressões vendedoras nas ações da XP após a separação com o Itaú se dissipando; assim, a recomendação é de compra

Digitalização

A hora e a vez do e-commerce: com pandemia, comércio online mais que dobra e já chega a 21% das vendas do varejo

O fechamento das lojas físicas promovido pela pandemia fez o setor de varejo acelerar a aposta no e-commerce e nas vendas digitais

A bolsa como ela é

Stone, Inter e Méliuz caem forte na bolsa. É o fim das fintechs como as conhecemos?

Muito desse movimento tem a ver com a subida dos juros. Mas alguns fatores específicos também pesaram sobre as ações. Em alguns casos, pesaram com razão; em outros, nem tanto

Ajuste seu relógio

Pregão terá uma hora a mais a partir de novembro; entenda a mudança e veja a nova agenda da bolsa

As alterações começam a valer a partir do dia 8 de novembro; a B3 vai ajustar a bolsa para refletir o fim do horário de verão nos EUA

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies