Menu
2021-04-23T15:41:12-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
MERCADOS HOJE

Com orçamento superado, Ibovespa encontra fôlego e opera em alta; dólar também avança

O dia de hoje deve ser marcado pela repercussão do aumento de impostos de Joe Biden e o alívio com a sanção presidencial do orçamento

23 de abril de 2021
10:44 - atualizado às 15:41
Esforço, obstáculo, corrida
Imagem: Shutterstock

Com o Orçamento enfim sancionado e com um obstáculo a menos para o andamento da agenda liberal, o Ibovespa encontra fôlego para começar a sexta-feira (23) no azul. Os investidores se movimentam na expectativa de ver as reformas administrativa e tributária caminhar.

Depois de três quedas, o Ibovespa volta a sustentar uma alta firme. Em um dia menos volátil do que tem sido a normal, o principal índice da bolsa brasileira operava em alta de 0,85%, aos 120.343 pontos, por volta das 15h40, acelerando conforme as bolsas americanas também apresentam uma melhora no humor. O dólar à vista, que recuou mais de 2% na semana, opera em alta de 0,79%, a R$ 5,4973.

Passado o Orçamento, os investidores voltam suas atenções para a temporada de balanços do primeiro trimestre. A Usiminas deu a largada e foi a primeira empresa do Ibovespa a divulgar os seus números. 

Seguindo o ajuste dos últimos dias, os principais contratos de DI operam com uma tendência de queda, principalmente na ponta mais longa. Confira:

  • Janeiro/2022: estável em 4,62%
  • Janeiro/2023: estável em 6,19%
  • Janeiro/2025: estável em 7,72%
  • Janeiro/2027: de 8,37% para 8,35%

Obstáculo superado

O presidente Jair Bolsonaro finalmente sancionou o Orçamento para 2021, com cinco meses de atraso e com vetos. Ainda assim, o texto preserva R$ 35,5 bilhões em emendas parlamentares. 

Se por um lado a novela chegou ao fim, por outro, os R$ 125 bilhões fora do teto de gastos podem ser um problema para a situação fiscal do país no longo prazo e já preocupa os investidores. Mas, por hoje, a reação deve ser positiva, já que com esse obstáculo superado as reformas podem voltar a serem pautadas. 

Biden voraz

O anúncio de que o presidente americano Joe Biden pretende aumentar impostos sobre ganhos dos mais ricos para financiar a educação infantil foi mal recebido pelos investidores. 

De acordo com reportagem do The New York Times, a proposta é que a alíquota do imposto de renda suba para 39,6% para os norte-americanos com maior poder aquisitivo. Além disso, as taxas sobre os ganhos de capital, hoje em dia de até 20%, também poderão subir a 39,6% para investidores que ganham mais de US$ 1 milhão.

Essa é mais uma investida de Biden para atualizar o sistema de taxação dos Estados Unidos. O plano de ajuda à infraestrutura de US$ 2,3 trilhões também deve ser custeado com o aumento de impostos sobre empresas.

As bolsas da Ásia fecharam majoritariamente em alta na manhã desta sexta-feira, contrariando o clima negativo que reinou em Wall Street na tarde de ontem. Na região, os investidores repercutiram a retomada da economia da China.

Hoje, os índices europeus operam em baixa. A região ainda sofre com o avanço da covid-19, apesar dos novos dados que mostram a economia da Europa voltando aos eixos.

Depois da repercussão negativa dos planos de Biden ontem, hoje as bolsas americanas operam no azul, de olho nos sinais de recuperação da economia do país. 

Sobe e desce

Mais cedo, a maior alta do dia ficou por conta das ações da Eletrobras, pegando carona nos comentários feitos pelo deputado Elmar Nascimento, relator da MP de privatização da empresa. Segundo Nascimento, o relatório da Medida Provisória está quase pronto e deve ser apresentado aos líderes partidários em breve para ser votado na Câmara na segunda semana de maio. Confira os principais destaques do dia:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
GOLL4Gol PNR$ 24,054,25%
SULA11SulAmérica unitsR$ 33,424,01%
VVAR3Via Varejo ONR$ 13,063,40%
LAME4Lojas Americanas PNR$ 22,853,30%
IGTA3Iguatemi ONR$ 37,583,06%

Na ponta contrária da tabela, um dos destaques negativos é a Usiminas. A companhia divulgou o seu balanço do primeiro trimestre hoje pela manhã e agradou o mercado com números robustos. Mais cedo, a companhia chegou a disparar mais de 3% e agora passa por um movimento de realização de lucros. A Cielo, empresa com o maior recuo no momento, opera em queda após uma valorização expressiva no pregão de ontem. Confira as maiores quedas do dia:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
CIEL3Cielo ONR$ 3,77-2,58%
USIM5Usiminas PNAR$ 21,73-2,16%
CSNA3CSN ONR$ 48,03-1,42%
MRFG3Marfrig ONR$ 20,53-1,86%
CSAN3Cosan ONR$ 91,67-1,79%
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Fechamento da semana

Inflação americana e minério de ferro vivem ‘dias de luta e dias de glória’, monopolizando a semana; dólar avança e bolsa recua no período

O minério de ferro puxou Vale e siderúrgicas para cima – mas depois derrubou. A inflação americana também assustou, mas conseguiu acalmar o ânimo dos investidores. Confira tudo o que movimentou a semana

Engordando o caixa

Petrobras gera US$ 2,5 bilhões com desinvestimentos em 2021; venda mais recente é para fundo árabe

E a estatal não deve parar por aí, pois o diretor financeiro da empresa já reafirmou a intenção de continuar com o programa de venda de ativos

Em evento do BofA

Presidente do BC revela preocupação com análise de autonomia no STF e planos para PIX internacional

Campos Neto e o ministro da Economia, Paulo Guedes, têm conversado com ministros da Corte sobre os questionamento acerca do tema

Confiança em alta

Casa Branca não vê fator gerador de inflação que Fed não possa controlar

A presidente do Conselho de Consultores Econômicos do governo ressaltou que é importante focar nas tendências para os índices ao invés de oscilações semanais ou mensais

Política monetária em detalhes

Diretor do BC afirma que Selic em 2% não era mais necessária e defende centro da meta inflacionária

Bruno Serra explicou que a retomada da atividade econômica foi mais rápida do que se imaginava e justificou a elevação da taxa básica de juros

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies