Menu
2021-03-22T16:19:08-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
MERCADOS HOJE

Ibovespa opera em queda firme com agravamento da pandemia e tensão na Turquia

Pandemia gera instabilidade política por aqui. No exterior, tensões na Turquia azedam os negócios

22 de março de 2021
10:39 - atualizado às 16:19
Selo Mercados Touro e Urso Baixa
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A semana começa com tensão no mercado brasileiro. A situação preocupante da pandemia do coronavírus no país e as incertezas políticas na Turquia, com consequências para o mercado emergente, pesam sobre o índice local, que deixa de lado o bom humor visto em Nova York - onde as bolsas renovaram suas máximas intraday.

Ainda que a bolsa tenha aliviado a queda na última hora, o sentimento que predomina ainda é o de aversão ao risco. Por volta das 16h15, o Ibovespa operava em queda de 0,84%, aos 115.195 pontos. O dólar à vista tem alta de 0,31%, a R$ 5,5024.

Mesmo com a recente elevação na taxa de juros brasileira, o mercado segue precificando uma alta ainda maior da inflação. Além disso, o relatório Focus desta segunda-feira trouxe também uma elevação da projeção para a Selic - que passou de 4,5% ao ano para 5%. Essa leitura também se reflete no mercado de juros futuro, que opera em alta. Confira as taxas do dia:

  • Janeiro/2022: de 4,60% para 4,64%
  • Janeiro/2023: de 6,21% para 6,33%
  • Janeiro/2025: de 7,56% para 7,80%
  • Janeiro/2027: de 8,04% para 8,32%

Descontrole

A escalada de mortes em decorrência da covid-19 tem levado a uma cobrança pública de diversos setores da sociedade para o controle da situação, incluindo economistas e membros do Congresso. No domingo (21), renomados economistas assinaram uma carta aberta em que pedem medidas mais efetivas no combate à pandemia.

A falta de perspectiva para o andamento da vacinação no país e a necessidade de medidas mais enérgicas para conter o vírus por parte dos Estados respingam em Brasília, com a pressão aumentando cada vez mais sobre o Executivo. O presidente Jair Bolsonaro segue condenando as novas restrições impostas pelos governadores, ao mesmo tempo que busca destacar que tem negociado a compra de novas doses de vacinas contra a covid-19.

A situação da pandemia na Europa também pesa sobre os mercados, com uma terceira onda de contágio ganhando contornos mais firmes, em meio a uma crise com relação à vacinação no continente. O Velho Continente voltou a aplicar a vacina da AstraZeneca após a confirmação que o imunizante não causava trombose nos pacientes, mas ainda assim as bolsas do continente operam sem uma direção definida. 

Efeito dominó

A tensão com relação ao ritmo de vacinação na Europa não é a única preocupação no mercado internacional. Uma crise com origem na Turquia mina o desempenho positivo dos mercados nesta segunda-feira, principalmente nos países emergentes. 

A decisão do presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, de trocar o presidente do BC do país pela terceira vez desde 2019, após uma alta na taxa básica de juros para 19% ao ano, visando conter o avanço da inflação, não pegou bem no mercado.

O mercado acredita que a crise desencadeada por lá pode afetar os outros mercados emergentes. A Lira turca tem uma desvalorização expressiva nesta segunda-feira e, segundo Reginaldo Galhardo,  gerente de câmbio da Treviso Corretora, o que pode mexer bastante com o Brasil, já que estamos em uma situação mais vulnerável e também acabamos de passar por um ajuste na taxa de juros.

A crise levou as bolsas asiáticas a fecharem sem uma direção única. Na Turquia, o principal índice fechou com queda superior a 9%.

Para Marcio Lórega, analista técnico da Ativa Investimentos, a atuação do presidente turco gera uma forte instabilidade política e econômica que acaba sendo gerada e causa preocupação com relação a uma mudança de postura na condução da taxa de juros. O novo presidente do BC é uma figura crítica à alta de juros, o que pode gerar problemas inflacionários e fiscais que podem contaminar o restante da Europa.

A situação foi amenizada pelo ministro de Finanças da Turquia, que afirmou que o cenário vai continuar seguindo as regras do mercado.

De olho no Fed

Nos Estados Unidos, os investidores passam mais um dia atentos aos juros e aos sinais de que a política monetária do país deve se manter inalterada.

Mais cedo, o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, voltou a declarar que o banco central americano irá apoiar a recuperação da economia do país pelo tempo que for necessário. Com isso, os juros futuros, que seguem uma tendência de alta expressiva nas últimas semanas, passaram a recuar. Aproveitando o momento, bolsas americanas operam com alta significativa, puxadas principalmente pelo desempenho das ações do setor de tecnologia. 

Sobe e desce

Com o cenário pessimista com relação à pandemia, as empresas do setor de consumo e turismo recuam nesta manhã. Além disso, a nova queda do minério de ferro no mercado internacional pesa sobre as mineradoras e siderúrgicas. Confira os piores desempenhos da sessão de hoje.

CÓDIGONOMER$ VAR
EMBR3Embraer ON13,49-7,03%
AZUL4Azul PN39,85-5,10%
PRIO3PetroRio ON89,84-4,35%
GGBR4Gerdau PN27,49-4,02%
CSNA3CSN ON34,23-3,88%

Ainda que o cenário atual preocupe, os frigoríficos e empresas do setor de construção avançam em bloco Confira também os melhores papéis do dia:

CÓDIGONOME R$VAR
PCAR3GPA ON29,484,13%
CYRE3Cyrela ON25,612,77%
BEEF3Minerva ON10,022,14%
MRFG3Marfrig ON16,282,01%
JHSF3JHSF ON7,181,99%
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

FECHAMENTO

Mercado olha desconfiado para Orçamento e Ibovespa acompanha queda do exterior; dólar fica estável

Com a agenda de indicadores esvaziada e a véspera de feriado trazendo uma maior cautela ao cenário, os investidores acabaram optando pela cautela

Prioridade na Casa

Câmara aprova requerimento de urgência sobre projeto de privatização dos Correios

A medida permite que a proposta “fure” a fila de votação de projetos e pode agilizar o processo de desestatização

produção em baixa

Netflix decepciona em novos assinantes, mas nega impacto da concorrência

Papéis da empresa negociados na Nasdaq caíam mais de 10% no after market; pandemia impactou em novas produções, com reflexo no balanço da companhia

Desencontro acadêmico perdoado

Eike Batista é absolvido pela CVM em processo sobre ‘inconsistências’ no currículo

A farsa do fundador do Grupo X, que se apresentava com diferentes credenciais para cada uma das empresas, foi descoberta após sua prisão

A maior desde 1994

Com recorde na arrecadação em março, Paulo Guedes fala em recuperação econômica

Os R$ 137,9 bilhões arrecadados no mês animaram o ministro e o levaram a afirmar que o país “se levantou”

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies