Como ter a chance de ficar milionário, começando em 2023; veja vídeo aqui

Cotações por TradingView
2021-02-22T09:01:10-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
Boletim Focus

Pela sétima semana seguida, IPCA tem alta nas previsões do Boletim Focus

Pela terceira vez, o PIB também sofreu um reajuste para baixo e a taxa Selic deve subir até o final do ano

22 de fevereiro de 2021
9:01
luz conta de luz ideia lâmpada
Imagem: Shutterstock

A nova publicação do Boletim Focus, divulgado semanalmente pelo Banco Central, trouxe uma nova elevação para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), consolidando a sétima semana seguida de alta. Pela terceira vez, o PIB também sofreu um reajuste para baixo.

Enquanto isso, a perspectiva do mercado trazida pelo Boletim acredita em um aumento na taxa básica de juros (Selic) até o fim deste ano. Apesar disso, os índices para 2022 seguem iguais aos do último relatório.

Confira os destaques do Boletim Focus de hoje:

IPCA e Selic

O IPCA, que serve como prévia da inflação oficial, foi revisto pelo mercado e segue tendência de alta. Há um mês, o índice estava em 3,50%, mas as previsões mostram uma elevação para 3,82%. Na semana passada, a expectativa era de 3,62%.

Esta previsão está acima do centro da meta definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) para 2021, de 3,75%. A inflação começou a subir com mais força em 2020, durante a pandemia de covid-19, e chegou a desacelerar no início do ano. 

Entretanto, a mudança na bandeira da conta de luz e alimentação fizeram o mercado revisar as previsões para o índice.

Com isso, a Selic também sofreu modificações. A previsão para a taxa básica de juros foi sendo revisada para cima ao longo dos últimos boletins. Há um mês, a expectativa era de 3,50%, enquanto na semana passada, era de 3,75%.

Hoje, a previsão é de que a Selic encerre o ano de 2021 aos 4,0%. Para o ano de 2022, a taxa básica de juros deve permanecer no patamar de 5,0%. 

PIB e dólar

O Produto Interno Bruto (PIB) deve sofrer uma desaceleração de crescimento até o final do ano. As expectativas dos especialistas indicam que haverá um crescimento de 3,29%,abaixo das previsões da semana passada (3,43%) e de um mês atrás (de 3,49%). 

Para 2022, a perspectiva de alta segue a mesma, de 2,50%.

O câmbio também foi ajustado nesta semana. A previsão é de que o dólar encerre o ano de 2021 a R$ 5,05, acima dos R$ 5,01 da expectativa da semana passada. A moeda norte-americana deve encerrar 2022 aos R$ 5,00. 

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

DIA 37

Da defesa ao ataque: Lula fala — de novo — da inflação, do BC e, agora, do BNDES

6 de fevereiro de 2023 - 20:32

Presidente solta o verbo mais uma vez e questiona o nível elevado da taxa de juros, ironiza os efeitos negativos de suas críticas à política monetária e ainda destaca o papel do BNDES para impedir que o Brasil “afundasse”

TENSÃO NO AR

Balão da discórdia: o recado que a China mandou para os EUA após nova crise de espionagem

6 de fevereiro de 2023 - 19:55

Embora tenha colocado panos quentes sobre o que chamou de incidente, Pequim também subiu o tom contra Washington

Montanha de endividamento

O novo calvário da Oi (OIBR3; OIBR4): empresa declara dívidas de quase R$ 30 bilhões à Justiça do Rio; Itaú BBA puxa a fila entre os bancos nacionais

6 de fevereiro de 2023 - 19:44

A Oi (OIBR3;OIBR4) diz ter dívidas de mais de R$ 9 bilhões só com o BNY Mellon; o Itaú BBA, com R$ 2 bilhões, é o principal credor nacional

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Tremores de terra em Brasília e na Turquia, o futuro das criptomoedas e mais destaques do dia

6 de fevereiro de 2023 - 19:34

Muitos desastres ambientais, como furacões e tormentas, são facilmente monitorados e previsíveis, mas abalos sísmicos e os seus inevitáveis tremores de terra são quase sempre uma surpresa indesejável.  Mas ao contrário do que dita a natureza, Brasília consegue sentir a aproximação de um terremoto que pode rachar as estruturas do Banco Central brasileiro e a […]

'inconsistências contábeis'

Caso Americanas: “Fomos vítimas de uma fraude”, diz Verde

6 de fevereiro de 2023 - 19:20

Desempenho do fundo Verde foi parcialmente afetado pela debacle da Americanas em janeiro devido a um investimento em debênture da varejista

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies