Menu
2021-04-12T17:47:15-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
MERCADOS HOJE

Ibovespa opera em alta, ignorando tensão do cenário doméstico e indo na contramão de NY

A semana começa com cautela no exterior e Brasília pode acabar com alegria do investidor

12 de abril de 2021
10:38 - atualizado às 17:47
Selo Mercados Touro e Urso
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A semana começa com questões delicadas ainda sem uma solução. É o caso do Orçamento de 2021, cujo desfecho é esperado para essa semana e o controle da pandemia do coronavírus, que parece empacado diante das medidas ineficientes adotadas pelos estados e a falta de novas doses do imunizante contra a doença. 

Mesmo com um cenário doméstico pesado e com Nova York jogando contra, o Ibovespa opera em alta desde o começo da sessão. Segundo Camila Abdelmalack, economista-chefe da Veedha Investimentos, o mercado busca "razões micro" para se manter neste movimento e resta ao dólar e juros refletirem a cautela com o cenário político.

Por volta das 16h, o principal índice da bolsa brasileira operava com um avanço de 0,76%, aos 118.509 pontos. Bruno Madruga, head de Renda Variável da Monte Bravo Investimentos, ressalta o bom desempenho de alguns setores de grande peso para o índice e que ajudam o Ibovespa a ir na contramão dos mercados internacionais. É o caso do setor financeiro - que se recupera do tombo registrado na semana passada -, e o setor de commodities, com a valorização de Petrobras e Vale, que seguem a alta do petróleo e do minério de ferro. 

 O dólar à vista chegou a abrir o dia em queda, mas a mudança de direção dos juros dos Treasuries, nos Estados Unidos, pesou. Agora, a moeda americana opera em alta de 1,01%, a R$ 5,7308. Os principais contratos de DI também apresentaram um alívio durante a manhã, mas também inverteu o sinal. Confira:

  • Janeiro/2022: de 4,72% para 4,72%
  • Janeiro/2023: de 6,55% para 6,58%
  • Janeiro/2025: de 8,28% para 8,30%
  • Janeiro/2027: de 8,93% para 8,93%

Lá fora, temos um cenário de bolsas negativas em Wall Street, em um movimento de realização de lucros após os recordes da semana passada.Na Europa, as principais bolsas fecharam em queda, mesmo com dados melhores do que o esperado das vendas no varejo da zona do euro.

Durante o fim de semana, o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, voltou a falar e disse que não há chances de um aumento de juros ainda este ano, dissolvendo parte dos temores do mercado.

Por aqui, o foco dos investidores deve seguir sendo Brasília ao longo da semana. O Orçamento para 2021 ainda não foi aprovado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, que recebeu a orientação da equipe econômica de Paulo Guedes de vetar alguns pontos do projeto para evitar um possível crime de responsabilidade. Na semana passada, a leitura de que o parecer do texto abria caminho para uma aprovação sem vetos azedou o humor dos mercados. 

Temos também o avanço da “CPI da Covid”, que busca apurar possíveis omissões e irregularidades durante a pandemia, no plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) e cuja votação está marcada para esta quarta-feira (12). Bolsonaro disse no final de semana que espera a ampliação das investigações para estados e municípios, para evitar um “relatório sacana” com o governo federal. 

A CPI visa apurar possíveis omissões e irregularidades durante a pandemia de covid-19 ao longo do ano de 2020. Enquanto isso, o Brasil vive os piores momentos da pandemia, com uma média de mortes acima de três mil por dia e com a vacinação a passos lentos em todo país.

Sobe e desce

Descontadas desde a estreia do seu braço de atacarejo na bolsa, as ações do Grupo Pão de Açúcar ficam com a principal alta do dia.

As ações da Eneva também se destacam após o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovar a venda da participação da companhia na termelétrica São Marcos para a Golar Power. Confira as maiores altas do dia:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
PCAR3GPA ONR$ 36,678,81%
BRKM5Braskem PNAR$ 46,677,61%
ENEV3Eneva ONR$ 18,135,04%
BEEF3Minerva ONR$ 11,264,16%
JBSS3JBS ONR$ 32,182,65%

Já na ponta contrária, as ações da Eletrobras se destacam em queda, mesmo após ter sido incluída no Plano Nacional de Desestatização. Segundo o analista técnico da Ativa Investimentos, além de um recuo saudável após as altas recentes, a companhia também pode ter o seu processo de privatização travado diante da CPI da Covid. 

 O setor aéreo é um dos principais destaques negativos, após as empresas do segmento avançarem na semana passada, mesmo diante dos problemas relacionados à pandemia. Confira também as maiores quedas:

CÓDIGONOMEVALORVAR
ELET6Eletrobras PNBR$ 34,69-3,53%
ELET3Eletrobras ONR$ 34,50-2,68%
AZUL4Azul PNR$ 38,52-2,11%
BRML3BR Malls ONR$ 9,76-1,81%
EZTC3EZTEC ONR$ 32,95-1,61%
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Novo competidor

Grupo catarinense que fatura R$ 8,8 bi vai abrir 1º atacarejo no estado de SP

O Grupo Pereira vai abrir uma unidade da Fort Atacadista, sua bandeira de atacarejo, na cidade de Jundiaí; forte competição em SP é desafio

Tensão em Brasília

Racha no Congresso põe reformas em xeque

A decisão do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), de fatiar a reforma tributária foi vista como a pá de cal nas chances de avanço das reformas no Congresso até o fim do atual governo. Embora Lira tenha prometido abrir o diálogo com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para definir os próximos passos, […]

Rapidinhas da semana

BLINK: Itaúsa, B2W, Eletrobras e mais recomendações rápidas

Felipe Miranda, sócio-fundador e CIO da Empiricus, fala sobre Alpargatas, Eletrobras, Itaúsa, Lojas Americanas e muito mais no Blink

Reserva de emergência

Jeff Bezos, o homem mais rico do mundo, vende ações da Amazon e põe US$ 5 bi na conta

O bilionário Jeff Bezos vendeu cerca de 1,5 milhão de ações da Amazon nos últimos dias e pode vender outros 500 mil papéis em breve

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies