Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-03-09T17:33:23-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
MERCADOS HOJE

Foco no Congresso! Ibovespa engata alta com notícias positivas sobre PEC Emergencial

O mercado deve analisar o peso da queda de ontem, após a liberação do ex-presidente Lula das condenações na Lava Jato, o que pode levar o Ibovespa a uma correção mais suave no pregão desta terça-feira

9 de março de 2021
10:50 - atualizado às 17:33
Congresso Mercados Touro Urso
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A notícia do retorno de Lula ao xadrez político, possivelmente antecipando a corrida eleitoral de 2022, paira sobre os negócios na manhã de hoje, mas não é a única notícia no radar dos investidores.

Desde o começo das negociações os investidores vêm monitorando o clima em Brasília, já que ontem o presidente Jair Bolsonaro falou sobre uma possibilidade de desidratação da PEC emergencial. Além disso, o mercado monitora também o caos no sistema de saúde, com o agravamento da pandemia.

O Ibovespa chegou a abrir o dia em queda, mesmo com um exterior positivo, ainda repercutindo a decisão do ministro do Superior Tribunal Eleitoral (STF) Edson Fachin, que anulou todas as decisões tomadas pela 13ª Vara Federal de Curitiba que envolviam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Lava Jato, devolvendo assim os seus direitos políticos.

A notícia que deu impulso ao Ibovespa foi uma fala do deputado Daniel Silveira, relator da PEC Emergencial na Câmara, que disse que o texto que será votado amanhã (10) deve ser "exatamente o que veio do Senado". A declaração alivia a leitura de que setores que fazem parte da base do presidente Jair Bolsonaro ficaria de fora das restrições trazidas pela PEC.

Com uma melhora ainda maior do ambiente de negócios no exterior, os ativos brasileiros passam por um alívio. Por volta das 17h, o principal índice da bolsa brasileira subia 0,78%, aos 111.397 pontos. O dólar à vista, que chegou a cair pontualmente um pouco mais cedo, segue em leve alta.

No mesmo horário, a moeda americana avançava 0,33%, aos R$ 5,7974. O Credit Default Swap (CDS) de 5 anos, um dos principais indicadores do aumento do risco-país, também desacelerou a alta com a melhora no exterior e a sinalização com o compromisso fiscal.

O mercado de juros futuros, que operava em forte alta, também passa por um alívio. Confira as principais taxas do dia:

  • Janeiro/2022: de 3,99% para 3,96%
  • Janeiro/2023: de 5,78% para 5,69%
  • Janeiro/2025: de 7,40% para 7,26%
  • Janeiro/2027: de 8,01% para 7,93%

Razões de cautela

Com o retorno de Lula ao cenário político, o mercado teme uma guinada populista na agenda do presidente Jair Bolsonaro, o que pode comprometer a saúde fiscal do país em um momento de crise. A polarização e antecipação do cenário eleitoral também pode acabar atrapalhando o andamento de temas prioritários no Congresso - como as reformas.

A articulação para a desidratação da PEC emergencial, que pode comprometer as medidas de ajuste fiscal definidas no Senado, foi ventilada pelo próprio presidente Jair Bolsonaro na noite de ontem e também causa preocupação. A declaração do relator do texto na Câmara aliviou a nuvem carregada que se formava.

O presidente da Câmara, Arthur Lira, também se mostrou otimista com o texto que será votado. Lira afirmou que o relator da PEC deve manter a "ideia base" do texto aprovado pelo Senado. Pela manhã, o presidente da Câmara se reuniu com líderes governistas para convencer o relator a não desidratar o texto com a proposta feita pelo presidente Jair Bolsonaro e manter uma "previsibilidade das ações".

A alta dos índices americanos é um alívio em meio à tanta incerteza. Em dia de trégua na alta dos rendimentos dos títulos públicos, os Treasuries, as bolsas aproveitam para engatar uma recuperação.

O Nasdaq, que vem sendo bem castigado nas últimas semanas, hoje surfa uma recuperação expressiva puxada pela alta de mais de 14% das ações da Tesla. No Velho Continente as principais praças do continente fecharam em alta.

Destaques de hoje

Maiores altas

A cotação do dólar impulsiona as ações dos frigoríficos após uma temporada de balanços forte para o setor. Além disso, vemos também o avanço de PetroRio e Petrobras, que acompanham a cotação da commodity no mercado internacional. No caso da Petrobras, temos também uma reação positiva aos nomes indicados para o conselho da companhia. Confira.

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
BEEF3Minerva ONR$ 10,226,35%
BRFS3BRF ONR$ 24,525,42%
PRIO3PetroRio ONR$ 99,484,72%
WEGE3Weg ONR$ 72,204,41%
PETR3Petrobras ONR$ 21,813,86%

Maiores baixas

Confira também as piores baixas do dia:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
BTOW3B2W ONR$ 64,39-3,38%
CYRE3Cyrela ONR$ 22,38-2,61%
BRAP4Bradespar PNR$ 64,50-2,17%
HGTX3Cia Hering ONR$ 14,69-2,13%
CSNA3CSN ONR$ 35,73-2,11%
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro abre em queda após aumento de juros e IGP-M acima do esperado e dólar avança hoje

A agenda de balanços conta com Petrobras e Vale, enquanto o exterior deve sentir cautela antes da inflação nos EUA amanhã

O melhor do Seu Dinheiro

Nem tudo é terra arrasada pela alta dos juros, o mercado pós-Copom e outros destaques do dia

O aperto monetário ressuscitou a renda fixa, com alguns CDBs voltando a pagar taxas de 1% ao mês ou mais.

COLUNA DO JOJO

Bolsa hoje?: Unidos do Aperto Monetário… Nota… Dez!

Como se não bastasse ter que se preocupar com os resultados de Vale e Petrobras, que juntas representam mais de 20% do Ibovespa, ainda teremos que digerir a alta de 150 pontos-base da Selic

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: bolsa deve refletir taxa de juros mais alta em dia de leitura do PIB dos EUA

A agenda de balanços conta com Petrobras e Vale, enquanto o exterior deve sentir cautela antes da inflação nos EUA amanhã

NA DÚVIDA, ADIA

No restabelecimento da presença obrigatória em Brasília, governo fica sem quorum e retira PEC dos Precatórios

Nova tentativa de votação é esperada para hoje, mas o temor de que não haja deputados em quantidade suficiente para a aprovação persiste

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies