Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-07-21T19:52:53-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
FECHAMENTO

Balanços e recuperação do petróleo garantem o dia para o Ibovespa, mas Brasília segue impedindo voos mais altos; dólar vai a R$ 5,19

Subindo menos do que as bolsas americanas, o Ibovespa avançou 0,42%, aos 125.929 pontos. Já o dólar à vista voltou a ser negociado abaixo de R$ 5,20

21 de julho de 2021
18:25 - atualizado às 19:52
Congresso Mercados Gráfico
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A semana começou com o pé esquerdo, trazendo turbulência e cautela para os negócios — as bolsas sangraram, o dólar disparou e o petróleo levou um belo tombo de mais de 7%. O episódio, no entanto, parece ter ficado restrito a apenas um dia de pânico. 

A variante delta, cepa mais contagiosa e que coloca à prova as medidas encontradas para conter o coronavírus, ainda é uma preocupação, mas, por ora, fica em segundo plano. Nos holofotes, brilham os números da temporada de balanços — tanto no Brasil, quanto no exterior, onde mais empresas já divulgaram os seus resultados do segundo trimestre. 

Os bons números garantem o otimismo, que também conta com um empurrãozinho do petróleo, que subiu mais de 4% nesta tarde, voltando ao patamar dos US$ 70. Seguindo o movimento de recuperação dos últimos dias, a commodity tenta apagar o tombo da segunda-feira, quando o aumento da produção por parte da Opep+ assustou os investidores, já que a demanda global ainda é uma incógnita. 

A expectativa da American Petroleum Institute (API) é de que os estoques de petróleo dos EUA aumentem, e que a demanda mundial também suba durante a retomada econômica. Mesmo com os temores envolvendo a variante delta, que pode voltar a fechar os negócios, e a Opep+ no radar, é o segundo pregão de alta para a commodity. 

Com o apetite por risco renovado, o S&P 500 fechou o dia com alta de 0,82%, o Dow Jones avançou 0,83% e o Nasdaq subiu 0,92%. Com os investidores voltando os olhos para investimentos mais arriscados, o dólar à vista recuou 0,76%, a R$ 5,1916, mas o dia foi de muita volatilidade — na máxima, a moeda chegou a ser negociada a R$ 5,27. 

Aspectos locais foram os responsáveis por essa movimentação maior no câmbio e também por segurar o fôlego da bolsa brasileira. Mesmo com o recesso parlamentar, Brasília segue trazendo preocupações. Dessa vez, o presidente Jair Bolsonaro anunciou que fará uma reforma ministerial, em uma tentativa de não perder apoio no Congresso. Com isso, o Ibovespa teve uma alta mais modesta, de 0,42%, aos 125.929 pontos

Lá fora, o dia foi de avanço nos retornos dos títulos do Tesouro americano, os Treasuries. Por aqui, após dias operando em queda, o mercado de juros futuros voltou a mostrar uma inclinação maior em todos os principais vencimentos. Confira as taxas de fechamento:

  • Janeiro/22: estável em 5,78%
  • Janeiro/23: de 7,12% para 7,13%
  • Janeiro/25: de 8,09% para 8,14%
  • Janeiro/27: de 8,56% para 8,59%

Sempre ela...

O Palácio do Planalto segue sendo o cenário dos pesadelos do mercado doméstico. Na manhã de hoje, o presidente da República, Jair Bolsonaro, anunciou que deve fazer uma reforma ministerial e mudar alguns nomes da cúpula do governo.

O objetivo é aumentar a participação do bloco do “centrão” no governo federal, tentando minimizar o impacto que o veto do presidente Bolsonaro ao fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões pode causar. Para o cargo da Casa Civil, hoje ocupado por Luiz Eduardo Ramos, o nome mais cotado é o do senador Ciro Nogueira (PP-PI), mas os analistas estão de olho também nas trocas e reestruturações nos demais ministérios. 

De acordo com interlocutores do Palácio do Planalto, a troca também serviria para liberar os nomes da cúpula do governo para as eleições de 2022. O apoio político no Congresso também é importante, principalmente com as reformas administrativas e tributárias empacadas e longe de um acordo. 

O veto ao fundo eleitoral promete dor de cabeça para o alto escalão do Executivo, com a pressão do vice-presidente da Câmara, deputado Marcelo Ramos, fazendo barulho.

Ramos se coloca agora como principal opositor de Bolsonaro na Casa, e está colocando o presidente em posição de xeque. O deputado ameaça ler o pedido de impeachment caso assuma interinamente a presidência da Câmara no lugar de Arthur Lira (PP-AL).

Mas as intrigas nos corredores do Planalto não acabam por aí. Por ora, o foco do presidente é lidar com as críticas de Ramos, mas a desarmonia entre os Três Poderes segue sendo motivo de preocupação. 

Sobe e desce

A resseguradora IRB teve um pregão de gala. As ações da companhia subiram mais de 8% após a divulgação de uma reversão do prejuízo registrado em maio do ano passado e outras melhorias operacionais. Já a Embraer teve um bom desempenho na esteira do crescimento de números de pedidos recebidos pela empresa. Confira as maiores altas do dia:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
IRBR3IRB ONR$ 5,998,32%
BRKM5Braskem PNAR$ 62,904,64%
EMBR3Embraer ONR$ 18,873,00%
BIDI11Banco Inter unitR$ 85,282,96%
GGBR4Gerdau PNR$ 30,422,67%

Na ponta contrária, as ações de Lojas Americanas e da holding Americanas S.A seguem passando por ajustes após o processo de fusão com a B2W Digital, o que deu origem à nova empresa. Confira também as maiores quedas:

CÓDIGONOMEVALORVARIAÇÃO
LAME4Lojas Americanas PNR$ 7,93-4,80%
AMER3Americanas S.A ONR$ 58,42-4,74%
FLRY3Fleury ONR$ 24,40-2,59%
HAPV3Hapvida ONR$ 14,40-2,37%
JHSF3JHSF ONR$ 7,57-2,07%
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

O melhor do seu dinheiro

A corrida dos bilhões com barreiras nos balanços da semana e outras notícias que mexem com o seu dinheiro

Bom dia! Prepare-se para ler muitas vezes a palavra “bilhão” ao longo desta semana nas reportagens do Seu Dinheiro. Com a temporada de balanços na fase decisiva, estão programados para os próximos dias os resultados dos três maiores bancos brasileiros — Banco do Brasil, Itaú e Bradesco. Em outros tempos, os lucros bilionários projetados para […]

segredos da bolsa

Esquenta dos mercados: Copom e payroll devem movimentar os negócios junto com balanços dos grandes bancos

Além disso, os mercados amanheceram com apetite de risco nesta-segunda-feira; confira

Decolagem vertical

De olho nas cidades, Azul fecha parceria com startup alemã para ter carro voador

Acordo prevê a aquisição de 220 aeronaves fabricados pela Lilium, com um valor que pode chegar a US$ 1 bilhão e operação a partir de 2025

cardápio da semana

Itaú, Bradesco, BB e Petrobras divulgam resultados nesta semana; saiba o que esperar

Depois do baque com o início da pandemia, companhias que fazem parte do Ibovespa devem registrar uma alta anual de 255% do lucro por ação; veja agenda da semana

Mais uma empreitada

Do espaço para as fazendas: Elon Musk consegue licença para oferecer internet via satélite no Reino Unido

A Starlink, segundo informações do jornal Telegraph, quer chegar a regiões onde a cobertura por fibra e 5G não alcançam, e tem planos mais ambiciosos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies