🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Tá chovendo dinheiro!

Bradespar (BRAP4) vai entregar R$ 5 bi em papéis da Vale (VALE3) aos acionistas e dispara na bolsa; entenda

A Bradespar (BRAP4), dona de 5,7% da Vale (VALE3), pretende distribuir parte de seus papéis da mineradora para reduzir seu capital social

Victor Aguiar
Victor Aguiar
15 de setembro de 2021
14:19 - atualizado às 20:30
Montagem com o ator Leonardo DiCaprio no filme "O Lobo de Wall Street", usando uma camisa com o logo da Bradespar (BRAP4). Na cena, ele joga notas de dólar de uma sacada, representando a distribuição de dividendos e ações da Vale (VALE3) | Dividendos
A Bradespar (BRAP4) está distribuindo dinheiro - Imagem: Montagem Victor Aguiar

Comprar ações da Bradespar (BRAP4), em linhas gerais, é uma maneira de ter exposição indireta à Vale (VALE3). A holding de investimentos é dona de quase 5,7% da mineradora — uma posição que equivale a cerca de R$ 29 bilhões. Sendo assim, os dois ativos sempre andam muito próximos na bolsa: quando os papéis da Vale sobem ou caem, os da Bradespar costumam pegar carona.

Essa relação entre as duas empresas vai continuar existindo, mas a história da exposição indireta vai passar por uma reviravolta. E isso porque a Bradespar tem planos de mudança brusca em sua estratégia administrativa — e, para colocá-los em prática, vai entregar R$ 5,26 bilhões em papéis da Vale aos seus acionistas.

A notícia provocou uma corrida às ações da Bradespar (BRAP4): por volta de 12h30, elas operavam em forte alta de 6,65%, a R$ 64,69, liderando a ponta positiva do Ibovespa num dia em que o principal índice da bolsa brasileira tem perdas generalizadas e cai mais de 1%.

É claro que a Bradespar não tomou essa decisão por um gesto de caridade e desprendimento: tudo faz parte de um extenso plano para adequar o capital social da companhia às necessidades atuais e para aumentar a liquidez de suas próprias ações.

Mas os motivos da holding de investimentos não importam ao mercado. O que interessa é a oportunidade de receber ações da Vale — que, diga-se, acumulam ganhos de quase 70% em um ano — com um desconto interessante. Afinal, mesmo com a alta de hoje, os papéis da Bradespar ainda são muito mais baratos que os da mineradora, atualmente negociados na casa dos R$ 90,00.

Antes de continuar, vale dizer que apresentamos uma análise sobre o futuro de VALE3 no nosso Instagram. Confira abaixo e aproveite para nos seguir no Instagram (basta clicar aqui). Lá entregamos aos leitores análises de investimentos, notícias relevantes para o seu patrimônio, oportunidades de compra na bolsa, insights sobre carreira, empreendedorismo e muito mais.

Bradespar (BRAP4): o plano complexo

Para entender toda essa história, é preciso dar alguns passos para trás. De imediato, a Bradespar vai emitir 45 milhões de novas ações, sendo 15,8 milhões de ONs (BRAP3) e 29,2 de PNs (BRAP4). Elas serão entregues aos acionistas da companhia: a cada 10 papéis que possuírem, os investidores vão receber 1,295 em novos ativos.

Com essa operação, a Bradespar quer aumentar a liquidez das ações na bolsa e ajustar suas cotações. É a boa lei da oferta e demanda: se há mais papéis em circulação, o preço deles diminui; se a quantidade de ativos na B3 é maior, é natural imaginar que mais negócios serão feitos.

Mas, ora essas, se essa é a intenção, não seria mais simples fazer um desdobramento das ações?

De fato, se o plano da Bradespar envolvesse só a liquidez e o preço dos papéis em si, o desdobramento seria a solução mais prática. Ocorre que a companhia também quer mexer em seu capital social — e é aí que entra a distribuição de ações da Vale.

Bradespar, Vale e capital social

Com a emissão das novas ações, o capital social da Bradespar vai aumentar de R$ 4,1 bilhões para R$ 5,76 bilhões. Mas o que é isso?

Bem, sem ser excessivamente técnico, o capital social de uma empresa é a quantidade de recursos que cada um dos sócios investe ou se compromete a investir no negócio. No caso da Bradespar, portanto, os membros da sociedade estão assumindo um compromisso da ordem de R$ 5,76 bilhões; veja abaixo a composição acionária da holding:

Gráfico de pizza mostrando a composição acionária da Bradespar (BRAP4)
"Cidade de Deus", "Nova Cidade de Deus" e "NCF" são ligados ao Bradesco; os três, junto à Fundação Bradesco, somam 28% de participação na Bradespar e são os acionistas controladores

A definição do capital social é importante para permitir o crescimento de uma companhia: na fase inicial, quando as atividades ainda não dão lucro, é o aporte dos sócios que vai garantir a continuidade das operações. Só que esse não é o caso da Bradespar, uma holding estabelecida há anos e que já atingiu a maturidade.

Dito isso, a administração da Bradespar julgou que não é necessário manter um capital social tão elevado. Reduzi-lo traz vantagens aos sócios, uma vez que eles não precisam manter cifras tão elevadas para cumprir a disponibilidade exigida pelo capital social. Ou seja: diminuir esse montante libera dinheiro para que os sócios — no caso, o Bradesco — invistam em outros lugares.

VEJA TAMBÉM: Ação da Raízen (RAIZ4) pode se VALORIZAR mais de 50% após o IPO | Entenda

É aqui que a Vale entra no plano: após aumentar o capital social da Bradespar para R$ 5,76 bilhões, a companhia pretende reduzi-lo a R$ 500 milhões. E, para tal, vai gerar valor aos seus acionistas, entregando R$ 5,26 bilhões em ações da mineradora.

A quantidade de papéis ON da Vale (VALE3) a ser distribuída ainda não foi definida, uma vez que será usado como base o valor contábil dos ativos em 30 de setembro. Mas, apenas para uma conta rápida: usando a cotação de 30 de junho, seriam entregues 123 milhões de ações da mineradora — algo na proporção de 0,313 VALE3 para cada ação da Bradespar.

É importante ficar atento ao calendário: para ter direito aos novos papéis da Bradespar que serão emitidos, você precisa ser acionista da empresa na próxima segunda-feira, dia 20; para fazer parte da lista que receberá as ações da Vale, é necessário ter ativos da Bradespar em 16 de dezembro.

BRAP4 x VALE3: e agora?

Voltemos ao começo desse texto, quando falamos da estratégia de exposição indireta às ações da Vale (VALE3) através dos papéis da Bradespar (BRAP4). O que muda a partir de agora?

Em primeiro lugar, é preciso fazer um diagnóstico simples: mesmo com a distribuição de R$ 5,26 bilhões em ações da mineradora, a Bradespar ainda terá mais de R$ 23,7 bilhões em investimentos na Vale, considerando o valor atual da posição detida.

Ou seja: por mais que a participação da Bradespar na Vale vá diminuir, ela continuará sendo bastante relevante. A relação entre as duas vai ficar mais fraca, mas não desaparecerá.

Quanto à estratégia em si, muitos devem se perguntar qual a vantagem de se ter uma exposição indireta à Vale. Há inúmeras razões: você pode não querer ficar tão vulnerável às oscilações do minério de ferro, pode ter ressalvas às lado socioambiental da mineradora ou pode querer um veículo que tenha rendimento semelhante ao de VALE3, mas com um preço de entrada menor.

As ações da Bradespar, afinal, são mais baratas que as da Vale e, se tudo der certo no plano da holding, elas ficarão ainda mais atrativas, dado o aumento na liquidez e as cotações mais baixas.

Gráfico de linha mostrando as oscilações das ações ON da Vale (VALE3) e PN da Bradespar (BRAP4) desde 2020
Repare que as curvas das duas ações têm movimentos muito parecidos ao longo do tempo, comprovando a correlação entre Vale e Bradespar na bolsa

Compartilhe

Engordando os proventos

Caixa Seguridade (CXSE3) pode pagar mais R$ 230 milhões em dividendos após venda de subsidiárias, diz BofA

14 de setembro de 2022 - 13:22

Analistas acreditam que recursos advindos do desinvestimento serão destinados aos acionistas; companhia tem pelo menos mais duas vendas de participações à vista

OPA a preço atrativo

Gradiente (IGBR3) chega a disparar 47%, mas os acionistas têm um dilema: fechar o capital ou crer na vitória contra a Apple?

12 de setembro de 2022 - 13:09

O controlador da IGB/Gradiente (IGBR3) quer fazer uma OPA para fechar o capital da empresa. Entenda o que está em jogo na operação

novo rei?

O Mubadala quer mesmo ser o novo rei do Burger King; fundo surpreende mercado e aumenta oferta pela Zamp (BKBR3)

12 de setembro de 2022 - 11:12

Valor oferecido pelo fundo aumentou de R$ 7,55 para R$ 8,31 por ação da Zamp (BKBR3) — mercado não acreditava em oferta maior

Exclusivo Seu Dinheiro

Magalu (MGLU3) cotação: ação está no fundo do poço ou ainda é possível cair mais? 5 pontos definem o futuro da ação

10 de setembro de 2022 - 10:00

Papel já alcançou máxima de R$ 27 há cerca de dois anos, mas hoje é negociado perto dos R$ 4. Hoje, existem apenas 5 fatores que você deve olhar para ver se a ação está em ponto de compra ou venda

NOVO ACIONISTA

Com olhos no mercado de saúde animal, Mitsui paga R$ 344 milhões por fatias do BNDES e Opportunity na Ourofino (OFSA3)

9 de setembro de 2022 - 11:01

Após a conclusão, participação da companhia japonesa na Ourofino (OFSA3) será de 29,4%

Estreia na bolsa

Quer ter um Porsche novinho? Pois então aperte os cintos: a Volkswagen quer fazer o IPO da montadora de carros esportivos

6 de setembro de 2022 - 11:38

Abertura de capital da Porsche deve acontecer entre o fim de setembro e início de outubro; alguns investidores já demonstraram interesse no ativo

Bateu o mercado

BTG Pactual tem a melhor carteira recomendada de ações em agosto e foi a única entre as grandes corretoras a bater o Ibovespa no mês

5 de setembro de 2022 - 15:00

Indicações da corretora do banco tiveram alta de 7,20%, superando o avanço de 6,16% do Ibovespa; todas as demais carteiras do ranking tiveram retorno positivo, porém abaixo do índice

PEQUENAS NOTÁVEIS

Small caps: 3R (RRRP), Locaweb (LWSA3), Vamos (VAMO3) e Burger King (BKBR3) — as opções de investimento do BTG para setembro

1 de setembro de 2022 - 13:50

Banco fez três alterações em sua carteira de small caps em relação ao portfólio de agosto; veja quais são as 10 escolhidas para o mês

PATRIMÔNIO HISTÓRICO

Passando o chapéu: IRB (IRBR3) acerta a venda da própria sede em meio a medidas para se reenquadrar

30 de agosto de 2022 - 11:14

Às vésperas de conhecer o resultado de uma oferta primária por meio da qual pretende levantar R$ 1,2 bilhão, IRB se desfaz de prédio histórico

Exclusivo Seu Dinheiro

Chega de ‘só Petrobras’ (PETR4): fim do monopólio do gás natural beneficia ação que pode subir mais de 50% com a compra de ativos da estatal

30 de agosto de 2022 - 9:00

Conheça a ação que, segundo analista e colunista do Seu Dinheiro, representa uma empresa com histórico de eficiência e futuro promissor; foram 1200% de alta na bolsa em quase 20 anos – e tudo indica que esse é só o começo de um futuro triunfal

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies