Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-10-14T19:17:54-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico. Em 2020, foi eleito pela Jornalistas & Cia como um dos 10 profissionais de imprensa mais admirados no segmento de economia, negócios e finanças.
Bolsa tech

A B3 (B3SA3) quer comprar a Neoway, apostando que o big data vai virar big money

A B3 (B3SA3) disse estar em tratativas para comprar a Neoway, empresa de big data, em mais um passo da bolsa rumo ao setor de tecnologia

14 de outubro de 2021
11:56 - atualizado às 19:17
Fachada da sede da B3 (B3SA3), em São Paulo
Imagem: Divulgação

A B3 (B3SA3) quer colocar um pé na canoa da tecnologia, e não é de hoje: da compra da fatia restante da BLK Sistemas à parceria recém firmada com a Totvs, a bolsa tem feitos inúmeros movimentos para se associar às techs. Pois essa guinada tende a ganhar um novo capítulo: há pouco, ela anunciou que está em conversas para comprar 100% da Neoway, uma das líderes do setor de big data e inteligência artificial para negócios na América Latina.

Não há nada muito concreto na mesa — a B3 não revelou maiores detalhes, como a eventual estrutura da transação ou os valores envolvidos. Mas a mera sinalização já foi suficiente para animar o mercado: as ações B3SA3 subiram mais de 1% pela manhã, destoando do tom negativo do Ibovespa nesta quinta-feira (14). Ao final do pregão, porém, fecharam em queda de 0,70%, a R$ 12,76.

Sem grandes informações, não há como analisar essa potencial aquisição sob a ótica financeira — sem números, não tem como fazer qualquer conta. No entanto, podemos fazer um estudo qualitativo: o que a Neoway traz para a B3? Como essa transação pode dar impulso à bolsa?

Neoway: dados e mais dados

A Neoway atua no chamado "software como serviço" (SaaS, na sigla em inglês). Em resumo, a empresa possui uma plataforma que coleta e analisa uma ampla base de dados gerados por outras empresas — o tal big data. A partir dos resultados e de ferramentas de inteligência artificial, ela oferece soluções customizadas para aumentar as vendas, reduzir perdas e otimizar processos diversos.

A companhia foi fundada em 2002 e tem uma carteira diversa, englobando os setores financeiro, automotivo, construção civil, óleo e gás, tecnologia, saúde e bens de consumo, entre outros. A própria B3 está entre os clientes: as duas firmaram uma parceria para compilar e analisar os dados de contratos de financiamento de veículos que são registrados na bolsa — e, é claro, vender o acesso a essas informações para potenciais interessados.

A expertise no big data e o crescimento rápido atraíram investidores internacionais para a Neoway: fundos como Accel Partners, Monashees, Temasek, PointBreak, Pollux, e Endeavor Catalyst fizeram aportes na companhia ao longo do tempo; uma eventual transação com a B3, assim, envolve a venda das fatias detidas por esses investidores.

A Neoway, no entanto, passou por grandes turbulências nos últimos anos. A companhia foi citada na delação premiada do lobista Jorge Luz, no âmbito da Operação Lava Jato — ele teria atuado a favor da Neoway em um projeto ligado à BR Distribuidora, então subsidiária da Petrobras.

Posteriormente, a revelação de que o coordenador da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol, recebeu R$ 33 mil para dar uma palestra à Neoway voltou a colocar a empresa nos imbróglios envolvendo a investigação.

B3 (B3SA3): o bônus e o ônus das techs

Como dissemos no começo do texto, a B3 tem se aproximado do setor de tecnologia, buscando ampliar seu escopo de atuação, diversificar as receitas e acelerar seu crescimento. O aumento no número de investidores pessoa física na bolsa deu um impulso à companhia, mas ela tem dado indícios de que quer mais.

Entre as compras e movimentos corporativos recentes da B3, três se destacam:

Dito isso, os investidores não têm se mostrado particularmente animados com os projetos da B3 até agora: as ações ON (B3SA3) acumulam baixa de 34% desde o começo do ano; somente no último mês, as perdas foram de quase 8%.

De certa maneira, essa baixa recente em B3SA3 está inserida no âmbito das turbulências do mercado de ações como um todo — as incertezas políticas e econômicas afetaram o desempenho da bolsa e provocaram um movimento generalizado de realização de lucros.

Mas também há o fator tech: embora em menor escala, a B3 também foi afetada pela grande correção vista no setor de tecnologia — e que derrubou as cotações de empresas como Mosaico (MOSI3), Bemobi (BMOB3), GetNinjas (NINJ3), Enjoei (ENJU3) e Méliuz (CASH3), entre outras.

Gráfico de linha mostrando a evolução das ações ON da B3 (B3SA3) desde 2020
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

ATENÇÃO, ACIONISTA

Hapvida (HAPV3) vai recomprar até 100 milhões de ações; papéis acumulam queda de 17% no ano

A operadora de saúde anunciou hoje que dará início a um programa de recompra de papéis com duração de até 18 meses

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ibovespa fecha semana no azul, Nubank valendo bilhões a menos e primeiro ETF cripto dos EUA: veja as principais notícias desta sexta

Em uma limousine brilhante, o Ibovespa chegou atrasado para a festa das bolsas globais — mas chegou.  Os balanços das empresas europeias e americanas abriram as portas do salão de baile: com o bom resultado das companhias, dados mistos da economia e um desenho mais nítido da retirada de estímulos monetários, Wall Street brilhou.  O […]

CRIPTOMOEDAS

Quais as dificuldades na regulamentação do Bitcoin e demais criptomoedas?

Analista de criptomoedas, Valter Rebêlo, comenta sobre o processo de regulamentação das criptomoedas ao redor do mundo

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa tira uma lasquinha da festa das bolsas globais e sobe mais de 1% na semana; dólar recua após atuações do BC

Com uma bolsa descontada após as turbulências recentes, o Ibovespa tinha tudo para chegar cedo nessa festa, mas foi preciso que o Banco Central assumisse a condução para que a B3 tivesse uma chance.

ALGUNS BILHÕES A MENOS

Nubank prepara IPO com listagem na Nasdaq e na B3 até o fim deste ano, mas deve baixar a pedida no valuation

Meses atrás, a startup buscava ir a mercado avaliada em cerca de US$ 100 bilhões; veja o novo valor de mercado segundo o Broadcast

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies