Menu
2020-04-15T18:54:08-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
conflitos em brasília

Secretário Wanderson de Oliveira, do Ministério da Saúde, pede demissão

Saída do secretário acontece em meio à pandemia do coronavírus e aos embates entre Bolsonaro e o ministro da Saúde

15 de abril de 2020
12:57 - atualizado às 18:54
49754678111_2375ab7a2d_c
(Brasília - DF, 09/04/2020) Palavras do Secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira. Foto: José Dias/PR -

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, pediu demissão do cargo ocupado no Ministério da Saúde na manhã desta quarta-feira (15).

Oliveira era um dos principais formuladores da estratégia do ministério para combater o novo coronavírus. Ele vinha se queixando a colegas sobre o discurso de Bolsonaro. "Só Deus para entender o que querem fazer", disse.

A saída do secretário acontece em meio à pandemia do coronavírus e aos embates entre o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Saúde. O chefe do Executivo insiste em um afrouxamento do isolamento social, contrariando Mandetta, autoridades sanitárias em todo o mundo e governadores.

Mais cedo, a Folha de S. Paulo noticiou que o ministro avisou sua equipe na noite desta terça-feira (14) que deve ser demitido ainda nesta semana. O presidente Jair Bolsonaro já estaria à procura por um substituto.

Mandetta disse que combinou de esperar pela escolha de um novo nome para o Ministério da Saúde, ainda conforme a publicação.

O presidente Jair Bolsonaro ameaçou algumas vezes demitir Mandetta desde o início da crise do novo coronavírus. No centro do embate está a discussão sobre o isolamento social.

Mandetta era sustentado, em parte, pela ala militar do governo. Mas o apoio arrefeceu, conforme relatos da imprensa, após a entrevista concedida para a TV Globo no último domingo (12). Ontem, o vice-presidente Hamilton Mourão disse em entrevista ao Estadão que o ministro havia exagerado no tom.

Mandetta chegou a dizer que a população não sabia se escutava o chefe do Executivo ou o Ministério da Saúde e cobrou uma "fala única" do governo nas orientações sobre o enfrentamento do coronavírus.

Nesta terça-feira, o Ministério da Saúde divulgou que o país tem 1,5 mil mortes e 25,2 mil casos confirmados do novo coronavírus. Mas há diversos estudos indicando que milhares de casos não estão sendo notificados. O número deve aumentar até setembro, segundo projeções do ministério.

*Com informações de Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

UM PORTO SEGURO PARA SEUS INVESTIMENTOS

A economia está morrendo… O que você pode fazer para se salvar?

A impressão de dinheiro nunca gerou prosperidade sustentável. A impressão de dinheiro sempre causou pobreza para os que trabalham por dinheiro. É por isso que eu sugiro que você compre…

coronavírus no brasil

Brasil passa da marca de 1,5 milhão de casos confirmados de covid-19

Do total de infectados até o momento, 868.372 já se recuperaram

ministro da Economia

Presidente está determinado a seguir em frente com reformas, diz Guedes

Guedes voltou a traçar um prognóstico positivo para a recuperação da atividade econômica após o momento mais dramático dos efeitos da pandemia do novo coronavírus

seu dinheiro na sua noite

Aqui, ali, em qualquer lugar

Os protestos surgiram logo no primeiro dia da quarentena aqui em casa. O André, meu filho mais velho, reclamou de tédio, e não demorou até ganhar a adesão da Helena. A situação se acalmou depois que a escola adotou as aulas virtuais. Mas com as férias a partir desta semana já começo a temer por novas “manifestações”. […]

gigante estatal

Petrobras aguarda autorização da ANP para avançar com diesel vegetal

A Petrobras está em fase final de desenvolvimento da tecnologia que permitirá a produção de óleo diesel de origem vegetal em suas refinarias, afirmou o diretor de Relacionamento Institucional da estatal, Roberto Ardenghy

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements