Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-03-16T13:03:15-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
crise se sobrepõe

Orçamento Impositivo agora é assunto secundário, diz Maia

Presidente da Câmara diz que governo vai ter que gastar valores muito maiores do que os R$ 5 bilhões liberados em MP

16 de março de 2020
13:02 - atualizado às 13:03
Rodrigo Maia
O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. - Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que a discussão sobre o Orçamento Impositivo e sobre quem fica com a gestão de R$ 30 bilhões de emendas parlamentares, Executivo ou Legislativo, neste momento é secundária.

"Governo vai ter de gastar na saúde valores muito maiores do que os R$ 5 bilhões", disse em entrevista à Rádio Bandeirantes. O valor foi liberado por medida provisória editada pelo governo na sexta-feira depois de acordo fechado com o Congresso. O recurso tem origem em emendas para a saúde.

Maia lembrou que há dispositivo na lei do teto de gastos para momentos extraordinários de crise, como esse, que podem ajudar a liberar mais recursos para conter o avanço do coronavírus no Brasil.

"Orçamento precisa estar todo focado no enfrentamento da crise", afirmou. "Como uma pessoa que não tem renda formal vai para quarentena? Um motorista de Uber, por exemplo. Esses são os problemas dos quais o orçamento tem de ter prioridade", avaliou.

O presidente da Câmara disse que ainda não é possível ter noção das consequências da crise, não só na saúde, mas também na economia. Ele lembrou que na semana passada a previsão de economistas sobre o crescimento do País foi mudada rapidamente com o passar dos dias.

"Nas próximas semanas, vamos ter uma noção melhor", disse. "Governo tomou algumas decisões hoje, do meu ponto de vista, corretas", afirmou.

Maia foi questionado sobre uma polêmica que circula nas redes sociais desde domingo, após ele ter criticado abertamente a atitude do presidente Jair Bolsonaro de ter participado das manifestações.

Internautas pró-Bolsonaro questionam a participação de Maia na festa de inauguração da CNN Brasil, no último dia 9, na Oca em São Paulo. A festa reuniu mais de mil pessoas e diversas autoridades. "Não havia o crescimento do vírus como começou a subir na quinta e na sexta", disse.

Ainda segundo Maia, o "Congresso e Câmara continuarão funcionando" para que projetos prioritários de enfrentamento ao coronavírus sejam votados no curto prazo, "respeitando as restrições impostas pelo Ministério da Saúde". Para o deputado, entre os projetos prioritários, no médio prazo está a Reforma Tributária, cuja votação segue prevista para maio.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

próximos anos

Eletrobras aprova em conselho plano de negócios com desinvestimentos de R$ 41 milhões

Entre as medidas previstas está a avaliação de oportunidades para efetuar a gestão dos passivos provenientes de dívidas do Sistema Eletrobras

temporada de resultados

Lucro da Alpargatas, dona da marca Havaianas, cresce 228,7%, R$ 111 milhões

Receita líquida da companhia saltou 71,4% sobre igual intervalo de 2020, para R$ 1,095 bilhão, ao mesmo tempo em que os volumes registraram crescimento de 57%

seu dinheiro na sua noite

As corridas da bolsa e do dólar — e a frustração dos investidores na linha de chegada de julho

Nove em cada dez operadores do mercado financeiro juram, de pés juntos, que o último pregão do mês costuma ser positivo. Ora essas, é a data limite para o fechamento das lâminas de desempenho mensal dos fundos e das carteiras de investimento — e é claro que todo mundo quer estampar o melhor resultado possível. […]

decisão temporária

CVM suspende oferta de recebíveis que financiaria cooperativas do MST

Decisão da autarquia vale por 30 dias; CVM diz que a oferta não apresenta informações consideradas essenciais para os investidores

FECHAMENTO DA SEMANA

Ameaça ao teto de gastos e derretimento do minério de ferro afundam o Ibovespa em mais de 3%; dólar vai a R$ 5,20

Com a pressão das ameaças político-fiscais e a queda brusca do minério de erro, a bolsa brasileira amargou uma queda de mais de 3%. Já o dólar voltou a ser negociado na casa dos R$ 5,20

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies