Menu
2020-04-14T11:07:02-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
crise em pauta

Objetivo é manter a estrutura produtiva de abril a junho, diz secretário

Adolfo Sachsida disse que o teto de gastos está sendo mantido e depois de passada a pandemia, o governo voltará a controlar à política de ajuste econômico e fiscal

14 de abril de 2020
11:06 - atualizado às 11:07
Adolfo Sachsida
Adolfo Sachsida, secretário de Política Econômica do Ministério da Economia - Imagem: Reprodução

O secretário de política econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, disse nesta terça-feira, 14, que a função da SPE é manter a economia com empregos em abril, maio e junho. "Temos que manter a estrutura". Ele participa neste momento de uma transmissão ao vivo da XP Investimentos.

No entanto, de acordo com o secretário, o teto de gastos está sendo mantido e depois de passada a pandemia, o governo voltará a controlar à política de ajuste econômico e fiscal.

Sachsida disse que as medidas adotadas pela equipe econômica foram tempestivas, fortes e de caráter transitório.

Ele afirmou que as pessoas parecem não entender a situação e condições da economia brasileira quando fazem comparações com os pacotes anunciados por outros países, como os da Europa e Estados Unidos. "Dizer que o governo está lento e não anunciando medidas é errado", disse Sachsida.

"Nós fomos anunciando as medidas aos poucos. Não somos EUA e nem Europa", afirmou o secretário para quem a economia voltará a retomar a trajetória de crescimento em julho ou agosto, de forma lenta e gradual.

"Se empresas quebram, a retomada é lenta e o choque é permanente", disse o secretário. Contudo, de acordo com ele, em três meses o País terá a estrutura produtiva pronta para sair desta situação de crise.

Impacto

O secretário reforçou que as ações de política fiscal e monetária para enfrentar a crise gerada pelo coronavírus somam R$ 1 trilhão e que o déficit primário deve fechar em R$ 250 bilhões.

Segundo ele, a Secretaria de Política Econômica (SPE) está acompanhando se o dinheiro está chegando onde deve chegar. O chamado "coronavoucher", de acordo com Sachsida, está chegando a quem precisa.

"Até o momento, dados mostram que o coronavoucher está chegando sim", disse o secretário, destacando que as medidas estão chegando na ponta, mas que é preciso fazê-las chegar muito mais. "As medidas trabalhistas estão chegando na ponta bem", disse Sachsida.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Temos vacina!

Por unanimidade, Anvisa aprova uso emergencial da CoronaVac e da vacina de Oxford/AstraZeneca

Primeiros profissionais de saúde já foram vacinados em pronunciamento do governador de São Paulo, João Doria

Mais uma recomendação

Técnicos da Anvisa recomendam uso emergencial da vacina de Oxford/AstraZeneca

Mais cedo, área técnica havia defendido aprovação da CoronaVac

Ainda falta...

Anvisa devolve pedido de uso emergencial da Sputnik

Laboratório russo não apresentou os requisitos mínimos para que o pedido de uso emergencial pudesse ser analisado pela agência

Quase lá

Área técnica da Anvisa recomenda uso emergencial da CoronaVac

Diretores da agência analisam pedidos de uso de vacinas. No momento, a área técnica ainda faz a apresentação. Em seguida, a relatora do tema, diretora Meiruze Freitas lerá seu voto, com os outros quatro diretores da agência votando depois

coronavírus

Covid-19: Brasil tem 8,4 milhões de casos e 61 mil novos diagnósticos nas últimas 24h

Segundo ministério, 7.388.784 pacientes recuperaram-se da doença

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies