2020-03-18T14:53:06-03:00
teste deu positivo

Ministro do governo, general Augusto Heleno confirma que está com coronavírus

Com isso, sobe para 16 o número de pessoas do grupo que viajou com o presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos que recebeu o diagnóstico

18 de março de 2020
11:12 - atualizado às 14:53
O general Augusto Heleno durante sessão de fotos cedida ao Estado na sede do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. - Imagem: WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, de 72 anos, disse nesta quarta-feira (18) que seu exame deu positivo para coronavírus.

Embora o primeiro exame realizado por ele tenha dado negativo para o vírus, um novo teste, colhido na terça-feira, diagnosticou o contágio pelo vírus. Com isso, sobe para 16 o número de pessoas do grupo que viajou com o presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos, na semana passada, e pegaram a doença.

Na quarta, o presidente divulgou em suas redes sociais que o segundo teste, a exemplo do primeiro, não diagnosticou coronavírus.

O primeiro caso envolvendo a comitiva presidencial que foi aos Estados Unidos foi o do secretário de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten. Ele voltou ao Brasil na madrugada da quarta-feira passada, no mesmo avião do presidente e de Heleno.

Além do ministro, outros quatro funcionários do GSI que integraram a equipe que acompanhou Bolsonaro na viagem também tiveram diagnóstico positivo para a doença.

Mesmo com o resultado negativo do primeiro exame, a recomendação médica era para que os integrantes da comitiva ficassem em quarentena por mais sete dias até a realização do novo exame.

O próprio Bolsonaro, no entanto, ignorou a orientação e cumpriu agendas diárias desde sexta-feira. No domingo, chegou a participar de manifestações de rua a favor do governo e contra o Congresso. Na ocasião, segundo levantamento do jornal O Estado de S. Paulo, teve algum tipo de contato com 272 pessoas.

O contato com uma pessoa infectada é uma das formas de transmissão do coronavírus. O presidente foi criticado por infectologistas e até por aliados por expor os manifestantes ao risco de contaminação pela covid-19 (caso esteja com o vírus incubado).

Heleno também não ficou em isolamento total e despachou em seu gabinete no Palácio do Planalto mesmo após a confirmação de que teve contato com alguém infectado.

O ministro faz parte do grupo de risco da doença por causa da idade. A taxa de letalidade do vírus é considerada baixa (entre 2% e 3%, segundo a OMS), mas o número sobe para 8% em pacientes de 70 a 79 anos e chega a 15% em maiores de 80 anos, conforme estudo do Centro de Controle e Prevenção de Doenças da China.

Relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) com base em dados de pacientes chineses apontou mortalidade de quase 22%.

Sem sintomas

Heleno não apresentou sintomas do novo coronavírus. Parte do grupo de risco, aos 72 anos, ele dizia que não apresentava febre, dor de garganta, falta de ar ou outros sinais explícitos da doença.

Também anunciou que testou negativo para a covid-19, o que lhe garantiu segurança para se reunir com o presidente Jair Bolsonaro, pelo menos outros três ministros e líderes do governo no Congresso. Cinco dias depois, no entanto, fez novo exame e descobriu que está com o novo coronavírus.

Pouco antes de fazer o teste, na terça, no departamento médico do Palácio do Planalto, Heleno chegou a fazer uma brincadeira sobre a covid-19. Ao ver uma mancha na gravata do ministro da Secretaria-geral, Luiz Eduardo Ramos, brincou que era sinal do novo coronavírus.

Na saída, já demonstrava mais preocupação com o resultado. "Tudo bem, mas é o tal negócio, não é uma coisa absolutamente tranquilizadora você estar muito bem. Já houve gente que foi diagnosticada, porque isso depende muito da reação do seu organismo, às vezes seu organismo resiste a esse tipo de vírus sem ter grandes problemas. Tem gente que vai para cama, tem febre, não sei o quê", declarou a jornalistas.

Desde que voltou dos Estados Unidos, Heleno esteve no Palácio do Planalto para despachos internos e manteve diversas reuniões com o presidente Jair Bolsonaro e ministros no Palácio do Planalto, segundo agendas oficiais.

Na última quarta-feira, há registro de um encontro entre Heleno, o presidente da República, o ministro da Secretaria de Governo e o líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO). Em seguida, consta uma nova reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o ministro da Secretaria-Geral, Jorge Oliveira, e os líderes do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), e do Congresso, Eduardo Gomes (MDB-TO).

Na terça, de acordo com a agenda de Ramos, o ministro do GSI teve novo reunião com ele, Bolsonaro e Jorge Oliveira. Na agenda de Heleno, constam outros encontros com o presidente no mesmo dia, que diz ter testado novamente negativo para a covid-19.

*Com Estadão Conteúdo

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

MUDANDO A RECOMENDAÇÃO

Itaú BBA vê Gerdau (GGBR4) como ação defensiva, mas a siderúrgica que pode subir mais de 50% é outra; confira as apostas do banco

A queda de mais de 39% das ações da Usiminas abriram um bom ponto de entrada, segundo os analistas do Itaú BBA

Análise SD

Jogou a toalha? Azul (AZUL4) critica plano de recuperação da LATAM e dá a entender que não vai aumentar a proposta

A Latam pretende injetar mais de US$ 8 bi com as medidas de seu plano de recuperação judicial, cifra superior à proposta pela Azul (AZUL4)

bitcoin (BTC) hoje

Alívio com variante da covid-19 chega primeiro ao mercado de criptomoedas e bitcoin (BTC) volta aos US$ 57 mil

O mercado de criptomoedas, que não para nunca, sentiu o alívio ainda no final do sábado (27) e segue em alta hoje

Radiocash

“Esses 4 milhões de pessoas na Bolsa vieram para ficar”, diz Gustavo Cerbasi

Com 16 livros publicados e 1,5 milhão de seguidores no Instagram, o ex-professor universitário encara com cautela a fama, e rejeita alguns rótulos

Ao acionista com carinho

Ação da Petrobras (PETR4) pode render 100% só em dividendos nos próximos cinco anos

Relação ‘risco-recompensa’ é como comparar um formigueiro ao Everest, avalia o UBS