Menu
2020-08-12T18:58:28-03:00
Estadão Conteúdo
de olho em brasília

Maioria dos deputados acredita na aprovação da reforma tributária

Levantamento também aponta que a maior parte dos parlamentares é contra a criação de um imposto sobre pagamentos digitais, como quer o governo

12 de agosto de 2020
13:37 - atualizado às 18:58
câmara
Plenário - Sessão Extraordinária Michel Jesus/Câmara dos Deputados - Imagem: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

A reforma tributária tem chance de aprovação na Câmara e no Senado até o fim do ano para a maioria (56%) dos deputados, segundo pesquisa da XP Investimentos. O levantamento também aponta que a maior parte dos parlamentares é contra a criação de um imposto sobre pagamentos digitais, como quer o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A discussão sobre uma reformulação do sistema de impostos do País já vinha ganhando força mesmo antes da pandemia do novo coronavírus. E na visão dos políticos, a reforma tributária é hoje o projeto que tem mais probabilidade de sair até o fim de 2020, em uma lista de oito propostas, que inclui o Renda Brasil - programa de distribuição de renda que o governo quer criar em substituição ao Bolsa Família - e a independência do Banco Central.

Sobre as mudanças necessárias no sistema de cobrança de impostos do País, algumas medidas, como a taxação de grandes fortunas e a criação de faixas de Imposto de Renda para os mais ricos, têm grande apelo com os parlamentares: 66% dizem que é preciso taxar fortunas e 63% apoiam a cobrança de um IR maior para os mais ricos.

Uma reportagem publicada no Estadão no começo deste mês já apontava que a crise econômica gerada pela covid-19 havia acendido o debate no País sobre a necessidade de aumentar os impostos dos mais ricos, junto com as propostas de reforma tributária em tramitação no Congresso.

Também têm a simpatia dos parlamentares outras medidas, como aumentar a taxação sobre heranças - 56% são a favor - e que o País volte a taxar lucros e dividendos de empresas (57%) com a redução de Imposto de Renda para Pessoa Jurídica.

Por outro lado, um dos principais pontos que estão na mesa é desaprovado pela maioria dos deputados. Do total dos entrevistados, 66% se dizem contra a criação de um imposto sobre pagamentos digitais, como pretende o ministro da Economia, Paulo Guedes.

O governo brasileiro planeja criar um tributo de 0,2% sobre pagamentos digitais, o que os críticos à proposta chamam de "nova CPMF". Os recursos seriam usados para compensar a perda de arrecadação com uma eventual desoneração da folha de pagamentos.

Mas ainda que esse novo tributo ajude a custear programas de transferência de renda, como o Renda Brasil, ou a desoneração da folha, 48% dos entrevistados pela pesquisa se diz contra a criação do tributo.

A pesquisa da XP ouviu 146 dos 513 deputados federais, tanto de oposição quanto a favor do governo, entre os dias 20 e 31 de julho. A maioria dos entrevistados é do PT, PSL e PSD.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Em 2009

Carlos Bolsonaro comprou imóvel por preço 70% abaixo do fixado pela prefeitura

A prática não é ilegal, mas costuma despertar suspeitas – por possibilitar, em tese, pagamentos “por fora”, sem registros oficiais.

Em expansão

E-commerce, mercado financeiro e delivery puxam contratações de executivos

Segundo dados do LinkedIn, houve 1.269 movimentações para cargos executivos entre março e agosto, 80% delas foram para esses setores.

Judiciário

Celso de Mello antecipa saída e acelera sucessão no STF

Com saída, abre-se a primeira vaga para indicação do presidente Jair Bolsonaro.

Mais lidas

MAIS LIDAS: De bolso cheio para brigar contra todos

Na semana em que o Seu Dinheiro completou dois anos no ar, refleti sobre quanta água rolou em tão pouco tempo. Foram muitos acontecimentos relevantes para os mercados, como eleição presidencial, guerra comercial de China e Estados Unidos, aprovação da Reforma da Previdência e a chegada do coronavírus. A Julia Wiltgen levantou o ranking de […]

Aviação regional

Governo quer licitar cinco blocos de aeroportos na Amazônia Legal

Pontapé inicial será no Amazonas, onde o governo espera transferir para uma empresa a operação de oito aeroportos regionais em 2022

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements