Menu
2020-03-24T06:28:47-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
aprovada no congresso

Governo vai ao STF contra ampliação do BPC

Ação justifica que é preciso resguardar verbas para o combate ao coronavírus

24 de março de 2020
6:28
Jair Bolsonaro
Imagem: Marcos Corrêa/PR

Em um pedido assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, a Advocacia-Geral da União (AGU) moveu uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar derrubar uma decisão do Congresso Nacional que ampliou a concessão do Benefício de Prestação Continuada (BPC) a famílias com renda per capita de até meio salário mínimo (R$ 522,50).

Os parlamentares derrubaram no dia 11 veto do presidente Jair Bolsonaro à medida. A ação justifica que é preciso resguardar verbas para o combate ao coronavírus.

O veto de Bolsonaro foi derrubado por 45 votos a 14 no Senado e 302 votos a 137 na Câmara. O governo estima um impacto de R$ 217 bilhões em uma década com a derrubada do veto, sendo R$ 20 bilhões em um ano.

Por meio do advogado-geral da União, André Luiz Mendonça, Bolsonaro afirma que o "aumento da citada despesa acaba por comprimir ainda mais o orçamento federal, restringindo recursos que agora poderiam ser destinados em políticas públicas específicas voltadas ao combate" do novo coronavírus.

A AGU ainda lembra à Corte que foi decretada calamidade pública no País, mas a medida "em nada altera a obrigatoriedade de observância do teto de gastos previsto no Ato de Disposições Constitucionais Transitórias, estando restrito à dispensa do cumprimento da meta fiscal, o que evita o contingenciamento de recursos para observância de tal meta, bem como permite o descumprimento de limite de gastos com pessoal do funcionalismo público".

“Dito de outra forma, tal decreto em nada impacta nos argumentos postos na presente arguição de descumprimento e também não elide o perigo da demora aqui demonstrado”, afirma.

“Tais fatos comprovam que o aumento do valor do citado benefício não apenas não tem relação direta com as medidas de combate à disseminação do coronavírus, como potencialmente se apresentam como um fator negativo de implementação de medidas emergenciais indispensáveis para o momento”, sustenta.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Balanços

Por que as ações do Santander caem mesmo com lucro acima do esperado?

Ninguém discorda que os resultados do Santander foram muito bons. Mas os analistas que cobrem o banco questionaram se os números se sustentam nos próximos balanços

CRESCENDO

Superintendência do Cade aprova compra da Easynvest pelo Nubank

Compra da Easynvest é a terceira feita pelo Nubank em 2020 e visa atingir desbancarizados

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta terça-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Exile on Wall Street

Save the date: a alma do investidor imoral

Assim como a vida, o investimento também é um ato de equilibrar forças ambivalentes, a intuição de Dionísio com as técnicas de valuation nas planilhas de Apolo

Mercados hoje

Ibovespa cai em meio a exterior misto, com peso de Petrobras e JBS

A temporada de balanços corporativos, com os resultados do terceiro trimestre de 2020, começa a ganhar força no Brasil e no exterior; por aqui, ações do Santander caem após resultados positivos, e pesos-pesados como Petrobras e JBS arrastam a bolsa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies