Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-12-27T18:17:52-03:00
Estadão Conteúdo
Congresso

Eleição na Câmara é vital para votações de interesse da área econômica do governo

Com Centrão rachado, mercado ainda não sabe o que esperar

27 de dezembro de 2020
18:17
Rodrigo Maia
Sucessão de Rodrigo Maia na presidência da Câmara é a que atrai maior foco no aspecto econômico. - Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A definição sobre o comando das mesas da Câmara e do Senado é considerada essencial não só para destravar as votações, mas também para se saber qual o perfil dos novos presidentes num momento delicado para a equipe econômica. O saldo da disputa na divisão do Centrão é a grande incógnita.

O Centrão que votou unido na pauta reformas já não existe mais com o racha provocado pela disputa pela sucessão do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). “Estamos vendo uma briga dentro do Centrão. É uma disputa que não se esgota em primeiro de fevereiro e está remetida à eleição de 2022”, diz Carlos Kawall, diretor da ASA Investments e ex-secretário do Tesouro.

Kawall não espera a aprovação de grandes reformas constitucionais, como o teto de gastos, em 2016, e a Previdência, no ano passado. Ele considera que as propostas de menor envergadura e com mais consenso vão continuar passando no Congresso, como os marcos regulatórios, entre eles, a lei do gás e o projeto de ferrovias.

Para o economista, a PEC emergencial de corte de gastos deve ser aprovada mas com tamanho muito menor do que se imaginou no início. Com acionamentos de alguns gatilhos, mas sem grandes mudanças na dinâmica negativa de alta dos gastos obrigatórios (como as despesas com o funcionalismo), a redução de jornada dos servidores e desindexação das despesas do Orçamento.

A eleição na Câmara é o que tem atraído maior foco no aspecto econômico. O Palácio do Planalto apoia abertamente a candidatura do líder do PP, Arthur Lira (AL), um dos expoentes do Centrão. Lira e Guedes já se encontraram algumas vezes, e o deputado fez uma recente guinada no discurso em defesa das reformas. No mercado, porém, ainda há um “pé atrás” sobre qual seria o compromisso real de Lira com as propostas.

O candidato do outro lado, Baleia Rossi (MDB-SP), votou com as reformas, mas para viabilizar sua candidatura nos partidos de oposição teve que assumir compromissos que batem de frente com a agenda de reformas liberais.

No mercado financeiro, porém, a avaliação é de que a eleição de Lira pode acabar se traduzindo em um governo Bolsonaro “com a faca no pescoço”. As reformas podem até ser aprovadas nesse contexto, mas a um preço bem elevado.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Casamento legal

Cade mantém aprovação de compra de fatia da BRF (BRFS3) pela Marfrig (MRFG3)

A conselheira que havia pedido a reabertura da análise da operação mudou de posição e desistiu da reavaliação

SEGURADORA EM APUROS

Vítima de ataque cibernético, Porto Seguro (PSSA3) diz ter restabelecido canais após quase uma semana de instabilidade

Corretores ouvidos pela reportagem disseram que, nos últimos dias, os sistemas da seguradora apresentaram problemas

CRYPTO NEWS

Cotação do bitcoin (BTC) bate recorde histórico — o que fazer com a criptomoeda a partir de agora?

Depois de alguns meses sendo um investimento “ruim”, porque teve 50% de queda, o bitcoin volta a ganhar os holofotes do mercado e as manchetes da mídia especializada

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Auxílio Brasil, recorde do bitcoin, balanço da Tesla e produção da Vale: confira as principais notícias do dia

Com a temporada de balanços americana trazendo resultados animadores, o empurrãozinho em direção a um dia de ganhos poderia ter sido maior, mas não tem como negar que a grande pedra no sapato do investidor brasileiro é o novo programa social pretendido pelo governo federal. O saldo final do pregão de hoje foi positivo, mas […]

Problemas nas refinarias?

Com ameaça de desabastecimento no radar, produção da Petrobras (PETR4) recua 4,1% no 3º trimestre

Antes da divulgação do relatório, a petroleira já havia informado que não teria capacidade para atender, em sua totalidade, os pedidos por fornecimento de combustível em novembro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies