⚠️ DIVIDENDOS EM RISCO? Lula, Bolsonaro, Ciro e Tebet querem taxar seus proventos e podem atacar sua renda extra em 2023. Saiba mais aqui

2020-02-26T15:26:58-03:00
Estadão Conteúdo
Climão em Brasília

Bolsonaro deu mais um passo para frear agenda de reformas, diz cientista político

Presidente divulgou vídeo em que convoca manifestações contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal

26 de fevereiro de 2020
15:26
49249374647_8efe5a133f_c
(Brasília - DF, 22/12/2019) Presidente da República, Jair Bolsonaro concede entrevista ao Jornalista Fernando Rodrigues do Programa Poder em Foco do SBT. - Imagem: Isac Nóbrega/PR

Ao divulgar um vídeo que convoca manifestações contra o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente Jair Bolsonaro deu mais um passo para enfraquecer as instituições do País e a relação do governo com o legislativo, segundo avaliação do cientista político e professor do Insper Carlos Melo.

Ele classificou o episódio como "mais um passo" do presidente em um processo de fomento de incerteza política e avalia que, ao reiteradamente adotar comportamentos como esse, Bolsonaro dificulta o avanço da agenda de reformas do Planalto.

"Estamos praticamente em março e o que já foi votado? Nada. O Congresso espera as propostas do governo para as reformas para poder discutir, avançar. O governo tem de liderar este processo, mas abriu mão de ser maioria. Depois, reclama que a sua agenda não vai para a frente, que não consegue atrair investidores", disse o cientista político.

Para Melo, a repercussão do caso durante as próximas 72 horas vai definir boa parte do futuro do governo neste ano, a depender de como as lideranças do Congresso Nacional e do próprio STF se manifestarem. "As instituições vão reagir? Olha, com a palavra os presidentes do Congresso e da Câmara", disse.

De acordo com o cientista político, uma falha das instituições em responderem adequadamente ao episódio pode levar a uma crise no sistema político brasileiro, inclusive porque Bolsonaro dispõe de base social organizada que deve ir às ruas para fazer pressão em favor do presidente.

"Cada vez que ele comete, entre todas as aspas do mundo, um 'ato falho' como esse, ele gira um pouco mais o garrote em torno do pescoço da democracia .Não adianta o mercado ficar à espreita de uma agenda que parece que não se realiza e com esse tipo de coisa vai se realizar cada vez menos. Nosso maior ativo econômico é a democracia. Sem isso, caímos no campo da imprevisibilidade total", disse Melo.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Exclusivo Seu Dinheiro

Eleições 2022: conheça a ação de petróleo barata e que te ajuda a ‘fugir’ do risco de intervenção política na Petrobras (PETR4)

1 de outubro de 2022 - 16:00

Empresa vem apresentando resultados positivos e não deve sofrer consequências de qualquer resultado que venha das urnas em outubro

EX-PRESIDENTE DE MOLHO

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso não deve votar amanhã; veja por que FHC ficará de fora das Eleições 2022

1 de outubro de 2022 - 15:51

Apesar do ex-presidente não apresentar nenhum problema grave de saúde, sua equipe médica pediu que ele evitasse o tumulto típico de um dia de votação

ATENÇÃO, ELEITORES

Quem não comparecer à votação poderá perder vários direitos — veja como justificar a ausência nas Eleições 2022

1 de outubro de 2022 - 15:00

A Justiça Eleitoral pode suspender alguns direitos civis de quem não votar e deixar de explicar porque faltou com seu dever cívico

ELEIÇÕES 2022

Celular vetado, colinha, acompanhante e mais: saiba o que é permitido ou proibido no momento da votação

1 de outubro de 2022 - 14:07

Às vésperas do pleito porém, muitos cidadãos ainda têm dúvidas sobre as regras, além de quais documentos levar e a ordem da votação

FOTOGRAFIA FINAL

Ipespe: Lula (PT) segue estável e Bolsonaro (PL) oscila dois pontos — saiba o que a pesquisa traz de novo na véspera da eleição

1 de outubro de 2022 - 13:32

A última pesquisa Ipespe antes do primeiro turno das eleições presidenciais, aponta que Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera com 46% dos votos válidos contra 33% de Bolsonaro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies