Menu
2020-04-09T15:26:50-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Em pronunciamento

Bolsonaro defende hidroxicloroquina e diz respeitar autonomia de governadores e prefeitos

“Todos devem estar sintonizados comigo”, afirmou Bolsonaro, dizendo que tem a responsabilidade sobre decisões do país de forma ampla usando a equipe de ministros que escolheu

8 de abril de 2020
21:06 - atualizado às 15:26
O presidente Jair Bolsonaro
O presidente Jair Bolsonaro - Imagem: Marcos Corrêa/PR/Flickr/Planalto

O presidente da República, Jair Bolsonaro, defendeu o uso da hidroxicloroquina para o tratamento da COVID-19 em pronunciamento nesta quarta-feira (08).

Segundo Bolsonaro, em conversa com o médico Roberto Kalil, ouviu deste que havia usado a substância para se curar da doença e que ele próprio a ministrou para seus pacientes — todos com sucesso, disse o presidente.

O presidente também afirmou que, após conversa direta com o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, o Brasil terá, até sábado, matéria-prima para continuar a produzir a hidroxicloroquina.

Bolsonaro voltou a dizer que há dois problemas que precisam ser resolvidos simultaneamente, a pandemia e o desemprego, e que não há dúvidas de que "nosso objetivo principal sempre foi salvar vidas".

"Tenho certeza que todos os brasileiros querem voltar a trabalhar", disse o presidente, no pronunciamento. Na sequência, ele afirmou que essa sempre foi a sua orientação a todos os seus ministros, "observadas as normas do Ministério da Saúde".

"Todos devem estar sintonizados comigo", afirmou Bolsonaro, dizendo que tem a responsabilidade sobre decisões do país de forma ampla usando a equipe de ministros que escolheu.

Bolsonaro disse que as consequências de um tratamento de uma doença não podem ser mais danosas do que a própria condição — em referência à restrição do convívio social, que impacta a economia. Citando o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom, disse que "cada país tem suas particularidades"

"Respeito a autonomia dos governadores e prefeitos", também disse Bolsonaro, sobre as medidas de isolamento social adotadas por Estados e cidades do país. O presidente também adicionou neste trecho do pronunciamento, no entanto, que "o governo federal não foi consultado sobre sua amplitude ou duração". Ele ainda disse esperar que "saiamos mais fortes" para desenvolver o Brasil.

Bolsonaro disse que foi disponibilizado o valor de R$ 60 bilhões via Caixa para capital de giro para micro, pequenas e médias empresas e à construção civil.

Ele afirmou que o auxílio emergencial a trabalhadores informais, desempregados e microempreededores, durante 3 meses, no valor de R$ 600, será pago a partir de quinta (9).

Além disso, foi concedida isenção da conta de energia elétrica aos que possuem tarifa social, auxiliando 9 milhões de famílias, e os beneficiários do Bolsa Família também receberão abono complementar do auxílio emergencial.

Por fim, o presidente se referiu à autorização de saque de até R$ 1.045 àqueles que possuem conta associada ao FGTS, em junho.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Novos dados

Brasil tem 374.898 casos confirmados e 23.473 óbitos de covid-19

Até o momento, 153.833 pacientes estão recuperados da covid-19

seu dinheiro na sua noite

Descompressão geral

Caro leitor, Hoje foi dia de alívio geral nos mercados brasileiros, em continuidade ao movimento iniciado no mercado futuro na última sexta-feira, após a divulgação do vídeo da reunião ministerial de 22 de abril. O entendimento do mercado é de que não havia fatos novos no vídeo que pudessem trazer mais preocupações à governabilidade, e […]

Olho no balanço

Magazine Luiza tem lucro líquido de R$ 30,8 milhões no 1T, em queda de 77%

Empresa estima que as lojas físicas deixaram de vender cerca de R$ 500 milhões nos últimos dias de março com o fechamento pelas medidas de isolamento social

Concessões rodoviárias

Ministro volta a afastar prorrogação de rodovias perto de fim da concessão

Aumentar o prazo de concessão é uma das formas de o governo reequilibrar contratos que foram afetados pela pandemia do novo coronavírus

Mudança de foco

Após 3 anos, CPFL deixa mercado de geração distribuída solar residencial

Grupo, controlado pela estatal chinesa State Grid, optou por focar os seus esforços no mercado de GD solar para grandes consumidores por meio da CPFL Soluções

Ex-ministro da Fazenda

Reabertura da economia não está para ser anunciada na Grande SP, diz Meirelles

O secretário da Fazenda e do Planejamento do Estado de São Paulo, Henrique Meirelles, disse nesta segunda-feira, 25, que o governo estadual “não está para anunciar” uma reabertura da economia na Região Metropolitana de São Paulo

Mercados tranquilos

Alívio generalizado: Ibovespa dispara e dólar cai a R$ 5,45 na sessão pós-vídeo

O Ibovespa foi às máximas desde 10 de março e o dólar à vista chegou à menor cotação em maio. Os investidores aproveitaram o feriado nos EUA para focar nas questões domésticas — com destaque para o vídeo da reunião ministerial, divulgado no fim da tarde de sexta

Presidente falou hoje

Bolsonaro atribui imagem ruim à ‘imprensa mundial de esquerda’

A declaração foi dada na manhã desta segunda-feira, 25, a uma apoiadora que o recomendou usar a Secretaria Especial de Comunicação para fazer propaganda positiva

otimismo apesar de covid-19

Vamos arrebentar na venda de aeroportos, vamos conseguir vender todos, diz ministro

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, demonstrou nesta segunda-feira, 25, otimismo com os próximos leilões de aeroportos, mesmo diante da pandemia, que afeta bruscamente a aviação civil

Dados de hoje

Déficit da balança brasileira na 3ª semana de maio foi de US$ 701 milhões

A balança comercial brasileira registrou déficit comercial de US$ 701 milhões na terceira semana de maio (de 18 a 24), de acordo com dados divulgados hoje

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements