Menu
2020-02-11T17:25:50-03:00
Estadão Conteúdo
Vai passar!

Alcolumbre diz que Congresso derrubará veto para assegurar impositividade do Orçamento

Medida garante ao Congresso o poder de deliberar sobre o orçamento público

11 de fevereiro de 2020
17:25
Em pronunciamento, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP)
Em pronunciamento, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) - Imagem: Pedro França/Agência Senado

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), afirmou que o acordo fechado com o governo para realizar a sessão do Congresso nesta quarta-feira, 11, vai "assegurar a impositividade do Orçamento" e garantir ao Congresso "o poder de deliberar sobre o orçamento público".

Alcolumbre teve uma reunião hoje com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e líderes do governo no Congresso para tratar do assunto.

"Isso vai assegurar a impositividade do orçamento, que foi uma proposta do próprio governo, capitaneada pelo ministro da Economia, quando de fato assegurou ao Congresso o poder de deliberar sobre o orçamento público, restabelecendo o que era de direito do Parlamento", disse Alcolumbre após cerimônia de posse do novo ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, no Palácio do Planalto. De acordo com Alcolumbre, o acordo foi consolidado e construído "com o aval de todos os líderes".

Em seguida, Rodrigo Maia falou que a votação de amanhã deve ocorrer de forma "tranquila". Ele afirmou que o acordo demonstra que "há espaço" para aprovar as reformas tributária e administrativa ainda no primeiro semestre deste ano.

"É importante que amanhã nós teremos uma votação tranquila onde o governo e o Parlamento votarão o mesmo encaminhamento, mostrando unidade e harmonia no trabalho neste início de ano. É uma demonstração clara de que há um grande espaço para que a gente possa aprovar no primeiro semestre ainda tanto a reforma tributária, como a reforma administrativa, como as PECs (Propostas de Emenda à Constituição), sob a liderança do presidente Davi (Alcolumbre). As três PECs que estão no Senado e que assim que chegarem na Câmara serão tratadas com toda urgência possível e necessária", disse Maia.

O ministro Luiz Eduardo Ramos enalteceu o papel dos presidentes da Câmara e do Senado. Ramos disse que, desde que assumiu a articulação política, tem tido apoio "total e irrestrito" de Maia e Alcolumbre. "Eles estão tendo a grandeza de homens públicos de ajudar o Brasil. Quero agradecer o presidente da Câmara e do Senado", declarou o ministro.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

O varejo ferve

Renner mira compra da Dafiti com recursos da oferta de ações

Varejista anunciou captação de até R$ 6,5 bilhões na bolsa e pode usar os recursos para fazer uma proposta pelo e-commerce de moda

Pouso forçado

Demanda por voos deve encerrar o ano em menos da metade do nível pré-pandemia

O prejuízo total das companhias aéreas em 2021 deve ficar entre US$ 47 bilhões e US$ 48 bilhões, de acordo com a ação Internacional de Transporte Aéreo (Iata)

Agora vai?

Governo vai reduzir valor de arrecadação por áreas “micadas” do pré-sal em novo leilão

A arrecadação que o governo pretende receber pela exploração de dois campos do pré-sal foi reduzida em R$ 25,5 bilhões; novo leilão deve acontecer em dezembro

Mercado de capitais

FGTS embolsa quase R$ 900 milhões com venda de ações da Alupar em oferta

O fundo que reúne o dinheiro dos trabalhadores com carteira assinada tinha uma participação de 12% no capital do grupo de geração e transmissão de energia

O melhor do Seu Dinheiro

Tiradentes e as bolhas financeiras, o balanço da Netflix e outros destaques do dia

Joaquim José da Silva Xavier percebeu que alguma coisa estava fora da ordem ali pelos idos de 1789. A extração de ouro estava em franco declínio, mas a Coroa portuguesa não parava de exigir o quinto sobre tudo o que saía das Minas Gerais. Mais ou menos na mesma época, ideias surgidas na Europa que pregavam […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies