Menu
2020-03-20T11:51:04-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
30% de aprovação

Popularidade de Bolsonaro volta ao menor nível desde início do mandato, diz XP Ipespe

Em março, 30% dos entrevistados consideraram o governo Bolsonaro ótimo ou bom ante 34% em fevereiro; em setembro, avaliação também havia sido de 30%

20 de março de 2020
11:51
Presidente Jair Bolsonaro
Presidente da República, Jair Bolsonaro. - Imagem: Alan Santos/PR

A popularidade do presidente Jair Bolsonaro caiu em março para o menor nível desde o início do seu mandato, segundo a pesquisa da XP Ipespe. Neste mês, 30% dos entrevistados consideraram a administração de Bolsonaro ótima ou boa ante 34% em fevereiro. Em setembro de 2019, essa avaliação também havia sido de 30%.

Em comparação, cresceu de 29% para 31% aqueles que veem o governo Bolsonaro como regular, enquanto os que consideram ruim ou péssimo mantiveram a porcentagem de 36%. Não souberam ou não responderam representaram 3% da amostra.

A pesquisa ouviu mil pessoas em território nacional, de segunda a quarta-feira (16 a 18 de março), período em que se intensificaram os efeitos da crise provocada pela pandemia de coronavírus. A margem de erro é de 3,2 pontos porcentuais.

O levantamento também mostra que a piora na avaliação do governo coincide com uma inversão na percepção sobre a condução da política econômica. Hoje, 48% dos entrevistados consideram que a economia está no caminho errado, contra 38% que veem a economia na direção certa. Há um mês, eram 47% os que tinham visão positiva contra 40% com avaliação negativa.

A avaliação boa ou ótima do Congresso, por sua vez, subiu de 10% para 13%, mas a parcela que vê o Legislativo como ruim ou péssimo segue em 44%.

Coronavírus

A XP também perguntou para a população sobre a pandemia de coronavírus.

A reação do governo federal é aprovada por 40% dos entrevistados, enquanto a atuação do ministro da Saúde, Luiz Mandetta, para esclarecer a população e evitar a propagação da doença, é bem vista por 56% dos participantes. As medidas para combater a disseminação e tratar os infectados têm avaliação ótima ou boa de 41%, enquanto a ação do ministro da Economia, Paulo Guedes, para lidar com a crise é considerada boa por 32%.

Segundo o levantamento, 70% das pessoas estão com algum grau de medo (pouco ou muito) da doença, ante 50% há um mês. Os que dizem não ter medo caíram de 49% para 28%. Sobre medidas de prevenção, 83% dos entrevistados disseram que já estão se prevenindo, enquanto 9% afirmam que ainda pretendem agir dessa maneira. Além disso, 76% acreditam que vai haver impacto sobre a situação financeira pessoal e 92% veem efeito negativo para a economia brasileira.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

em meio à crise

GPA tem alta de 150% no lucro, com melhora operacional no Brasil

Cifra atingiu R$ 386 milhões; Assaí apresentou faturamento de R$ 10,1 bilhões, incremento de R$ 2,5 bilhões contra o ano anterior

Números fortes

Vale tem lucro líquido de US$ 2,9 bilhões no 3º tri, alta de 76% na comparação anual

Lucro líquido cresceu quase 76% em relação ao terceiro trimestre do ano passado; Ebitda ajustado chegou a mais de US$ 6 bilhões

Análise

O mercado trucou, e o Banco Central mandou descer ao bancar juro baixo

Emparedado pelo repique da inflação e pelo aumento do risco fiscal, o BC foi inflexível e sustentou o “forward guidance”, a sinalização de que a Selic permanecerá baixa por um longo período

Acelerou

Bolsonaro assina sanção da lei que prorroga incentivos para setor automotivo

A sanção do projeto, assinada por Bolsonaro, deve ser publicada até esta quinta-feira, 29, no Diário Oficial da União (DOU).

o pior já passou?

Petrobras tem prejuízo de R$ 1,5 bilhão no terceiro trimestre, com adesão a anistias tributárias

Analistas esperavam prejuízo de R$ 4,15 bilhões; após baixa com a pandemia, estatal aumentou a participação de mercado e manteve um patamar alto de exportações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies