Menu
2020-05-04T20:43:06-03:00
Estadão Conteúdo
Orçamento paralelo

Câmara aprova novamente em 1º turno texto-base da PEC do orçamento de Guerra

A proposta já foi aprovada pela Câmara, mas foi alterada ao receber o aval dos senadores, no dia 17 de abril, e, por isso, voltou para sua Casa de origem

4 de maio de 2020
20:43
img20200427163002402MED
Presidente da Câmara dos Deputados, dep. Rodrigo Maia (DEM - RJ) - Imagem: Najara Araújo/Câmara dos Deputados

A Câmara aprovou novamente em primeiro turno o texto-base da proposta de emenda à Constituição (PEC) do Orçamento de Guerra, nesta segunda-feira, 4. Faltam agora os destaques para a conclusão desta fase.

A votação do texto-base foi fatiada em duas. Primeiro, os deputados aprovaram os trechos mantidos pelo Senado, foram 481 votos a 4 contrários. Em seguida, votaram os trechos retirados pelo relator na Câmara, Hugo Motta (Republicanos-PB): foram 326 a favor e 143 contra.

A proposta já foi aprovada pela Câmara, mas foi alterada ao receber o aval dos senadores, no dia 17 de abril, e, por isso, voltou para sua Casa de origem para ser novamente votada em dois turnos, com o aval de três quintos dos deputados (308). Depois, ela é promulgada em sessão do Congresso Nacional, não sendo necessária a sanção pelo presidente Jair Bolsonaro.

O relator da proposta, deputado Hugo Motta (Republicanos-PB), suprimiu o artigo 4º do texto, que trata sobre a contrapartida de manutenção de empregos nas empresas das quais o Banco Central comprou a dívida.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já havia antecipado essa mudança. "Esse é um texto que inviabiliza a utilização desse instrumento pelo Banco Central. A empresa que emitiu o título já recebeu o dinheiro, ele já está circulando no mercado. Imagina você bloquear a intervenção do BC, dizendo que a empresa terá de garantir empregos. Que empresa terá que garantir os empregos? A empresa que emitiu o título, já ganhou o dinheiro, ela não faz parte do mercado secundário", afirmou Maia na semana passada.

A oposição foi contra essa mudança e deve tentar retomar a contrapartida por meio dos destaques. "O artigo 4º proíbe demissões das empresas que vão ser afetadas, beneficiadas pelo que estamos determinando nessa emenda constitucional, que é a negociação dos títulos pelo Banco Central. Não é justo que a gente faça uma proposta de emenda constitucional, uma emenda constitucional, que beneficie empresas, beneficie financeiras, beneficie bancos e os trabalhadores saiam perdendo", disse a deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR).

Motta manteve no texto a exigência para que micros e pequenas empresas precisem apresentar notas de classificação de agências de risco (os chamados ratings) para conseguir acesso a crédito. Essa era uma demanda de alguns partidos, mas houve pressão do BC para que isso fosse mantido.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Mercados hoje

Ibovespa abre em alta e dólar opera em baixa

Índice consegue se manter acima dos 100 mil pontos no início da sessão

Abertura de capital

Governo planeja fazer IPO de braço digital da Caixa nos próximos seis meses, diz Guedes

‘O Brasil é uma democracia digital. Na pandemia digitalizamos 64 milhões de pessoas. Quanto vale um banco com 64 milhões de pessoas que foram bancarizadas pela primeira vez e serão leais pelo resto da vida?’, afirmou o ministro

QUEM VAI LEVAR?

Totvs não desiste e estende prazo de oferta pela Linx

Empresa já havia sinalizado que seguiria na disputa com a Stone até o final

Leilão do 5G

Decisão sobre 5G deve ficar para começo de 2021, diz embaixador brasileiro

Após pressões dos EUA contra a companhia chinesa Huawei no leilão do 5G, Nestor Forster afirma que decisão ‘não será tomada em Washington, mas em Brasília’

QUE CRISE?

Weg surpreende mais uma vez o mercado, com alta de 54% do lucro no 3º trimestre

Resultado vem muito acima das expectativas, diante da retomada da demanda por equipamentos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies