Menu
2020-08-26T18:41:25-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
varejo na bolsa

No embalo de Via Varejo e Magazine Luiza, Mosaico vai estrear na bolsa

Dona dos sites Zoom, Buscapé e Bondfaro oficializou intenção de abrir capital em documento ao mercado; empresa atua no início da jornada de compra

26 de agosto de 2020
16:26 - atualizado às 18:41
zoom
Mosaico é dona dos sites Zoom, Buscapé e Bondfaro - Imagem: Reprodução/ Zoom

Dona dos sites Zoom, Buscapé e Bondfaro, a Mosaico vai abrir capital na B3. O anúncio é feito na esteira da valorização das ações de companhias como Magazine Luiza e Via Varejo, que acelararam a digilização durante a pandemia.

Mas atuação da Mosaico não é exatamente a mesma que a das gigantes do varejo. A empresa trabalha com produção de conteúdo e foco na jornada inicial do consumidor, enquanto as outras companhias do setor com ações na bolsa vendem o próprio estoque ou fornecem uma plataforma de marketplace.

A dona do Zoom tem inclusive Magazine Luiza, Via Varejo, B2W e Amazon como parceiras. O consumidor que acessa o site Buscapé hoje, por exemplo, encontra um mesmo produto com um comparativo de preços entre os sites das varejistas e a opção de ser redirecionado para a compra em um deles.

Início da compra

Segundo a Mosaico, há um excesso de players e soluções sendo pensadas para o final do processo de compra, mas no início da jornada o consumidor tem grande dificuldade de encontrar informação de fontes confiáveis.

A empresa também apoia a tese de que há espaço para crescer no fato de que o e-commerce tem baixa penetração no Brasil — em 2019, 71% da população tinha acesso à internet, mas o comércio eletrônico correspodia a 7% das vendas totais do varejo no país.

O cenário faz gente no mercado acreditar — a exemplo do CEO da Via Varejo, Roberto Fulcherberguer — de que não haverá apenas uma gigante que dominará o segmento online.

Em maio deste ano 72% das vendas totais do comércio eletrônico ficaram concentradas em Mercado Livre (24%), B2W (18%), Magazine Luiza (13%), Via Varejo (10%) e Amazon (7%).

Destino do dinheiro

O prospecto da oferta da Mosaico protocolado nesta quarta-feira (26) ainda não traz muitos detalhes da operação, que será coordenada por BTG Pactual em conjunto com Itaú BBA, J. P. Morgan e Goldman Sachs. A emissão de ações será primária — com a emissão de novas ações — e secundária, com parte dos papéis dos atuais acionistas.

A empresa diz que vai usar 15% do valor da oferta para quitar o finaciamento usado na compra do Buscapé e o restante em investimentos para ampliar a participação no mercado.

Segundo a companhia, a ideia é aumentar "fortemente" a produção de conteúdo (artigos, vídeos, reviews) — própria ou através de redes de colaboradores - e distribuição de conteúdo nas plataformas da empresa.

Carta aos investidores

Uma carta dos fundadores da empresa acompanha o prospecto, algo pouco comum no Brasil. O texto assinado por Guilherme Pacheco, José Guilherme Pierotti e Roberto Malta relembra a trajetória dos executivos com o comércio eletrônico, que teria começado em 1999 com a função da Bondfaro.

A empresa se juntou com o Buscapé em 2006 e três anos depois foi vendida para a Naspers — conglomerado com sede na Africado do Sul. Na época, o Buscapé era o segundo maior grupo comércio eletrônico na América Latina em audiência, relatam os executivos.

O trio conta que em 2010 começou um projeto do zero: o Zoom — site que com ferramentas como alertas de preço baixo e especialistas à disposição do consumidor. No ano passado, os executivos compraram de volta o Buscapé. Todas as marcas integram hoje a Mosaico.

Números da companhia

A Mosaico informa ter registrado 450 milhões de visitas acumuladas entre janeiro e junho de 2020 — nos aplicativos e sites das marcas Zoom, Buscapé e Bondfaro, entre outras.

Em junho de 2020, a companhia teria recebido 37,9 milhões visitantes únicos e no período de abril a junho de 2020 originado R$ 1,1 bilhão em GMV para "centenas de lojistas online do Brasil".

A empresa diz ter ao menos 500 lojas parceiras e que, no exercício social encerrado em 2019, gerou R$ 1,89 bilhão em GMV para lojas com que trabalha.

No primeiro semestre deste ano, a receita da Mosaico cresceu na comparação anual 167,87%, saindo de R$ 38.132 para R$ 102.143. O resultado final do balanço passou de um prejuízo de R$ 20.000 para um lucro de R$ 22.815.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Direto na conta

Caixa começa a pagar hoje segunda parcela do auxílio emergencial

Nascidos em janeiro receberão nas contas poupança digitais

ESTRADA DO FUTURO

As ações de tecnologia estão caras ou baratas? Saiba como os analistas fazem as contas

Com o tempo, a análise dessas empresas migrou da abordagem de tradicional para um modelo de probabilidades e grandes números

Pandemia

Número de óbitos por covid-19 passa de 434 mil; casos passam de 15,5 milhões

Mais de 2 mil mortes e 67 mil novos casos foram registrados nas últimas 24 horas

Polui menos

Petrobras bate recorde de vendas de diesel S-10

Impacto ambiental do derivado é menor

Acabou a mamata?

Congresso reage a supersalários da cúpula do governo

Medida beneficia diretamente o presidente Jair Bolsonaro e seu vice, Hamilton Mourão

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies