Menu
2020-07-22T13:45:15-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
investigação concluída

Via Varejo conclui que houve fraude com impacto de R$ 1,2 bilhão

Segundo a companhia, as evidências apontam para manipulação da provisão para processos trabalhistas e pelo diferimento indevido na baixa de ativos e contabilização de passivos

26 de março de 2020
8:08 - atualizado às 13:45
Fachada de uma loja das Casas Bahia
Casas Bahia é uma das redes de lojas operadas pela Via Varejo - Imagem: Divulgação

Dona das Casas Bahia e do Ponto Frio, a Via Varejo informou nesta quinta-feira (26) que uma investigação feita por consultores independentes constatou que houve fraude contábil na empresa. O impacto estimado é de 1,190 bilhão (R$ 786 milhões líquidos de impostos).

Segundo a companhia, as evidências apontam para manipulação da provisão para processos trabalhistas e pelo diferimento indevido na baixa de ativos e contabilização de passivos. A empresa diz que houve falhas de controles internos resultando em erros nas contas de provisão para processos trabalhistas e depósitos (garantias) judiciais.

"Não será necessária a reabertura de exercícios anteriores a 2019 para realização dos ajustes uma vez que a companhia avaliou o assunto, considerando aspectos qualitativos e quantitativos, e concluiu que os efeitos sobre as demonstrações financeiras do exercício findo em 31 de dezembro de 2018 não são materiais para justificar a realização de ajustes retrospectivos, sendo ajustados no próprio exercício de 2019", diz a empresa.

Ainda segundo a Via Varejo, do montante total a ser ajustado nas demonstrações financeiras do 4º trimestre de 2019 em função dos resultados da investigação, aproximadamente R$ 1,169 bilhão a débito na demonstração do resultado do exercício de 2019, se referem a correção de erros e de mudanças de estimativa no intuito de refletir de maneira mais precisa os riscos aos quais a companhia está atualmente sujeita.

Os R$ 20,8 milhões remanescentes se referem aos efeitos das fraudes identificadas ao longo da investigação.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

SANGUE FRIO E CAPACITADO

‘Pessoa física deu show este ano’, diz presidente da B3

Investidor pessoa física aproveitou baixa do mercado e se posicionou para alta, enquanto institucionais e estrangeiros saíam do mercado, diz Finkelsztain

raio-x do setor

Lançamentos de imóveis no país caem no 3º tri, diz CBIC; vendas sobem

O estoque de imóveis disponíveis para venda chegou a 173.601 unidades em setembro, corte de 13% em relação ao mesmo período do ano passado.

Na briga pelo cliente

Na onda da taxa zero, Vitreo lança home broker com tarifa zerada

Isenção de taxa de corretagem é somente para aqueles que que executarem a ação utilizando uma boleta simplificada no site ou no aplicativo.

regulação dos aai

Estudo da CVM recomenda fim da exclusividade entre agentes autônomos e corretoras

Análise da xerife do mercado de capitais aponta necessidade de reavaliar exclusividade desse profissional, prevista em instrução da autarquia. Hoje, maioria absoluta dos agentes se encontra sob o guarda-chuva da XP

Ainda é hora de comprar

BTG Pactual aponta venda de florestas como positiva para Suzano e vê ação barata

Os analistas do BTG calculam o preço-alvo das ações da Suzano em R$ 59 nos próximos 12 meses, o que representa um potencial de alta de pouco mais de 15%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies