Menu
2020-06-03T18:09:28-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
diante da crise

Pela primeira vez, UBS recomenda compra dos papéis da Vale

Especialistas do banco avaliam que a empresa deve ser beneficiada pela recuperação nos preços do petróleo, que puxam a curva nos preços do minério de ferro

3 de junho de 2020
12:11 - atualizado às 18:09
Navio da Vale
Imagem: Agência Vale

O banco suíço UBS passou a recomendar a compra dos papéis da mineradora Vale, em relatório divulgado nesta quarta-feira (3). É a primeira vez que os analistas da casa consideram a aquisição dos ADRs da empresa desde o início da cobertura feita por eles, em junho de 2013.

Os ADRs (American Depositary Receipts) são papéis que representam ações na Bolsa de Valores de Nova York. A cotação dos recibos tende a acompanhar as ações negociadas na bolsa brasileira, a B3. Nesta quarta, a Vale fechou em alta de 3,02%, a US$ 10,57, no exterior, enquanto no Brasil avançou 0,45%, a R$ 53,66.

Para o UBS, os ADRs podem chegar a US$ 12 em 12 meses — a estimativa anterior era de US$ 13. Os especialistas do banco avaliam que a empresa deve ser beneficiada pela recuperação nos preços do petróleo, que puxam a curva nos preços do minério de ferro.

Segundo os analistas, a correlação da Vale com o preço do minério de ferro caiu 50% nos últimos anos. Em compensação, a ligação com os valores do petróleo tipo Brent subiu 90%.

"A correlação é impulsionada pelo impacto material do petróleo na curva de custos do minério de ferro (frete marítimo, mineração, caminhões)", escrevem os especialistas.

A análise também considera uma retomada da capacidade de produção de minério perdida após o rompimento da barragem em Brumadinho (MG). Além disso, o aumento de produção levaria a uma inflação sobre os custos de cargueiros que beneficiaria a empresa diante dos pares.

'Abrigo' diante da crise

A recomendação de compra dos papéis da Vale pouco mais de um ano após o rompimento de uma barragem em Brumadinho não é novidade. Analistas do BTG Pactual e do Morgan Stanley apontaram anteriormente que os papéis da mineradora podem ser opções resilientes diante da crise do novo coronavírus.

Segundo o BTG, ainda que seja tipicamente uma má ideia comprar ações ligadas a commodities no meio de uma recessão, a recuperação da China e a normalização dos negócios no país são razões para o otimismo com a empresa.

O Morgan Stanley aponta como positivos o forte fluxo de caixa livre (FCF) e uma melhoria nas práticas ambientais, sociais e de governança (ESG). Os analistas do banco dizem que o Capex (investimentos em capital fixo) e o nível de alavancagem da mineradora permanecem baixos.

No primeiro trimestre deste ano, a Vale divulgou um lucro líquido de US$ 239 milhões, com uma despesa de US$ 159 milhões ligada ao rompimento da barragem.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

para enfrentar a crise

Embraer quer implementar PDV para funcionários em licença remunerada

Desde março, a fabricante de aeronaves já adotou trabalho remoto integral (home office), concessão de férias coletivas, suspensão de contratos de trabalho e redução de jornada, por conta da crise causada pela pandemia

questões do emprego

Governo estuda novo marco do trabalho com menores custos de contratação

O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, disse que o governo está trabalhando em um novo marco do trabalho, com redução de custos para contratação

meta da infraestrutura

Governo quer fazer três concessões e 11 arrendamentos portuários até fim do ano

Entre as concessões planejadas, está a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), cujo edital deve ser publicado até o fim do 3º trimestre, segundo a pasta

contas públicas

Ministério da Economia passa a estimar déficit do setor público de R$ 828,6 bilhões

Em maio, a estimativa era de resultado negativo de R$ 708,7 bilhões

ECONOMIA INTERNACIONAL

EUA deve ampliar estímulos; Trump pede corte de impostos ‘com urgência’

O presidente Donald Trump pediu cortes de impostos “com urgência”, enquanto o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, anunciou mais apoio fiscal a empresas atingidas pela crise do novo coronavírus, embora não tenha detalhado prazos ou valores.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements