Menu
2020-08-17T14:18:23-03:00
Estadão Conteúdo
efeitos da pandemia

Pessimismo cresce e só 24% das empresas esperam investir mais, diz pesquisa

A pesquisa da Boa Vista consultou 600 empresas de todo o Brasil dos setores de comércio (atacadista e varejista), serviços (instituições financeiras e construção civil) e indústria

17 de agosto de 2020
14:18
shutterstock_1314044873
Imagem: Shutterstock

Os dados da Pesquisa Perspectiva Empresarial, realizada pela Boa Vista no 2º trimestre de 2020, revelam o pessimismo da maior parte dos empresários entrevistados diante da crise do novo coronavírus. Apenas 24% das empresas esperam aumentar seus investimentos neste ano, menos de um terço das respostas coletadas pela instituição no 1º trimestre, quando 75% acreditavam em maiores investimentos para 2020. No 2º trimestre do ano passado, o volume de empresários que tinham intenção de empregar mais recursos era de 56%.

A pesquisa da Boa Vista consultou 600 empresas de todo o Brasil dos setores de comércio (atacadista e varejista), serviços (instituições financeiras e construção civil) e indústria. O grau de confiança é de 90% e a margem de erro de 3 pontos porcentuais para mais ou para menos.

Entre os empresários que ainda esperam investir mais, 21% afirmam que concentrarão mais recursos em pessoas. Já em relação a produtos, são 32% os que esperam empregar mais dinheiro. Por fim, 34% acreditam que vão investir mais em tecnologia até o fim de 2020.

A perspectiva de faturamento para este ano acompanha a de investimentos, e apenas 25% dos entrevistados esperam alta nas receitas. No trimestre anterior, este número era de 83%.

Quanto à inadimplência, 15% dos empresários esperam diminuição para este ano, enquanto 52% afirmam que a crise os fará descumprir mais obrigações financeiras em 2020. Os 33% restantes esperam estabilização da inadimplência.

Houve praticamente uma inversão nas perspectivas em comparação com os dados do primeiro trimestre: naquele período, apenas 10% das empresas projetavam aumento da inadimplência, enquanto 50% diziam que ela iria diminuir ao fim deste ano.

A pesquisa da Boa Vista ainda mediu o nível de endividamento esperado pelas companhias. 44% acreditam em aumento, 33% em estabilização e 23% em diminuição para 2020. No trimestre anterior, esses números eram de, respectivamente, 12%, 30% e 58%.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

privatização na berlinda

Justiça de Alagoas suspende leilão para concessão de saneamento na B3

No último dia 24, a 1ª Vara da Comarca de Marechal Deodoro negou liminar ao Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Marechal Deodoro (SAAE), que pedia a suspensão do processo licitatório

fatia relevante

Gestora Atmos passa a deter 6,68% das ações preferenciais do Inter

Fundo passou a deter cerca de 25,3 milhões de papéis PN do Inter

seu dinheiro na sua noite

Onde está o Guedes?

Paulo Guedes esteve presente ontem no anúncio do programa Renda Cidadã pelo governo, ao lado de Jair Bolsonaro e lideranças do Congresso. Mas os investidores no mercado financeiro não reconheceram no ministro a figura que prometeu implementar uma agenda de medidas liberais na economia, incluindo privatizações e reformas. A desconfiança sobre como a equipe econômica encaixaria […]

ajuste fiscal

Propostas para o Renda Cidadã não têm intenção de driblar teto, diz secretário do Tesouro

“A gente sabe que o teto é baseado em credibilidade e não adianta tomarmos ações que minem a credibilidade do teto”, disse Bruno Funchal

Mercado agora

Ibovespa fecha em queda com descrença sobre possível recuo de ‘pedalada’

No exterior, expectativa em torno do primeiro debate entre os principais candidatos à presidência dos EUA inibiu apetite por risco

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements