⚠️ DIVIDENDOS EM RISCO? Lula, Bolsonaro, Ciro e Tebet querem taxar seus proventos e podem atacar sua renda extra em 2023. Saiba mais aqui

2020-02-19T17:56:21-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Balanço polêmico

Executivos do IRB voltam a defender balanço, mas evitam confrontar Squadra

O presidente do IRB disse que o foco da companhia está no cumprimento das metas para 2020, e reafirmou a expectativa de que este ano será o melhor da história da empresa

19 de fevereiro de 2020
15:48 - atualizado às 17:56
painel de bolsa
Imagem: Shutterstock

Os dois principais executivos da resseguradora IRB Brasil voltaram a defender os números do balanço da companhia em uma teleconferência com jornalistas realizada na tarde de hoje. Mas evitaram confrontar diretamente os pontos questionados pela gestora Squadra nos resultados.

O IRB sustenta que os resultados de 2019 foram alcançados sem a ajuda de efeitos não recorrentes. Ao contrário, o impacto de itens que não vão se repetir em períodos seguintes seria até negativo para o lucro, segundo a companhia.

Já a gestora defende (ou defendia até a publicação do último balanço) que o resultado teria sido inflado por receitas de R$ 1,5 bilhão.

Os executivos do IRB preferiram não comentar a origem das divergências entre os números da companhia e os apontados pela gestora – que diz ter usado a base de dados da Susep para fazer os próprios cálculos.

"Preferimos falar dos números da companhia, que estão auditados", me disse Fernando Passos, vice-presidente executivo, financeiro e de relações com investidores, quando o questionei sobre a diferença.

A maior discrepância entre o balanço e as estimativas da Squadra está na contabilização de compensações por sinistros que ainda não foram pagos.

A gestora estima que o IRB obteve um ganho de R$ 605 milhões com essa operação de janeiro a setembro de 2019. A empresa, contudo, informou um número bem menor, de apenas R$ 65 milhões em todo o ano passado.

Quando perguntei sobre os números enviados à Susep, Passos afirmou apenas que eles são os mesmos do balanço, "e não poderia ser diferente".

Os executivos não responderam sobre eventuais processos judiciais que podem ser abertos contra a gestora e que essas questões são tocadas pela área jurídica da empresa. Eu também procurei a Squadra, mas a gestora não comentou o assunto.

O presidente do IRB, José Carlos Cardoso, disse que o foco da companhia está no cumprimento das metas para 2020, e reafirmou a expectativa de que este ano será o melhor da história da empresa.

Recompra de ações

Junto com o balanço, o IRB anunciou um programa de recompra de ações que pode chegar a 5% dos papéis (IRBR3) em circulação nos próximos 18 meses.

O anúncio ajuda a impulsionar as ações do IRB, que na tarde de hoje eram negociadas em alta de 1,63%, cotadas a R$ 36,89 – abaixo das máximas do dia e longe dos R$ 44,83 de antes da publicação da carta da Squadra.

Questionado sobre a recompra, Passos afirmou que sempre que o preço da ação estiver abaixo do considerado justo, a companhia pode atuar para maximizar valor para o acionista. Ele preferiu não responder, contudo, se esse seria o caso com a ação no patamar atual.

O diretor do IRB também defendeu o programa de remuneração variável da companhia aos executivos aprovado em 2018 e que envolve o pagamento em ações.

Passos destacou que esse tipo de remuneração é comum em diversas empresas de capital aberto e foi realizado quase um ano depois da abertura de capital da empresa.

"A companhia não trabalha na gestão de preço da ação, trabalha com resultado. Com o resultado vindo, o mercado vai reconhecer", afirmou.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

ELEIÇÕES 2022

‘Descamba ao absurdo’: pedido de coligação de Bolsonaro para suspender transporte gratuito nas eleições é barrado por corregedor do TSE

1 de outubro de 2022 - 21:57

Além da petição considerada ‘absurda’, a coligação ainda errou na solicitação, pois a decisão questionada pelo PL determinou apenas que o transporte público opere em níveis normais no próximo domingo

ELEIÇÕES 2022

Contrariando as pesquisas, Bolsonaro espera ser eleito amanhã com mais de 60% dos votos válidos

1 de outubro de 2022 - 21:26

Bolsonaro disse esperar que as eleições ocorram com “lisura” e “transparência” e voltou a fazer ameaças contra o STF

NA CONTA DA Berkshire Hathaway

Warren Buffett já perdeu US$ 36 bilhões com a Apple neste ano; por que uma das “joias da coroa” do megainvestidor despenca no mercado acionário?

1 de outubro de 2022 - 20:32

Os ativos da gigante de tecnologia acumulam queda de 24% este ano, refletindo o mercado tech e também fatores internos

ELEIÇÕES 2022

Lula não teme golpe de Bolsonaro — petista diz que, se for eleito, “haverá posse”

1 de outubro de 2022 - 19:29

O ex-presidente indicou que acredita na vitória, mas ainda não sabe se ela virá no primeiro ou segundo turno

ELEIÇÕES 2022

Último Datafolha mostra Lula com 50% das intenções de voto, contra 36% de Bolsonaro; petista manteve vantagem e pode levar o pleito no primeiro turno

1 de outubro de 2022 - 18:12

A última pesquisa Datafolha antes do primeiro turno acaba de ser divulgada e mostra que a distância entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL) manteve-se a mesma. O levantamento publicado neste sábado indica que Lula tem 50% dos votos válidos contra 36% de Bolsonaro. A pontuação do petista […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies