Menu
2020-02-19T17:56:21-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Balanço polêmico

Executivos do IRB voltam a defender balanço, mas evitam confrontar Squadra

O presidente do IRB disse que o foco da companhia está no cumprimento das metas para 2020, e reafirmou a expectativa de que este ano será o melhor da história da empresa

19 de fevereiro de 2020
15:48 - atualizado às 17:56
painel de bolsa
Imagem: Shutterstock

Os dois principais executivos da resseguradora IRB Brasil voltaram a defender os números do balanço da companhia em uma teleconferência com jornalistas realizada na tarde de hoje. Mas evitaram confrontar diretamente os pontos questionados pela gestora Squadra nos resultados.

O IRB sustenta que os resultados de 2019 foram alcançados sem a ajuda de efeitos não recorrentes. Ao contrário, o impacto de itens que não vão se repetir em períodos seguintes seria até negativo para o lucro, segundo a companhia.

Já a gestora defende (ou defendia até a publicação do último balanço) que o resultado teria sido inflado por receitas de R$ 1,5 bilhão.

Os executivos do IRB preferiram não comentar a origem das divergências entre os números da companhia e os apontados pela gestora – que diz ter usado a base de dados da Susep para fazer os próprios cálculos.

"Preferimos falar dos números da companhia, que estão auditados", me disse Fernando Passos, vice-presidente executivo, financeiro e de relações com investidores, quando o questionei sobre a diferença.

A maior discrepância entre o balanço e as estimativas da Squadra está na contabilização de compensações por sinistros que ainda não foram pagos.

A gestora estima que o IRB obteve um ganho de R$ 605 milhões com essa operação de janeiro a setembro de 2019. A empresa, contudo, informou um número bem menor, de apenas R$ 65 milhões em todo o ano passado.

Quando perguntei sobre os números enviados à Susep, Passos afirmou apenas que eles são os mesmos do balanço, "e não poderia ser diferente".

Os executivos não responderam sobre eventuais processos judiciais que podem ser abertos contra a gestora e que essas questões são tocadas pela área jurídica da empresa. Eu também procurei a Squadra, mas a gestora não comentou o assunto.

O presidente do IRB, José Carlos Cardoso, disse que o foco da companhia está no cumprimento das metas para 2020, e reafirmou a expectativa de que este ano será o melhor da história da empresa.

Recompra de ações

Junto com o balanço, o IRB anunciou um programa de recompra de ações que pode chegar a 5% dos papéis (IRBR3) em circulação nos próximos 18 meses.

O anúncio ajuda a impulsionar as ações do IRB, que na tarde de hoje eram negociadas em alta de 1,63%, cotadas a R$ 36,89 – abaixo das máximas do dia e longe dos R$ 44,83 de antes da publicação da carta da Squadra.

Questionado sobre a recompra, Passos afirmou que sempre que o preço da ação estiver abaixo do considerado justo, a companhia pode atuar para maximizar valor para o acionista. Ele preferiu não responder, contudo, se esse seria o caso com a ação no patamar atual.

O diretor do IRB também defendeu o programa de remuneração variável da companhia aos executivos aprovado em 2018 e que envolve o pagamento em ações.

Passos destacou que esse tipo de remuneração é comum em diversas empresas de capital aberto e foi realizado quase um ano depois da abertura de capital da empresa.

"A companhia não trabalha na gestão de preço da ação, trabalha com resultado. Com o resultado vindo, o mercado vai reconhecer", afirmou.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

VÍDEO

É hora de investir em commodities? Saiba tudo sobre o novo ciclo de alta

Alta das commodities impacta diretamente as economias emergentes; saiba mais no vídeo do analista Matheus Spiess, da Empiricus

acompanhe

LIVE: Tudo sobre a melhor semana de cripto da história

Vitreo e Empiricus transmitem conversa sobre semana histórica para o investimento em criptomoedas

Recuperação à vista?

EUA pisam fundo na vacinação e economia responde entre fevereiro e abril

Confira os destaques do Livro Bege para o período de imunização acelerada e fortalecimento dos gastos dos consumidores

Crescimento gringo

BofA passa a recomendar compra de ação da MRV, otimista com atuação da empresa nos EUA

Banco incorporou avaliação da AHS à sua análise e considera que potencial de crescimento da empresa ainda não está precificado

Ninguém escapa

Cenário turbulento afeta até mesmo os IPOs da saúde, um dos setores preferidos dos investidores

Empresas com ofertas ambiciosas tiveram de reduzir suas estimativas de preços ou adiar datas para seguir com as operações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies