Menu
2020-10-16T09:49:45-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
ACERTO

Disputa envolvendo uso da marca Klabin caminha ao fim

Sogemar fecha acordo com BNDESPar e aceita reduzir valor para sua incorporação

16 de outubro de 2020
9:49
Klabin
Imagem: Klabin/Divulgação

A novela sobre o fim dos royalties pagos pela Klabin (KLBN11) para o uso da marca que dá nome à empresa e seus produtos para estar se encaminhando ao fim.

Na quinta-feira (15), ela informou que a BNDESPar, braço de participações do BNDES em empresas, e a Sogemar, organização que agrega os membros da família Klabin, acertaram as bases de um acordo para encerrar os repasses.

A ideia é que a Sogemar seja incorporada pela Klabin, em troca de um número de ações ordinárias, papéis que dão direito a voto. O problema estava justamente em definir a quantidade a ser entregue.

Segundo a Klabin, a Sogemar aceitou reduzir a quantidade de ações ordinárias. A empresa da família Klabin vai receber um total de 69.369.696 papéis, o equivalente a R$ 359,3 milhões, de acordo com a cotação em que encerraram o pregão de ontem. Anteriormente, a Sogemar queria ficar com 92.902.188 ações.

A Klabin vai convocar uma assembleia geral extraordinária de acionistas para o dia 15 de dezembro, para debater este novo acordo.

Contexto

Atualmente, a Klabin tem o direito de explorar marcas de titularidade da Sogemar, inclusive, o próprio nome Klabin. Mas para isso precisa pagar royalties, que são calculados sempre com base no faturamento líquido de papel cartão e caixas de papelão ondulado.

Para evitar o pagamento de royalties sem ter que abrir mão das marcas que utiliza, a produtora de papéis passou a negociar a incorporação da Sogemar no ano passado.

As bases de um acordo tinham sido acertadas no começo de 2019, mas a BNDESPar se posicionou contra, alegando que o total de ações a ser transferido era muito elevado.

Positivo

Caso a incorporação seja aprovada nos termos acertados, a Klabin deixará de repassar entre R$ 80 milhões e R$ 110 milhões em recursos, antes da cobrança de impostos, por ano entre 2020 e 2022, segundo cálculos do Credit Suisse.

O banco destaca que a empresa paga o equivalente a 1% e 2% do faturamento com cartões e papelão ondulado para a Sogemar.

“Se esta proposta for aprovada, acreditamos que será um desenvolvimento positivo para a Klabin, porque os termos propostos para a incorporação, que cessará o pagamento de royalties, vieram bem abaixo dos valores trazidos a valor presente que calculamos, e vemos isto como um importante passo para melhorar a governança corporativa”, diz trecho do relatório.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

NÚMEROS DA PANDEMIA

Brasil acumula 5,3 milhões de casos e 157 mil mortes por covid-19

País registrou 13.493 novos casos do novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo Ministério da Saúde

Entrevista exclusiva

Líder no Nordeste, Moura Dubeux quer manter foco na região e na rentabilidade

Em entrevista exclusiva, o CEO da incorporadora de Recife fala sobre a vida da empresa antes e depois do IPO, diz que por ora não vê sentido em sair do Nordeste e que prioriza rentabilidade a crescimento

PRÉVIA DOS BALANÇOS

Os grandões vêm aí: Petrobras e Vale divulgam os resultados; veja o que esperar

Semana será marcada pela apresentação dos resultados de algumas das principais companhias da B3

agenda lotada

Os segredos da bolsa: balanços de pesos-pesados podem manter Ibovespa em alta em semana de Copom

Lá fora, resultados do terceiro trimestre de Amazon, Apple, Facebook, Google e Microsoft são destaques, além de decisões de bancos centrais

O GRANDE DRAGÃO VERMELHO

Pandemia deve reforçar poder chinês na economia

Movimento aponta para a continuidade das tensões com Estados Unidos e manutenção da alta demanda por matérias-primas produzidas pelo Brasil

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies