Menu
2020-08-21T11:18:42-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
balanço não agradou

Ação da Cogna cai mais de 6% após prejuízo no segundo trimestre

Empresa revelou prejuízo, Ebtida negativo, baixa na receita e aumento de provisões

21 de agosto de 2020
11:18
sala de aula kroton faculdade
Imagem: Shutterstock

As ações da Cogna Educação (COGN3) caem nesta sexta-feira (21) após a empresa revelar um segundo trimestre com perdas em várias linhas do balanço: prejuízo, Ebtida negativo e baixa na receita.

Por volta das 10h40, os papéis caíam 4,11%, a R$ 6,28, mas chegaram a recuar 6,70%. No ano, as ações da empresa acumulam baixa de 44%, em meio à crise da covid-19, que impulsionou o aumento da inadimplência. Veja a cobertura de mercados do Seu Dinheiro.

As perdas com estudantes que deixam de pagar a mensalidade foi uma das linhas do balanço que registraram impacto negativo. A provisão para crédito de liquidação duvidosa (PCLD) subiu de R$ 213 milhões para R$ 500 milhões em um ano.

A Cogna também apresentou queda de 21% na receita, na comparação anual, Ebitda de menos R$ 139 milhões e prejuízo líquido de R$ 452 milhões. Estudantes do ensino superior tiveram baixa de 17% na comparação com o segundo trimestre de 2019.

Em relatório divulgado para clientes, o Credit Suisse avaliou de forma positiva a decisão da empresa evitar negociar dívidas antigas - o que aumentou a evasão e as provisões, mas melhorou a qualidade da base de alunos, segundo o banco.

Os analistas da instituição destacaram ainda a mensagem da empresa de que focaria mais esforços no ensino híbrido e plataformas de aprendizagem. Ainda assim, eles não recomendam a compra dos papéis e estimam que COGN3 pode cair para R$ 6.

O preço-alvo é o mesmo de uma avaliação anterior feita pelo banco. Para a instituição, a Cogna está exposta à compressão de renda e a um alto nível de rotatividade no ensino superior.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Embarque imediato

Depois de incorporação, acionistas da Smiles aprovam saída do Novo Mercado

Além disso, assembleia votou a destituição do conselho de administração e a eleição de novos membros, inclusive do presidente

Procuram-se semicondutores

Falta de chips adia recuperação da indústria automobilística

O setor deve perder a chance de recuperar mercado no segundo semestre, período em que tradicionalmente se vendem mais carros

Mais uma na bolsa

Investindo no banco de investimentos: BR Partners sobe forte na estreia na bolsa

A BR Partners, banco de investimentos independente, concluiu seu IPO e estreou na bolsa nesta segunda — e a recepção do mercado foi boa

Tela azul

O “selo Buffett” no Nubank, a falha da Coca-Cola com CR7 e uma fraude no setor de tecnologia; confira os destaques da edição #37 do Tela Azul

Richard Camargo, André Franco e Vinícius Bazan comentam os principais assuntos no mundo das techs em papo descontraído e reforçam o convite para o evento que vai revelar as ações de tecnologia mais promissoras do momento

Bola rebola

Show das poderosas: Nubank estreia dueto com Anitta e cala os críticos com primeiro lucro

Fintech que já vale US$ 30 bilhões tem primeiro resultado positivo na história e anuncia contratação da cantora para compor o conselho de administração

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies