Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-08-21T16:47:35-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Mercados hoje

Cautela externa se sobrepõe ao alívio em Brasília e puxa bolsa para baixo; dólar também é pressionado

Dúvidas sobre a velocidade da recuperação econômica e negociações frustradas entre Reino Unido e União Europeia azedam os mercados internacionais e limitam o alívio provocado pela manutenção do veto a reajuste dos servidores públicos

21 de agosto de 2020
10:39 - atualizado às 16:47
Selo Mercados AGORA Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O alívio provocado pela manutenção, ontem, do veto ao reajuste de alguns setores do funcionalismo público é insuficiente para levar o Ibovespa ao campo positivo nesta sexta-feira.

A cautela vista no exterior se sobrepõe ao noticiário local e tanto a bolsa brasileira quanto a taxa de câmbio estão sob pressão.

Uma melhora nas bolsas norte-americanas com dados acima da expectativa sobre a economia dos Estados Unidos aliviou um pouco a queda do Ibovespa, mas não foi o bastante para levá-lo ao território positivo.

Por volta das 16h45, o principal índice da B3 apresentava queda de 0,2%, aos 101.263 pontos, enquanto as bolas norte-americanas operam em leve alta.

Cenário externo estimula cautela

Na noite de ontem, a Câmara dos Deputados reverteu a decisão do Senado que derrubava o veto do presidente Jair Bolsonaro à possibilidade de reajuste salarial ao funcionalismo público até 2021.

A reação dos investidores brasileiros ao veto limita parcialmente as perdas causadas pelo cenário externo mais negativo, mesmo com a antecipação da decisão no pregão de ontem - o que levou o Ibovespa a encerrar a quinta-feira no campo positivo.

No exterior, a cautela tem origem nos sinais mistos da recuperação econômica na Europa. O índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) da zona do euro veio abaixo do esperado - caindo de 54,9 em julho para 51,6 em agosto.

No Reino Unido, a reação ao número foi positiva - o PMI composto chegou ao maior nível em 82 meses, subindo de 57 em julho para 60,3 em agosto. As vendas no varejo também surpreenderam no país - com uma alta de 3,6% ante previsão de 1,4%.

Além dos resultados abaixo do esperado, as bolsas no continente europeu também refletem o fiasco na nova etapa de negociações entre Reino Unido e União Europeia.

As partes não progrediram na sétima rodada de negociações sobre um acordo comercial que passa a valer após o término do período de transição do Brexit. Assim, os principais índices de ações da Europa fecharam em queda.

No entanto, as bolsas americanas se recuperaram após a divulgação do PMI composto dos Estados Unidos. Segundo a IHS Markit, o índice avançou a 54,7 em agosto, acima das projeções dos analistas.

Dólar e juro

Enquanto o Ibovespa patina, o dólar mantém-se em alta refletindo a aversão ao risco no exterior. O Banco Central interveio, vendendo US$ 650 milhões no mercado à vista, mas sem conseguir com que o dólar deixasse apenas temporariamente a faixa dos R$ 5,60.

Por volta das 16h45, a moeda norte-americana subia 0,98%, cotada a R$ 5,6066.

Já os contratos de juros operam em leve queda desde o início da sessão, especialmente nos vencimentos mais longos, refletindo o alívio dos investidores com relação ao futuro fiscal do Brasil depois da manutenção do veto de Bolsonaro pela Câmara.

Confira as taxas negociadas de alguns dos principais contratos negociados na B3:

  • Janeiro/2022: de 2,790% para 2,800%;
  • Janeiro/2023: de 3,990% para 3,970%;
  • Janeiro/2025: de 5,800% para 5,800%;
  • Janeiro/2027: de 6,820% para 6,830%.
Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

DINHEIRO NO BOLSO

Presidente da Petrobras (PETR4) garante que estatal vai entregar dividendos prometidos aos acionistas

Silva e Luna reforçou que a empresa é acompanhada por vários órgãos, e que sua equipe tem total conforto e liberdade para gerenciar

Efeito Ômicron

Com nova variante no radar, Jerome Powell abandona discurso de inflação transitória e apavora mercados; entenda

O presidente do Fed confirmou que o banco central dos EUA deve agir para impedir que a alta dos preços se torne algo estrutural no país

Problemas no login

Em dia de pagamento do 13º salário, aplicativo do Bradesco (BBDC4) apresenta falhas e dificulta a vida dos usuários

O banco foi parar no topo dos assuntos mais comentados do Twitter na manhã de hoje, com usuários relatando falhas no aplicativo

DESFIBRILANDO VALOR

Aporte de R$ 1 bilhão destrava valor na Ânima; ação dispara quase 30% na B3, e XP recomenda compra

Para analistas, aporte bilionário condicionado a reorganização societária deve destravar valor e diminuir alavancagem da instituição de ensino

Radiocash

Selic em alta mais bolsa em baixa é igual à fuga para a renda fixa? Para presidente da Anbima, diversificação veio para ficar

As alocações em renda variável podem até diminuir, mas Carlos Ambrósio não acredita que voltaremos para a realidade de ‘poupança, renda fixa e nada mais’

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies