Menu
2020-02-28T12:06:49-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Bolsa

As ações que ganham e as que perdem com o coronavírus, segundo o UBS

O estudo teve como base a disseminação da epidemia de H1N1, em 2009, e incluiu empresas de saúde, varejo, setor aéreo e óleo e gás

28 de fevereiro de 2020
12:06
Fachada da Droga Raia, localizada na Avenida Sumaré, bairro de Perdizes.
Fachada da Droga Raia, localizada na Avenida Sumaré, bairro de Perdizes. - Imagem: Estadão Conteúdo/José Patrício

O agravamento da epidemia do coronavírus inevitavelmente provocará algum impacto na economia e nas empresas listadas na bolsa. A forma como se dará esse impacto foi o tema de um relatório publicado pelo UBS.

Os analistas do banco suíço basearam o estudo a partir da disseminação da epidemia de H1N1 em 2009, que atingiu principalmente as regiões Sul e Sudeste do país. A avaliação incluiu empresas de saúde, varejo, setor aéreo e óleo e gás.

Entre as operadoras de planos de saúde, Notre Dame Intermedica (GNDI3), SulAmerica (SULA11), Amil e Bradesco Saúde possuem as maiores operações nesses Estados, segundo o UBS.

"O coronavírus pode levar a um uso mais intenso do plano de saúde (visitas ao hospital, exames, injeções) e isso pode pressionar os índices de custos médicos", escreveram os analistas.

Com base nessa mesma análise, a Hapvida tende a sentir menos os impactos por ter as operações concentradas nas regiões Norte e Nordeste, de acordo com o UBS.

Se a atuação mais concentrada na região Sudeste é potencialmente negativa para as operadoras de plano de saúde, a epidemia do coronavírus pode favorecer redes de drogarias como a Raia Drogasil (RADL3), na análise do banco suíço.

As empresas farmacêuticas que produzem vitaminas e remédios para gripe também podem se beneficiar pelo aumento na demanda, embora seja uma indústria com custos dolarizados. É o caso da Hypera (HYPE3), que obtém 20% da receita com a venda desse tipo de produto, segundo os analistas.

Quem também pode ganhar são os laboratórios, com o potencial aumento no número de diagnósticos (incluindo testes de coronavírus) e vacinação em alguns casos. "O Fleury, em particular, poderia ter um aumento adicional na receita com seu laboratório 100% digital / doméstico Campana", diz o UBS.

Varejistas

Além das drogarias, a epidemia de coronavírus pode levar a um aumento nas vendas dos supermercados, na visão dos analistas. Dentro desse segmento, eles apontaram que as bandeiras do Grupo Pão de Açúcar (PCAR4) possuem a maior presença nas regiões Sul e Sudeste.

Por outro lado, o GPA pode registrar uma redução no volume de vendas da rede de "atacarejo" Assaí, assim como o Carrefour por meio do Atacadão.

Quem também pode sofrer com uma possível redução no fluxo de consumidores são as redes de varejo de moda. Entre elas, as mais expostas às áreas de maior risco de disseminação do coronavírus são a Hering (HGTX3) e C&A (CEAB3), segundo os analistas.

Empresas aéreas

As companhias aéreas deverão sofrer um impacto significativo em um caso de disseminação global do vírus, inclusive com o risco de solvência para as empresas com balanço mais fraco, de acordo com o banco suíço.

Por outro lado, os analistas esperam uma rápida recuperação no tráfego aéreo quando o surto ficar para trás. Na epidemia de H1N1, apesar do impacto de curto prazo, os voos registraram um aumento de 14% no ano de 2009. Na ocasião, a Latam foi a empresa que mais sentiu a redução da demanda, seguida pela antiga Avianca e pela Gol (GOLL4).

Óleo e gás

O UBS também estima algum impacto no segmento de distribuição de combustíveis. No consumo de gasolina e etanol, porém, o efeito deve ser limitado no curto prazo porque as atividades da população ainda não foram afetadas.

Já no diesel o impacto iminente é maior em razão da desaceleração esperada da economia. "O consumo de diesel tem forte correlação com o PIB doméstico e podemos ver algum impacto nos próximos trimestres."

Por outro lado, os analistas do UBS avaliam que a queda nos preços internacionais do petróleo deve ser repassado pela Petrobras no país, o que pode estimular o aumento do consumo.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Cash is king

Para gestoras de fortunas, proteções para o patrimônio estão caras, e o momento é de preservar caixa

Gestores de patrimônio estão focando em manter os recursos de clientes em aplicações conservadoras, e não recomendam entrar em ativos como ouro, dólar e opções agora

IR 2020

Como declarar opções de ações no imposto de renda

O jeito de declarar opções é bem parecido com o de declarar ações em diversos pontos; diferenças maiores recaem na forma de calcular o custo de aquisição e os ganhos e prejuízos

SD Premium

Os segredos da bolsa: saiba o que vai fazer preço no mercado de ações nesta semana

A bolsa brasileira tende a enfrentar mais dias turbulentos, acompanhando as incertezas no front do coronavírus e do mercado internacional de commodities. E nem o feriado na sexta-feira serve para trazer alívio às negociações

Pandemia

Brasil registra 11.130 casos de coronavírus e 486 mortes

Foram mais de 800 novos casos confirmados entre sábado e domingo; em 24 horas, outras 54 mortes por causa do coronavírus foram constatadas no país

Crise do coronavírus

Bradesco oferecerá financiamento para pequenas empresas pagarem salários

O Bradesco, primeiro grande banco a anunciar a oferta do crédito emergencial, espera que a medida beneficie até 1 milhão de trabalhadores

Crise do coronavírus

O que os líderes podem fazer em meio à pandemia? Para Bill Gates, há três passos fundamentais

O bilionário Bill Gates listou algumas medidas que julga essenciais para que governos e lideranças políticas possam combater de maneira mais eficaz o surto de coronavírus

Pesquisa Datafolha

59% são contra e 37% a favor da renúncia de Bolsonaro em meio à pandemia

Um levantamento do Datafolha, divulgado neste domingo, 5, mostra que 59% dos brasileiros são contra uma renúncia do presidente Jair Bolsonaro em meio ao combate à pandemia pela covid-19. Outros 37% são a favor, conforme vem sendo pedido por políticos da oposição. Outros 4% não sabem dizer. Para apenas 33% dos entrevistados, a gestão da […]

LIÇÕES PARA O SEU DINHEIRO

Recomendações de leitura para um investidor em quarentena

Três livros para você sobreviver ao isolamento e sair deste furacão como um investidor ainda melhor.

O BC e o coronavírus

Preferimos ter um lado fiscal um pouco pior para que as pessoas possam honrar seus contratos, diz Campos Neto

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, destacou que a instituição se preocupa em dar condições às empresas cumprirem suas obrigações financeiras, evitando um movimento de quebra massiva de contratos

Crise da Covid-19

Brasil ultrapassa marca de 10 mil casos de coronavírus

Em 24 horas, o Brasil notificou mais de mil novos casos de coronavírus e outros 72 casos fatais. A taxa de mortalidade no país está em 4,2%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements