Menu
2020-04-10T09:34:16-03:00
Estadão Conteúdo
Na quarentena

Vendas pela internet aumentam 26,7% no primeiro trimestre

Tíquete médio dos pedidos realizados pela internet no primeiro trimestre foi de R$ 409,50, valor 4,5% menor do que o registrado em 2019

10 de abril de 2020
9:34
Internet
Imagem: Shutterstock

O e-commerce (venda pela internet) cresceu durante os primeiros três meses do ano de 2020 e a pandemia de covid-19 teve papel importante nos hábitos de consumo do brasileiro pela internet.

O faturamento do segmento atingiu R$ 20,4 bilhões, uma alta de 26,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Os dados são do Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado com foco em e-commerce.

Apesar da alta significativa, o levantamento mostra que os consumidores estão gastando significativamente menos em suas compras online. O tíquete médio dos pedidos realizados no primeiro trimestre foi de R$ 409,50, valor 4,5% menor do que o registrado em 2019.

Leia também:

"A covid-19 já provoca mudanças estruturais no hábito dos consumidores de varejo digital. Cada vez mais pessoas optam por adquirir pela internet itens de necessidade básica, como produtos de supermercado ou de farmácia. Enquanto isso, itens de maior valor agregado, como eletrônicos, ficam em segundo plano", explica André Dias, diretor executivo do Compre&Confie.

Além do aumento expressivo das vendas de produtos de higiene e saúde, especialmente no mês de março, outras categorias ligadas ao momento de quarentena apresentaram crescimento. Artigos para Casa, Eletrodomésticos/Ventilação, Suplementos/Esporte e Lazer, Móveis/Construção e Decoração são alguns deles, segundo a pesquisa.

A redução do valor do frete, mesmo em meio ao aumento significativo do número de compras foi outro fator que chamou a atenção nos dados levantados. O preço médio do serviço teve redução de aproximadamente 6% em relação ao mesmo período de 2019.

"Esse é um comportamento atípico, que pode ser explicado pelo sucesso das promoções realizadas no primeiro trimestre. Saldões e a Semana do Consumidor, que, por vezes, usam do frete grátis como estratégia de venda, tiveram resultados significativos no início do ano", completa Dias.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

seu dinheiro na sua noite

Fidelidade em baixa com a pandemia

Não, não estou falando da fidelidade entre casais. Até porque, por mais que a convivência excessiva em família na quarentena tenha abalado alguns casamentos, o momento não anda muito propício às puladas de cerca. Estou falando do setor de fidelidade, que abarca as empresas de programas de pontos e milhagem, sobretudo aqueles ligados às companhias […]

Empresa ligada à Vale

Justiça aprova pedido de Recuperação Judicial da Samarco

RJ não terá impacto nas atividades operacionais da mineradora, nem nas ações de reparação e compensação pela tragédia de Mariana

FECHAMENTO

Ibovespa ignora tensão em Brasília e NY no vermelho e avança 1%; dólar também sobe

Enquanto as blue chips garantiram o bom desempenho do Ibovespa, o dólar avançou 0,84%, pressionado pelo noticiário em Brasília

Exaltou integração

Presidente do Banco Central não enxerga competição entre bancos e fintechs

Segundo Campos Neto, a integração entre as mídias sociais e o sistema financeiro é maior inovação que existe no momento

Menos pontos e milhas

Setor de empresas de fidelidade encolhe quase 30% em 2020

O segmento de fidelidade movimentou R$ 5,3 bilhões em 2020, segundo a Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies