Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-04-06T18:16:48-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
piora da economia

Produção de veículos em março tem menor volume em 16 anos

Segundo a Anfavea, foram 190 mil unidades produzidas, em soma que considera os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus

6 de abril de 2020
10:04 - atualizado às 18:16
carros em pátio de montadora
Imagem: Shutterstock

As montadoras tiveram, em março, o menor volume de produção para o mês em 16 anos. Foram 190 mil unidades produzidas, em soma que considera os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus, segundo apresentação divulgada nesta segunda-feira (6) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

O resultado só não é menor do que o de março de 2004, quando a produção havia atingido 185,5 mil unidades, segundo dados da série histórica da associação. O volume também se aproxima do de março de 2016, quando foram montados 200,3 mil unidades, no pior momento da última recessão econômica.

O volume do mês passado, se comparado a março de 2019, representa queda de 21,1%. Em relação a fevereiro, o tombo é de 7%. No acumulado do ano até março, houve recuo de 16% em relação ao primeiro trimestre do ano passado, com a produção de 585,9 mil veículos.

Os trabalhadores não ficaram imunes à queda da produção. Segundo a Anfavea, cerca de 300 postos de trabalho foram fechados em março. Agora, o setor conta com 125,7 mil funcionários, recuo de 0,2% em relação a fevereiro e de 2,3% na comparação com março do ano passado.

Veículos novos

A venda de veículos novos caiu 21,8% em março ante igual mês do ano passado segundo a Anfavea. Foram 163,6 mil unidades vendidas, em conta que considera os segmentos de automóveis, comerciais, caminhões e ônibus.

Em relação a fevereiro, o volume apresenta queda de 18,6%. No primeiro trimestre, o mercado atingiu 558,1 mil unidades, recuo de 8% na comparação a igual intervalo de 2019.

Os números da Anfavea confirmam dados divulgados na quinta-feira passada pela Fenabrave, federação que reúne as concessionárias de todo o País.

Ainda de acordo com a Anfavea, os estoques do setor, agora, somam 266,6 mil unidades, o suficiente para 48 dias de vendas, em conta que tem como base o ritmo do mercado em março. Um mês antes, os estoques dariam para 46 dias.

O setor considera que o saudável é ter estoques para cerca de 30 dias. O dado reúne os veículos parados nos pátios das montadoras e das concessionárias.

Projeções

A Anfavea informou que não pretende, por enquanto, revisar as projeções para o setor em 2020, por entender que ainda é cedo para ter uma noção dos efeitos do novo coronavírus nas vendas e na produção das montadoras. "Não há condições para fazer uma estimativa para 2020 com segurança", disse o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes.

Moraes, contudo, disse que espera uma "queda substancial" das vendas e da produção no segundo trimestre, com um início de retomada no terceiro trimestre e uma consolidação do crescimento no quarto e último trimestre do ano.

Ele ressaltou que o recuo da produção em abril será mais forte do que em março, uma vez que as fábricas já estão todas paradas desde o início do mês - em março as paralisações começaram na segunda quinzena. Garantiu também que as empresas estão se preparando para quando a crise passar e a produção puder ser retomada.

Por enquanto, as projeções da Anfavea para 2020, divulgadas em janeiro, são de crescimento de 9,4% para o mercado interno e de 7,3% para a produção. Já para a exportação a previsão é de queda de 11%.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

O melhor do Seu Dinheiro

Nem tudo é terra arrasada pela alta dos juros, o mercado pós-Copom e outros destaques do dia

O aperto monetário ressuscitou a renda fixa, com alguns CDBs voltando a pagar taxas de 1% ao mês ou mais.

COLUNA DO JOJO

Bolsa hoje?: Unidos do Aperto Monetário… Nota… Dez!

Como se não bastasse ter que se preocupar com os resultados de Vale e Petrobras, que juntas representam mais de 20% do Ibovespa, ainda teremos que digerir a alta de 150 pontos-base da Selic

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: bolsa deve refletir taxa de juros mais alta em dia de leitura do PIB dos EUA

A agenda de balanços conta com Petrobras e Vale, enquanto o exterior deve sentir cautela antes da inflação nos EUA amanhã

NA DÚVIDA, ADIA

No restabelecimento da presença obrigatória em Brasília, governo fica sem quorum e retira PEC dos Precatórios

Nova tentativa de votação é esperada para hoje, mas o temor de que não haja deputados em quantidade suficiente para a aprovação persiste

Décimo Andar

Meu principal fundo imobiliário para capturar a retomada dos escritórios é um legítimo FII de lajes corporativas triple A

Fundo dispõe de um dos melhores portfólios – se não o melhor – de lajes corporativas do mercado e seus ativos apresentam bastante qualidade técnica e ótimas localizações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies