Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-04-14T18:16:53-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
de olho nos juros

Por que a ‘bomba fiscal’ do Congresso não provoca estragos no mercado? O UBS responde

Juros futuros caem, em um movimento incomum diante de uma medida que, em tese, aumenta a incerteza sobre as contas públicas

14 de abril de 2020
16:04 - atualizado às 18:16
bomba dinamite contagem
Imagem: Shutterstock

O avanço do projeto de ajuda aos Estados e municípios deveria fazer com que os juros futuros subissem. Contas públicas abaladas em tese aumentam a incerteza e exigem uma maior remuneração por parte dos credores. Mas um dia após a aprovação do texto na Câmara os juros futuros caem - e o UBS tem uma tese para explicar o movimento.

Segundo o banco suíço, o mercado precifica a aprovação do Projeto de Emenda a Constituição (PEC) conhecido como "Orçamento de Guerra". Entre outras coisas, a medida permite ao Banco Central comprar títulos privados e do Tesouro Nacional.

Para os economistas do UBS, a expectativa de que o BC entre forte no mercado comprando especificamente títulos públicos desestimula apostas mais agressivas de alta nos juros.

A medida - que contempla debêntures, cédulas de crédito imobiliário e de crédito bancário - seria uma forma de aumentar o poder da autoridade monetária de estabilizar o mercado em um cenário de crise, elevando a liquidez das empresas e injetando dinheiro na economia.

O projeto foi alterado ontem no Senado e voltou para votação na Câmara. Mas parte do mercado dá a medida como certa em meio a outros indicadores importantes, como o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) de fevereiro, que avançou apenas 0,35% - em mais um sinal de

Confira o desempenho dos juros futuros:

  • Janeiro/2021: de 3,09% para 3,04%;
  • Janeiro/2022: de 3,70% para 3,76%;
  • Janeiro/2023: de 4,89% para 4,73%;
  • Janeiro/2025: de 6,54% para 6,31%;
  • Janeiro/2027: de 7,40% para 7,25%.

O que é a 'bomba fiscal'?

A proposta aprovada nesta segunda-feira (13) recompõe por seis meses as perdas de estados e municípios com a arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e com o Imposto Sobre Serviços (ISS).

O texto segue para o Senado, mas o ministro da Economia, Paulo Guedes, adiantou que o governo vai vetar o projeto. A discussão passa pelo embate que o presidente tem com os governadores por conta do isolamento social.

Enquanto o chefe do Executivo defende um afrouxamento das medidas às vésperas do pico do contágio, governadores não descartam até ação policial para dispersar multidões - conforme João Doria, em São Paulo, declarou.

Segundo as contas do Ministério da Economia, projeto deve ter um impacto de pelo menos R$ 105 bilhões - R$ 41 bilhões seriam em transferências para recompor perdas de arrecadação com o ICMS e o ISS.

Mas há também outros dispositivos no texto: R$ 9 bilhões são suspensões de dívidas com a Caixa Econômica Federal e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), além de R$ 55 bilhões em operações de crédito.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

De olho na estatal

Após novas falas de Bolsonaro sobre privatização, CVM vai investigar a Petrobras (PETR4)

A autarquia abre processo administrativos quando entende que precisa acompanhar os desdobramentos de algum assunto

ENRIQUEÇA ATÉ 2024

‘Investir muito em Bitcoin é coisa de imbecil’: estes 14 investimentos já dispararam até 1300% e têm potencial para te deixar rico

Apesar do hype das criptomoedas, existem outras ‘pechinchas exponenciais’ que estão fora do radar de muitos investidores; conheça

Um brinde

A Ambev (ABEV3) nunca vendeu tanta cerveja como no 3º trimestre. E as ações disparam na bolsa

A gigante de bebidas registrou lucro líquido de R$ 3,6 bilhões no terceiro trimestre, alta de 50% e acima do esperado pelo mercado. Hora de comprar a ação?

MERCADOS HOJE

Entre balanços positivos e nova elevação da Selic, Ibovespa opera em queda; dólar avança

Após a decisão do Copom de elevar em 1,5 ponto percentual a Selic, o mercado já espera mais para a próxima reunião. O impasse em Brasília pressiona ainda mais a curva de juros e já precifica uma alta de 1,75 p.p no próximo encontro.

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro abre em queda após aumento de juros e IGP-M acima do esperado e dólar avança hoje

A agenda de balanços conta com Petrobras e Vale, enquanto o exterior deve sentir cautela antes da inflação nos EUA amanhã

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies